A estrela sobe
Por José Nilton Dalcim
19 de maio de 2017 às 18:54

Dominic Thiem deu mais um passo de peso em sua temporada e carreira. Afinal, não é todo dia que alguém derrota Rafael Nadal num Masters sobre o saibro, façanha reservada a um seleto grupo formado por Novak Djokovic (6 vezes), Andy Murray (2), Roger Federer (2), Stan Wawrinka, David Ferrer, Fernando Verdasco e Juan Carlos Ferrero a partir de 2005.

Thiem teve uma atuação surpreendente e espetacular. Começou pela postura diferenciada para esperar o primeiro saque de Rafa, pegando várias vezes a bola na subida e com isso acelerando a devolução. Não vamos esquecer que na véspera ele havia salvado três match-points diante de Sam Querrey.

Depois, Thiem usou muito bem o backhand em diversos contraataques e não se intimidou com os balões constantes em cima do golpe, que geralmente o levam a encurtar a bola. Para ser perfeito, faltou apenas usar melhor o primeiro saque. Permitiu sete break-points, porém salvou a maciça maioria com coragem e precisão.

Nadal não jogou mal, mas teve dificuldade para encontrar soluções adequadas diante das bolas bem profundas e cheias de efeito de Thiem. Talvez não dê para se ver bem na TV, mas o austríaco coloca muito giro em seus golpes, o que costumamos chamar de ‘bola pesada’.

Ele terá de esperar até o começo da tarde (horário local) de sábado para saber se irá reencontrar Novak Djokovic, de quem só tirou um set em quatro duelos, ou fará confronto com Juan Martin del Potro, para quem perdeu duas vezes em 2016. Do jeito que a partida ia antes de a chuva atrapalhar, Nole é o grande candidato. Apesar de games duros, mostrava de novo a excepcional competência nas devoluções e dava pouco espaço para Delpo disparar forehands. Mas como cada dia é um dia no tênis, tudo pode acontecer na retomada.

Se Thiem vai atrás de sua segunda final consecutivas de Masters, o alemão Alexander Zverev faz a primeira da carreira e com chances reais de chegar à decisão de domingo, já que vai enfrentar John Isner. É fato que o gigante americano de 32 anos sacou muito contra Marin Cilic e já levou Nadal a cinco sets em Roland Garros, mas é bem menos consistente no fundo da quadra, com evidente dificuldade de deslocamento e backhand sempre defensivo.

Caso Thiem e Zverev façam uma inesperada final em Roma, teremos a mais jovem decisão de nível Masters desde que Andy Murray derrotou Del Potro em Montréal de 2009. E a primeira sem o Big 4 desde Paris de 2012.

A derrota muda algo para Nadal? Não, ainda que faz três anos seguidos que ele não passa das quartas em Roma e, coincidência ou não, caiu antes da semi em Paris. O bom para o tênis é que Thiem passa de vez a correr por fora, Zverev pode ser um obstáculo para qualquer um e especialmente vemos Nole bem mais animado. Se o sérvio faturar o título, vai ficar perigoso outra vez.

As semifinais femininas também são um certo alívio para Roland Garros. Simona Halep se firma entre as candidatas, Garbine Muguruza dominou os nervos para tirar Venus Williams e Elina Svitolina soube trabalhar em cima do estilo risco total de Karolina Pliskova.

Quem levar Roma, terá um ‘upgrade’ e tanto. Ah, Kiki Bertens, que gosta de mudar o ritmo do jogo e usa boas curtinhas, obviamente pode ser a surpresa.


Comentários
  1. SRMARTINS

    Bravo Novak Djokovic! ELE está de volta aos bons tempos. Quer gostem ou não…
    Bravo MARKO Djokovic! O melhor treinador todos os tempos, está provando que também é o maior.
    #Ajde Djokovic #Idemooo

    Responder
  2. Oswaldo E Aranha

    Dalcim, o que pedi foi a relação dos tenistas que ganharam o Finals. Além disso gostaria de saber quantos torneios cada um venceu. Ficou claro? Obrigado.

    Responder
  3. Oswaldo E Aranha

    Dalcim, sobre Roma manifestar-me-ei no fim do torneio, mas agora gostaria de te pedir que fornecesses a relação dos vencedores do Finals e quanto cada um venceu. Desde já agradeço e mando um abraço.

    Responder
  4. Lola

    O Djokovic jogou mutio o set q vi, as federetes já devem estar nervosas com o retorno do sérvio.

    Alguns torciam por uma final Thiem x Zverv. Só faltou combinar com os russos ou com o sérvio.

    Responder
    1. Nando

      Então deixe o Rei lá, já ganhou Slam esse ano, tem 19-1 nessa temporada….ele não deve estar nem aí pra sérvio, espanhol….
      Logo ele volta, aí vc poderá matar a saudade.

      Responder
  5. Márcio Souza

    A estrela sobe…e desce feito um meteoro.

    Que derrota foi essa do Thiem pro Cotonete?
    Pior que essa só aquele vareio que o Federer deu no Murray no Finals de 2014, credo!

    Até parecia que era o Thiem que tinha jogado de manhã e estava cansado, não vi o primeiro set e quando fui assistir no começo do segundo, que coisa lastimável foi a atuação do austríaco hoje.

    Parabéns ao Cotonete que conseguiu se impor, mas amanhã a torcida é toda pro Zverev mais novo…vamos Alexander entuba esse Cotonete, faz que nem o Wawrinka nas duas últimas finais de Slam entre eles, aonde o Abraçador de árvores achou que estava ganho e acabou tomando na tarraqueta…vamos aguardar.

    Força A. Zverev e acaba com esse Cotonete duma figa kkkkkkkkkk

    Responder
  6. Roberto Rocha

    A ESTRELA DESCE.
    Thiem tomou todas na celebração da vitória. E provou mais uma vez que jogar com a tecla “F” apertada até o fundo pode dar muito certo…ou muito errado!
    Levou uma surra de vara de Nole, que depois de um treininho maneiro contra Delpo (que precisa encontrar soluções para seu bakhand inócuo. Dkoko deitou e rolou ali!) jogou com profundidade, mudança de direção e pouquíssimos erros contra um Thiem que simplesmente não apresentou plano B: não tentou slices, deixadinhas ou qualquer coisa diferente de meter a mão o tempo todo.
    Rolanga abriu para o sérvio. Stanimal pode ressuscitar. Thiem pode tentar mudanças táticas. Kyrios é sempre uma expectativa. Nadal não é favorito absoluto. Quem conseguir jogar no “modo Federer”, atacando e abafando o espanhol, poderá vencê-lo, como Thiem fez. Que venha o slam do saibro…surpresas podem acontecer.

    Responder
  7. Rafael Brasiliense

    Um dado interessante: nos dois últimos jogos, Djokovic enfrentou nada menos que Del Potro e Thiem. O resultado foi 24 games ganhos contra apenas 6 perdidos. Um game ganho para cada game perdido. Uma incrível média de 6×1,5 em cada set em cima de dois grandes jogadores.

    Responder
  8. José Eduardo Pessanha

    Olha, eu tenho sacaneado o Cotonete nesses últimos tempos, mas hoje eu vi o maior massacre que já aconteceu numa quadra de tênis. Ainda maior do que naquele Federer x Monaco. SuperesTHIEMado foi literalmente tratorado. E Nadal já está borrando nas calças. Aliás, tenho dito reiteradamente aqui que o Djokovic, em forma, enfia 3 a 0 no Nadal tranquilamente em Roland Garros. E torceremos para isso. Djokovic em modo “Off Maratênis” e com raiva (parte importantíssima de seu jogo) realmente proporciona grandes espetáculos. Tenho que reconhecer isso. Abs.

    Responder
    1. Chetnik

      Kkkkk. O Pessanha quando quer é um cara equilibrado rs. Mas o maior massacre não achei. Foi no nível de outros que eu já vi.

      Mas você tocou num ponto importante. Tem que jogar com RAIVA, kkkkk.

      PS: Nadal ainda é favorito em RG.

      Responder
  9. Rafael Brasiliense

    E ah, a atuação do sérvio hoje foi digna daquele tenista de 2015? Um massacre em cima do tenista que há pouco mais de 24h derrotou o melhor tenista da história do saibro. O jogo de hoje, aliás, foi demérito do Thiem, mérito do Djokovic ou um pouco dos dois?

    Responder
  10. Luiz Fernando

    Que massacre, Dojoko detonou, semelhante ao q Rafa impôs ao Zverev em MC, ou seja, essa nova geração, q parece bem mais promissora do q a intermediaria, vai ter q esperar ainda um tempo p se sobressair. Se jogar próximo desse nível amanha, não vejo como Zverev possa fazer frente ao Djoko. Mas ai será outra historia, mas não ha como negar o amplo favoritismo do servio.

    Responder
  11. Paulo F.

    Muitos federistas que mudem de opinião depois desse laço do Nole em cima desse Thiem pesadão.
    Não é e não pode ser um “jogadorzinho” alguém com 12 Grand Slams nas costas.

    Responder
  12. Luiz Fernando

    Que massacre do Djoko hein, cade o Thiem de ontem? Esporte e algo incrível, o cara fez ontem a partida da vida e hj parece um amador frente a um profissional. Jogando desse jeito o servio e candidato a vencer tudo, em qualquer piso. Guru volta kkkkkk!!!!!!!!!!!!!

    Responder
  13. Rafael Wuthrich

    Achei a segunda semi estranha até agora. Thiem ansioso e cometendo muitos erros não forçados, com golpes descalibrados como bem disse o Dalcim. Djokovic jogando bem, nada excepcional, apenas mantendo as bolas fundas no ataque e contando com inúmeros erros do adversários.

    O mais esquisito foi Djokovic gritando a cada erro do adversário, ao melhor estilo do Nadal 2005-2008. O austríaco nem é desafeto dele, e o jogo estava bem tranquilo. Não entendi essa pilha toda.

    Responder
    1. Rafael Wuthrich

      Thiem está mesmo.numa tarde ruim, mas me decepciona a postura de Djokovic. Jogo dominado, mesmo sem ter uma atuação espetacular e ele gritando na cara de Thiem a cada ENF do austríaco. Pra que tanta vibração?

      Responder
      1. Rafael Wuthrich

        E tome gritos de Djokovic no atropelamento. Fosse uma bola dificil, um rali duro, ok. Mas é um jogo em.que a única coisa digna de nota foi a devolução de saque mais calibrada. Jogou bem.mas nada excepcional – Thiem deu dezenas de pontos de graça. Me irritou essa postura arrogante que tanto criticamos em.Nadal.

        Responder
  14. sandro

    Pois é, Dalcim… nada como levar uma surra do maior rival para motivar o cara e mexer com o brio delem, hein!!? Agradeço a Nadal pela surra indiscutível no Djoko em Madri. Em Roma, é outro Djokovic!!!! circuito ficando cada vez melhor…

    Responder
  15. Nando

    Neste momento, Thiem está sendo engolido…mto afobado, errando mto, e o sérvio devolvendo bem os saques do austríaco.
    Um passeio do sérvio até agora.

    Responder
  16. Augusto Montenegro

    Nossa, Djokovic acaba de fazer 5×0 no 1 set. Concentradíssimo. Ele está jogando com tudo menos ” paz e amor “. Kkkkkk

    Responder
  17. Marcos Castillo

    Ótimo texto, Dalcim. Eu só trocaria “balões constantes” por “extremamente eficiente, veloz, profundo e alto forehand de top spin” em cima do golpe…
    Muita gente por aqui delirou com a expressão usada, fazendo pouco caso de uma marca registrada de um jogador que já faturou 14 GS.
    Não acho bonita a mecânica deste golpe e também não me agrada o estilo de jogo do Nadal, mas sempre é bom lembrar que:
    – a jogada está prevista na regra
    – é parte da estratégia no tênis fazer o que dificulta o adversário, não o que facilita
    Abs

    Responder
    1. Claudio Dos Santos

      A Estrela que estrela Dalcim me desculpe,mas Thien joga muito mais não passa disto Estrela sobe.pare com isto.você não está vendo as coisas como são ontem foi um kamikase hoje contra o Nole foi o que e Balaão ele usou mas não deu certo!gente ontem foi um acidente sabe aquele dia jogando na quadra e que qualquer bola que vim vc manda ver e não erra uma foi o que aconteceu com Thiem ontem nada a ver com o que Rafa jogou!nem desculpa por Rafa ter perdido!só queria deixar isto bem claro calma comente mais sem o lado de torcedor.vc e seus textos são ótimo afinal ninguém é perfeito vc tem a capacidade de aceitar o que te falo?

      Responder
  18. Rubens Leme

    Dalcim, em boa parte do jogo, o Djokovic atacava a esquerda do Delpo com cruzadas, abrindo a paralela para o argentino atacar. Mas, quase nunca ele tentava o backhand na paralela, mesmo sustentando duas ou três trocas mais pesadas.´No final, acabava se defendendo com slices e perdia o ponto.

    Não acha que seria uma boa opção? Ele não faz o golpe, porque não gosta ou porque exige muito dos punhos?

    Responder
  19. José Eduardo Pessanha

    PESSANHATRADAMUS – O PROFETA

    Bato nessa tecla há muitos anos. Federer se aposentará depois do Trio Parada Dura. E, pra não perder a oportunidade: NADAL E DJOKOVIC ACABARAM. Que venha a grama sagrada, a vitória 1100 e a Oitava Taça de Campeão de Wimbledon.

    JOSÉ EDUARDO PESSANHA
    16 de outubro de 2013 às 17:22
    Deixa de ser pessimista, Brack. rs. O velhinho não fez pré-temporada no ano passado. É por isso que ele despencou no ranking. Se ele se preparar da forma adequada, tem tênis para se manter no top 10 até mesmo depois da aposentadoria dos robôs. Federer tem que se focar nos GS e esquecer do ranking.

    [José Eduardo Pessanha] [Rio de Janeiro – RJ]
    Levi, vou repetir o que já disse em vários posts. O suíço, se quiser, se aposenta depois de Nadal e Djokovic. O “hômi” tem bola pra ir até os 37, 38 anos fácil, fácil. Lógicamente ele teria que disputar menos torneios do que disputa hoje, mas que dá, dá.
    05/03/2012 14:37

    Responder
  20. Marquinhos

    Tem Djokovete que pensa que haverá suicídio coletivo de federistas se Novak vencer em Roma. Kkkk Pode vencer esta m…. Federer venceu slam e os dois masters mais importantes esse ano.

    Responder
    1. Lola

      Não tem Dokovetes que vão se suicidar, pq ano passado o Djokovic ganhou tudo no 1° semestre e acho q as federetes não se suicidaram. Nós aguentamos firme uma fase ruim.

      Responder
  21. Marquinhos

    Kkkkkkkkkkk Foi a primeira vez que o Dalcim escreveu balão em seu post. A maior definição para balão é : Recurso dos medíocres! Kkkk

    Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Exato, menos do que medíocre…

        As chumbadas que pipocaram os fundilhos do espanhol na Austrália, Indian Wells e Miami, atestam este fato.

        Responder
        1. Alice

          Rodrigo, as últimas derrotas, são “apenas” as últimas derrotas, não se apagam aquelas duas dezenas de derrotas que o suíço sofreu para o Nadal em todo, qualquer piso…. rsrs

          Responder
  22. Márcio Souza

    É galera sobrou pro Thiem de novo fazer o trabalho sujo e tirar o Cotonete de ação e acabar com aquela marra do sérvio que sempre quando ganha dois jogos seguidos começa a de achar e os lunáticos de seus fãs viajam na maionese berrando aos quatro ventos: “ELE VOLTOU, ELE VOLTOU!!!”.

    Tudo bem que o Delpo não conseguiu fazer frente a ele hoje, SEREMOS ETERNAMENTE GRATOS PELO QUE ELE FEZ COM O COTONETE AQUI NAS OLIMPÍADAS.
    Aquele choro no final saindo de quadra, parecia aquelas meninininhas que acabaram de levar um fora e perderam o namoradinho no intervalo do recreio e precisavam voltar pra sala de aula…aquela imagem nao tem preço kkkkkkkk

    Vamos Thiem acaba com esse sorrisinho irônico desse Cotonete e manda ele de volta pra Sérvia abraçar umas árvores kkkkkk

    Torcendo por final entre Zverev x Thiem, é a nova geração começando a mostrar para o que veio.

    Boa sorte Thiem!!!

    Enquanto o GOAT descansa e treina, não há nada melhor do que secar o sérvio kkkkkk
    O Siri Careca ja foi e pro final de semana ser completo e o churrasco no domimgo ser ainda mais divertido, o Cotonete tem que perder hoje (o que ja esta se tornando comum nesse último ano) kkkkkkkl

    Responder
  23. André Luiz

    Impressionante como Zverev evolui torneio após torneio, numa ascensão meteórica que dificilmente vai deixar de colocá-lo no top 8 ainda esse ano.
    Torço pra que Thiem passe por Djoko pra que tenhamos a primeira grande final da nova geração.
    Quanto a Djoko, melhorou, mas, confesso, ainda não me convenceu. Del Potro tem hoje um revés fraquíssimo para aguentar um embate desses no saibro.

    Responder
  24. Jônatas L. de Paiva

    Dalcim e todos do blog, façamos um pequeno “ranking” das gerações, qual a mais forte dentre estas? Estou tentando pegar aqueles que foram top 10 por um tempo.

    Geração Federer: Haas, Safin, Nalbadian, Coria, Blake, Ljubicic, Hewitt, Ferrero, Roddick, Ferrer, F. Gonzalez, Davydenko e Gaudio.
    Geração Nadal: Djokovic, Murray, Wawrinka, Gasquet, Monfils, Tsonga, Del Potro, Simon, Berdych e Cilic.
    Geração Nishikori: Raonic, Dimitrov e Goffin (não achei outro top 10 na faixa entre 24 e 27)

    E agora vem: Kyrgios, Zverev, Coric, Thiem, Pouille, Kachanov, Tiafoe, Medvedev, Chung, Donaldson, Escobedo, etc

    Vendo assim, eu não acho que a tese da “geração fraca”, na época do Federer, verdadeira, aliás, eu acho que essa geração do Federer foi tecnicamente MELHOR que todas as outras que vieram posteriormente. Acontece que tivemos Murray, Nadal e Djokovic num nível muito alto e ganhando Slams mas a geração do Federer foi técnica e de diferentes estilos se for ver bem.

    Dos que estão vindo qual seria o mais talentoso? Esta é para o Dalcim e blog :)

    Abs!

    Responder
  25. Alison Cordeiro

    Delpo arrancou a vitória contra Nole na Olimpiada numa partida atípica. Em circunstâncias normais, não faz frente ao sérvio. Natural que Djoko vença. Contra Thiem teremos um jogo diferente, já que o garoto vem com moral depois de bater Rafa em grande fase. Mas sera um teste duro para ele, Nole vem babando para recuperar seus status. A nova geração finalmente começa a chegar forte, mas sem dúvida ajudada pela queda de Murray, Stan e pela fuga do “Rei”…

    Responder
  26. Nando

    Dalcim, o ATP Finals “Next Gen” ocorrerá simultaneamente ao ATP Finals? Se sim, o q aconteceria se Zverev estivesse classificado para os 2? Teria q escolher?

    Responder
  27. Jônatas L. de Paiva

    Umas observações: o que dificultou muito para Nadal foi o peso da bola do Thiem. O Nadal teria que ter mais variação e/ou mudar de direção constantemente e com bolas anguladas para fazer ele bater correndo dificultando a ação do austríaco já que gosta de jogar bem atrás. O jogo contra o Djokovic vai ser BEM diferente pois é o estilo que o sérvio gosta de jogar. Se o resultado vai ser o mesmo aí tem que ver.

    Zverev gosta também de bater forte de fundo principalmente de BH. Particularmente esses 2 jogadores têm muito ritmo de fundo mas não sei se num jogo tático contra alguém com muita perna como se sairiam.

    Vamos acompanhar.

    Responder
    1. Jônatas L. de Paiva

      ” O jogo contra o Djokovic vai ser BEM diferente pois é o estilo que o sérvio gosta de jogar. Se o resultado vai ser o mesmo aí tem que ver.”

      Eu avisei! Só não esperava 6-1 6-0 mas o resultado sim, se confirmou. Essa pancadaria de fundo é a cara do Nole. Ele adora ritmo e bola pesada e como a consistência dele é bem melhor ia se dar bem. É questão de estilo embora existam pessoas que teimam em não contar com o fator “encaixe de jogo”. O outro jogador tem que jogar FORA da zona de conforto para se sobressair numa situação como essa. O Thiem precisava ser um Wawrinka da vida para conseguir acompanhar o Nole mas ainda está um pouco longe. Quem sabe mais pra frente.

      Responder
  28. Jônatas L. de Paiva

    “Depois, Thiem usou muito bem o backhand em diversos contraataques e não se intimidou com os balões constantes em cima do golpe”

    “BALÕES CONSTANTES”!! ¯\_(ツ)_/¯

    Responder
  29. Robson

    É, não adiantou os secadores ligados das federetes não,Novak passeou pra cima do Delpo.
    Secador ligado em federetes,a tarde tem Novak contra Thien,mas além dos secadores,grudem nos terços,nas rezas,nas figas,kkkkkkkkkk

    Responder
    1. Fernando Filho

      Será que o sérvio chiliquento será campeão depois de levar tantas surras de Istomin, Goffin, Querrey…? Será a redenção do Cotonete? Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk #ThiemGOAT
      Kkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Responder
      1. Robson

        Istomim,Goffin, Querrey e ThiemGOAT?
        KKKKKKKKK,Putz caro colega,mas vc citou 4 FREGUESAÇOS de Novak Djokovic.
        Vou te ajudar na lista dos FREGUESES de carteira assinada do maior e melhor tenista de janeiro de 2011 até hj,vamos lá: Delpo, Wawrinka, Berdych,Cilic, Nishikori,Ferrer,Tsonga,Monfils,Murray,Almagro,Lopez,Raonic, Dimitrov,etc….

        Responder
    2. Rodrigo S. Cruz

      É pra rir isso daí, né?

      Quem precisa se agarrar a figas e amuletos é justamente o senhor…

      Roland Garros está bem aí, e junto com ele, a defesa de 2000 pontos.

      A diferença é que agora, o sérvio não joga com a mesma confiança, e o sorteio dificilmente será tão MATERNAL como em 2016.

      No qual ele enfrentou os RIDÍCULOS: Lu, Darcis, Bedene, Bautista-Agut e Berdych, um inexperiente Thiem e o amarelão Murray.

      Na boa, corra logo pra toca. Ou melhor por sítio.

      Kkkkk

      Responder
  30. Luiz Fernando

    Zverev vai vencendo Isner, conforme esperado. Sinceramente não vejo como ele possa vencer Thiem ou Djoko, mas no esporte nada e impossível.

    Responder
  31. Eduardo Nery

    Vejo na agressividade e na facilidade e no jeito de bater pesado tanto de direita quanto de esquerda (e com uma mão), muita semelhança no jogo do Thiem e do Stan…
    Seria, potencialmente, até por demonstrar menos oscilações e mais comprometimento, o Thiem uma versão melhorada do suíço?
    O que te parece, Dalcim?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      O Thiem só agora está deixando o backhand mais consistente, ainda assim erra bem mais do que Stan, por exemplo, quando busca uma paralela. Mas de certa forma os dois jogam em padrão parecido, sim.

      Responder
  32. Aurélio Passos

    É assustador como o Tourinho das Químicas já comćou a partida muginfo no volume máximo, manteve cara de raiva o jogo inteiro e com um gás absurdo. Não tem pra ninguém em melhor de 5 em Roland Garros.

    Responder
  33. Rodrigo S. Cruz

    CHETNIK,

    Eu não quis desmerecer o Nadal.

    Não resta dúvidas de que ele e o Borg sejam os melhores jogadores de saibro da história.

    O que eu quis dizer é que muitas vezes seus adversários, mesmo aqueles que dispunham de armas, não jogavam com ele da maneira certa.

    Você citou Federer, Berdych, Djokovic e o Delpo.

    Bom, o Delpo só enfrentou o Nadal 2 vezes no saibro, em toda carreira. (seriam 3 confrontos, mas um deles foi W.O).

    O Djokovic foi um dos que soube jogar com Nadal no saibro. Se perde no retrospecto, é porque o Nadal é superior mesmo nesta superfície.

    O Berdych, você nem podia ter citado. É um perdedor nato dos Big 4, desde sempre!

    E quanto ao Federer foram dois os motivos do fracasso.

    Primeiro, o fraco backhand de outrora contra um canhoto que jogava alto lá. E segundo, a BURRICE tática em muitas derrotas pro espanhol…

    Responder
    1. Chetnik

      Poderia ter citado outros…acho muito discutível essa de “não jogar o que pode”. Acho que o Nadal que não deixava ningém se “engraçar” muito. E o Nadal venceu o Djoko em RG em 2012, 2013 e 2014, quando o Djokovic já era o Djokovic e já tinha, inclusive, vencido o Nadal diversas vezes no saibro.

      Não existe ninguém tão dominante no esporte como o Nadal no saibro – exceto o Karelin rs.

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Deixando se engraçar ou não deixando, a receita para vencê-lo é clara.

        Sufocá-lo com bolas profundas dos dois lados, e usar bem as paralelas como o Thiem fez.

        O Djokovic tem muita qualidade, mas não é um tenista que gera tanta força, quanto se defende.

        Por outro lado, um cara como o Stan ou o Thiem jogando o que podem, dariam MUITA dor-de-cabeça para ele.

        A conferir em Roland Garros…

        Responder
    2. André Luiz

      Concordo. Por outro lado, não basta saber como jogar contra o Nadal. Não basta inclusive ter as armas pra fazê-lo. É necessário executar a estratégia com eficiência durante duas, três, quatro horas sobre o saibro.
      E é aí que a porca torce o rabo. Já vi um Gúlbis destroçar o Rafa em primeiro set sobre o saibro pra levar uma virada logo depois, quando o momento tenístico saiu das nuvens e, sem trocadilho, pisou a terra.
      E, claro, manter a consistência lá em cima por períodos imensos de tempo é outro dos méritos do Rafa, que tem uma solidez mental invejável.

      Responder
  34. Alice

    Olha como eu sou muito da “paz e amor” que nem o Djokovic, agora que me caiu a ficha que o Rafa perdeu, estou feliz pelo Thiem, porque além de representar a nova geração, ser o único no Top10, é um tenista (junto com o Zverev) que costumo torcer pra se dar bem no torneio, quando o Rafa cai cedo…rsrs
    Falando no sérvio, ele poderia pegar as rosas maravilhosas em volta da quadra e distribuir para seus admiradores no final de suas partidas, ajudaria mais no marketing pessoal! :P
    Se as pessoas não torcessem muito pra mim depois de tudo que eu conquistei no tênis, vide o que acontece um pouco com o Nole, eu iria ficar é muito P### da vida! Se o público estivesse torcendo “contra”.. ah me segura…rsrs
    Iria dar uns gritos a La Sharapova nos pontos, comemoraria que nem a Serena como muitos “come on” e no final mandaria beijinho pro recalcados, fazia até questão de mandar coraçãozinhos…rsrs

    Pronto, agora pode concluir com paz, amor e revolta! Kkk

    Responder
  35. Cláudio Santos

    Caro Dalcim Balões,esperai não é.até você balão.cada um joga com a arma que tem o Thien jogou no kamikase você deveria falar que estava 5×1 para o Thien e falar como foi.e segundo set Rafa 40×15 errou uma bola tão fácil e o Thiem não iria jogar e acertar tanta bola mágica.não mesmo.agora vcs todos tem nóia com Rafa ele enquanto vcs estão preocupados com ele.ele amanhã estarrei em Manacor,pescando ou jogando golfe e quarta feira já vou para França.e o seu querido do baitola do federer onde ele está.que é o baloeiro que está na frente da temporada vai te lascar vcs todos!vc tá igual o Pt falando do Psdb e vice versa!estou achando você muito emotivo com o Thien viu!risos

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      E onde está escrito que balão é ilegal ou injusto? O fato de Nadal atacar o backhand dos adversários, principalmente com backhand de uma mão, com bolas cheias de efeito e o mais alto possível é algo que acontece desde 2003. E não há demérito algum nisso. É a arma perfeita que ele tem.

      Responder
    2. Jean Galvani

      Nossa, deu um nó no cérebro agora…
      Dalcim, parabéns por ter entendido essa escrita em búlgaro antigo, e por manter a paciência com esse tipo de coisa rs
      Prefiro acompanhar a briga de alguns fanáticos aqui do tentar desvendar esse tipo de post.
      Abraços!

      Responder
    3. Nando

      Caro Cláudio, 2 coisas:
      Revise seus textos antes de escrever…pois ele parece ” um carro à frente dos bois”.
      Não deixe seu fanatismo levá-lo a dizer esse monte de groselhas, ainda mais misturando com política ok?

      Responder
  36. Luis

    Dalcim Thiem parece a vontade no saibro nas participacoes no Brasil ganhou o carinho parece bom rapaz tirou fotos pegadores de bolinha no Rio depois Titulo rs,Gosto do Zverev ta perto de um top 10 renovacao que muitas pessoas queriam na Atp ,Aguenta o Logico Alice Nunca serao kkkkkkkkk

    Responder
  37. Sergio Ribeiro

    Não dá para avaliar muito grandes melhorias no jogo do Servio , contra um Oponente com restrospecto tão fraco no Barro. Em jogos contra o Big Four , Juan Martim somente venceu uma partida no Saibro no longínquo 2009 sobre Murray. O resto somente derrotas. Apenas uma Semi em Rolanga também em 2009. Seria uma Zebra uma possível vitória sobre Novak. Bastante interessante seria um Novak X Thiem. Zverev bate Isner jogando mais próximo a linha. Senão tome tie-bracks. Abs!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sim, claro, irá se aproximar porque nesta semana todos os jogadores apenas somam (os pontos de 2016 já foram retirados pela diferença no calendário).

      Responder
  38. Miguel Delfes

    Dalcim.. se tiver tempo.. leia esta nossa conversa de 15/05 onde cfuz um comentário após a vitória de P Nadal sobre Thien
    domingo em Madri..
    Pergunto.. vc por acaso enviou esta conversa p técnico do Thien ? rs..
    Eu não pude assistir ao jogo.. mas.. foi mais ou menos isso q aconteceu ? Ele jogou mais n ataque q na defesa ? Mais dentro da quadra.. atacando principalmente o segundo saque do Nadal ?
    Segue nossa conversa.. Abraço..
    15 de maio de 2017 à 01:07
    ” Dalcim não acha q Thien deveria atacar o segundo saque do Nadal como Federer o tem feito ?
    Imagino eu q assim.. suas chances aumentariam muito pois.. é muito forte em suas pancadas e ter perdido aquele primeiro set com certeza o deixou um pouco desacreditado de si mesmo..
    Se observarmos q a diferença em pontos foi de 9 ou seja.. se ele tivesse acertado 5 pontos.. obviamente tirando-os de Nadal.. teria feito um ponto a mais no jogo e talvez levado a partida.. isso só p observarmos q o jogo foi um tanto equilibrado..
    Méritos p Nadal.. um gigante ímpar n saibro.. parabéns a ele e a Federer q até estavam desacreditados e.. após 30 anos de idade.. parecem estar jogando como nunca.. sorte nossa..
    Parabéns pelo Blog.. abraço !

    Responder ↓

    JOSÉ NILTON DALCIM
    15 de maio de 2017 às 09:51
    Sim, mas o tempo de bola dele no backhand é bem diferente, sem falar no fato que ele joga muito atrás da linha. Então o ataque de devolução tem menor eficiência.

    Responder ↓

    MIGUEL DELFES
    15 de maio de 2017 às 14:22
    SIM.. P ISSO ELE DEVERIA ENTRAR N QUADRA ATACANDO O SEGUNDO SAQUE.. ALÉM CLARO DE PASSAR A USAR BATE-PRONTO.. SE EU FOSSE SEU TREINADOR.. O ORIENTARIA A TENTAR TREINAR SAIBRO COM FEDERER POIS MELHORANDO ESTE FUNDAMENTO.. SERIA BEM MAIS COMPETITIVO NESTE PISO..
    E.. OLHA SÓ.. NADAL E THIEM CAÍRAM NA MESMA CHAVE EM ROMA..”

    Responder
  39. Eduardo Moura Lima

    Dalcim,

    acho que o Nadal está economizando muito o físico, principalmente os joelhos com essa melhora notória do backhand. Porque agora ele raramente foge do backhand para bater o forehand do canto direito da quadra, isso poupa uma movimentação de pernas intensa, necessária para executar o golpe. No entanto, com isso ele também perdeu seu famoso inside-out fulminante. O que você acha ?

    Outra coisa, apesar do Thiem ter jogado demais hoje, até onde você acha que um possível cansaço do espanhol com a maratona de jogos, afetou o placar de hoje ?

    Abraço

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Olha, Nadal continua sim fugindo muito do backhand para bater o forehand. Sempre que possível, claro. Hoje, com a velocidade e profundidade dos golpes do Thiem, ficou muito difícil, mas ele cansou de fazer isso em Madri, por exemplo. Quanto ao jogo de hoje, não vi cansaço físico nem mental. Acho que Rafa ficou um tanto surpreso com a tática adotada pelo Thiem e o austríaco estava num dia realmente iluminado.

      Responder
  40. Jose Yoh

    (Não sou muito bom em onomatopéias mas vamos lá)

    Nadal: AAAAAAHGNNNNNN
    Thiem: AGH-HAAAAANNNNNN
    Nadal: AAAAÃÃHGGGNNNNNNN
    Thiem: AGH-HHAAAAANNNNN
    Nadal: AAAAAHGGNNNNNNNNNNN
    Thiem: AGH-HHHHAAAAAAAAAAAANNNN

    (18 x)

    Nadal: AAAAHGN
    Thiem: AGH-HHAAAAAAAAAAAAAAAAAAANNNNNN

    Lembra bem alguns confrontos entre Nadal e Djoko.
    * Nada contra a eles nem ao nosso saudoso Guga.

    Responder
  41. César valeixo

    Dalcim, você acha válida a ideia de que o lado bom dessa derrota de hoje foi rafa enfrentar um thiem atuando de maneira diferente? Não acha que seria mais manejável para ele enfrentar o austríaco atuando assim do que ser surpreendido como foi hoje? Já que uma derrota em romA eh muito menos dolorosa que em em rg…

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que o resultado é muito mais positivo para o Thiem, e além da derrota não vejo nada muito negativo para o Nadal. Claro que serve a lição que todo adversário procura soluções e que é preciso sempre imaginar algo diferente.

      Responder
  42. Bruno Macedo

    Espero mesmo que o Djokovic ganhe do Del Potro. Não gosto do jogo do argentino, não gosto mesmo!

    E o Thiem? Sensacional hoje!

    Final: Zverev X Thiem. =)

    Responder
  43. Chetnik

    Não vi o jogo, mas me surpreendi – positivamente rs – com a vitória do Thiem. Deve ser um adversário perigoso em RG. Aliás, pra mim já tá claro que o Thiem e o Zverev vão mais longe do que aquela geração ridícula do Dimitrov.

    Responder
    1. Jônatas L. de Paiva

      Não é tão ridícula assim é que a geração anterior ainda está no auge e num nível bem alto, se bem que o Grigor já deveria estar frequentando mais o top 10 mas cada um tem seu tempo. Aliás, a geração que vc fala é composta por Nishikori, Milos, Dimitrov, Goffin, Sock, Busta, Tomic, etc. Uns já estão no top 10, outros perto e outros se perderam, como o Tomic. Então eu acho normal. Deste grupo, entre 24 e 27, o mais talentoso sem dúvida é o Grigor. Vamos ver se deslancha.

      Vou fazer um post aqui sobre “ranking” das últimas gerações, interessante avaliar isso.

      :D

      Responder
  44. Chetnik

    Djokovic tava jogando muito. Voltando a mudar a direção da bola, castigando o adversário com bolas cada vez mais profundas e anguladas. E o Backhand na paralela entrando bem.

    O Lobo tá de volta, não tem jeito. Vai massacrar o Touro em RG, o Bode em WB e o Rato no USO. Vai ser uma carnificina no zoológico, kkkk.

    PS: É uma brincadeira apenas. Primeiro tem que pensar em vencer Roma, que não será nada fácil.

    Responder
    1. Rafael Wuthrich

      Gostei de bons momentos de Djoko, mas ainda assim oscilou. 2o set já demonstrava um equilíbrio. Delpo estava com dificuldade extrema de movimentação, o que facilitava a vida de Nole quando usava as paralelas. Vamos ver amanhã de manhã.

      Responder
  45. Paulo Henrique

    Dalcim,
    1) Não estou criticando devido a derrota de Nadal e nem tirando o mérito do austríaco. Mas é inadmissível(chegando a ser irritante) um jogador do calibre de Nadal ter uma devolução tão curta(na maioria dos pontos no primeiro espaço após a rede). Ele já tem praticamente 15 anos no circuito e tirando um ou outro ano esporádico, ele conseguiu ter uma devolução razoável. Os outros grandes rivais(big four) conseguiram melhorar a devolução ao longo da carreira, mas o espanhol, não.
    2) Eu não consigo entender porque ele se sente tão desconfortável em devolver mais próximo da linha de base já que ele não tem uma grande potência principalmente no backhand, hoje ficou muito evidente esse quesito.
    Ele tem de entender que já tem quase 31 anos e ficar nessa correria(devido a devolução) ou esperar pelo erro do adversário nem sempre virá o êxito.

    Dalcim, me explique estes dois tópicos. E se o Nadal não vai conseguir melhorar essa situação?!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Ele já tentou isso até na quadra dura, Paulo. Aliás vimos no Australian Open deste ano. Mas o fato é que ele não se sente confortável, talvez porque precise de um tempinho a mais para armar seus golpes. Claro que, ao ficar 4 metros atrás da linha, você aumenta muito mais o espaço que sua bola terá de percorrer numa devolução agressiva e aí ele pode ficar curta. É um dilema, mas convenhamos que ele resolveu bem isso até agora no saibro.

      Responder
  46. Elmar Pereira Pequeno Filho

    Sou ex-tenista amador, mas fui bicampeão em simples no meu clube( Marrecos -CE), 4ª Classe. O tênis na verdade , é um xadrez correndo. A parte mental é fundamental. Se os oponentes têm físico e técnica parecidos, o que decide é o mental. Então, se existe um ponto fraco do opositor, obviamente, este ponto terá que ser explorado. Mas, se vc consegue potência com regularidade em ambos os lados , será um adversário bem difícil de ser batido.

    Responder
  47. Eduardo

    Dalcim,

    Acho que o delpo ganhou do thiem no saibro ano passado. Confronto não seria inédito. Acho que foi a primeira vitória expressiva dele na volta às quadras.

    Responder
  48. Luiz Fernando

    Assisti a tarde aos melhores momentos do jg do Rafa e de fato aparentemente ele não jogou mal; vi o Thiem salvar algumas bolas incríveis, se assemelhando ao próprio Nadal. Ele também saca muito, alguns dos breaks salvos decorreram de bons serviços. Sempre gostei do seu jg, tomara q com um calendário menos ganancioso ele se firme. Amanha ele me parece em condições de vencer o Djoko, em especial pelo fato do servio ter q jogar as 8 e meia e as 15 (não vejo como Delpo venca o jg com slices). Quem vencer amanha a tarde tera todo o favoritismo domingo.

    Responder
    1. Rafael Wuthrich

      Concordo plenamente. Thiem tem que começar a focar o jogo nos grandes torneios, preservando o físico para os grandes eventos…

      Responder
  49. Robson

    Novak ia passeando em quadra,passando o carro e Delpo obteve uma ajuda e tanto,kkkkkk
    Amanhã será um outro dia,com sol a pino talvez,isso atrapalha um pouco Novak,mas vamos Novak…

    Responder
  50. AKC

    Achei um dos melhores jogos do ano, Thiem estava inspiradíssimo, é uma ótima notícia ver o austríaco deixando de ser mera promessa para se tornar realidade… Lembrando que há um ano ele estava desacreditado. Um dos favoritos para RG, sem dúvida. Quanto a Nadal, não acho que afete muito seu favoritismo, pois o jogo do Thiem me pareceu fora da curva. Espero que ele faça a semi contra Djoko e a final contra o Zverev.

    Responder
    1. Sônia

      “não se intimidou com os balões…” rsrsrsrsrs… rsrsrsrsrsrsrs… rindo aos borbotões. Sensacional Dalcim, sensacional. Voce também percebeu o “festival de balões” rsrsrsrsrsrsrs. Mito (2) rsrsrsrs. Beijos.

      Responder
  51. Fernando Filho

    Em relação à confiança essa derrota não muda nada para o Nadal em Roland Garros. Do ponto de vista físico foi até bom sair agora em Roma. Vai estar inteiro física e mentalmente para Paris.
    Acho que teremos uma final da nova geração, entre Thiem e Zverev, com vitória do austríaco.

    Responder
  52. José Alves

    A derrota de hj não muda nada no favoritismo de Nadal em RG. O cara havia feito 4 finais seguidas desde Miami!! Estava visivelmente fadigado contra um Thiem cheio de energia e com tempo sobrando de calibrar seus golpes potentes. Se não fosse a tríade de troféus no saibro provavelmente teria abdicado do Roma Masters como fez com Rotterdã e os torneios pós olimpíadas.

    Responder
  53. CGusmão

    Thiem tem evoluído muito. Tem uma velocidade de braço impressionante, gerando grande potência em seus golpes. O destaque é seu poderoso forehand, embora sua esquerda tenha um grande potencial. O animador é que, apesar dele já apresentar um grande nível, tem pontos em que ele claramente pode evoluir – notadamente a devolução de saque (recebe muito atrás) e a antecipação das bolas no backhand (tem dificuldades com bolas altas e tende a ir muito para o fundo para poder pegar a bola na descida). Além disso, seu saque tem espaço para evoluir também e, principalmente, sua leitura tática do jogo, já que não é raro ele forçar bolas de maneira precipitada. Tem um futuro brilhante, sem dúvidas.
    Apesar de considerar que uma final da nova geração seria um grande alento, torço para que Djokovic vença e se reencontre nesse torneio, pois isso nos garantiria um Roland Garros bem mais eletrizante, considerando que Nadal está em alta. Qual a sua preferência Dalcim, uma final da nova geração ou uma possível retomada de Djokovic às vésperas de RG?
    Grande abraço!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Puxa, excelente pergunta, Gusmão. Acho que as duas alternativas são muito interessantes. Talvez Djoko na final e Zverev, campeão? rsrs

      Responder
      1. CGusmão

        Seria uma opção interessante! rs Acho que o único cenário pouco animador seria uma final entre Delpo e Isner. Embora eu seja um grande admirador do tênis do Delpo, que tem um dos melhores forehands da história e é muito carismático, acho que ele não seria um candidato tão forte a incendiar o circuito a curto prazo, já que ainda está tendo uma evolução ainda bem lenta e gradual no seu backhand e seu saque não anda tão afiado quanto poderia.

        Responder
  54. Rodrigo S. Cruz

    O Djokovic bateu no Del Potro hoje, mais fácil do que se bate num ébrio…

    Assisti o primeiro set, e foi um MASSACRE.

    O Djokovic jogou muito bem.

    Já o Delpo, além de sacar mal, como sempre teimava em defender o lado esquerdo dele, com aquele INÓCUO slice.

    Continuará apanhando e muito.

    Porque não dá pra ganhar do Djokovic, ficando restrito apenas ao forehand…

    Responder
  55. O LÓGICO

    TOMA JEITO DE HOMI, ROBOZINHO KKKKKKKKKKKKKKKK

    Essa é a pérola de declaração dada pelo R-AFINA KKKK antes do jogo contra o talentoso austríaco. Um álibi plantado para o caso de derrota do COVARDÃO kkkkkkkkkKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    “Após vencer Madri tive que vir rapidamente para Roma, os primeiros dias aqui me senti muito cansado. A partida contra Thiem me deixou esgotado e amanhã voltarei a enfrenta-lo, o que não será fácil. Sei que precisarei jogar melhor que domingo, pois além da condição física, as condições da quadra aqui são diferentes de Madri. Thiem é um rival muito perigoso que joga um grande tênis”. (malinha mor do tênis)

    Mas o que mudou em menos de uma semana pra cá? Onde está o tênis “exuberante” (aff…) que creditavam ao limitadíssimo representante do tênis de latrina? Simplesmente não está, porque não existe, e nunca existiu kkkkkkk SEU PONTO ARQUIMEDIANO SEMPRE FOI SEU PULMÃO BIÔNICO KKKKKKKKKK. Bastou o Thiem fazer um pequeno ajuste tático e ter mais paciência pra trocar bolas com o Xarope kkkkk do circuito que…que…ah, o robozinho se estrepou três por quatro e investido kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    A seleção natural tem sido cruel com o tenista cangalechéu kkkkkkk Sua limitadíssima arma não lhe garantem sobrevivência nem mais na LAJE, ambiente que lhe dá uma sobrevida há mais de três anos. É isso mesmo, darwinismo explicando a atual situação do robozinho com aplique na careca kkkkkkkkkk O que mais explicaria sua precária condição no circuito há tanto tempo, a não ser que ele tem poucas armas pra sobreviver em ambientes hostis – quadras rápidas -, e mesmo em habitat que lhe é favorável – a LAJE kkkk – elas já NÃO funcionam mais?

    CHUPA QUE É DE UVA NADALZETES, NUNCA SERÃO KKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
    É NÓS SONINHA KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    Responder
    1. Sônia

      Socorro, dor de barriga de tanto rir rsrsrsrsrsrsrsrsrsrs… Lógico, voce ainda me mata de tanto rir rsrsrsrsrsrsrsrs… adooooooooooooooooro rsrsrsrsrsrsrsrsrs… JAMAIS SERÃO (1000x) e SEGUE O LÍDER rsrsrsrsrsrsrsrs… Beijos.

      Responder
      1. José Alves

        A duração do recalque de vcs só está perdendo pra longevidade de Federer e de Nadal dominando o circuito.Só não estou mais impressionado porque sei que desde que o Djoko tava dominando vcs já faziam essa barulho ridículo,quanto mais agora com Nadal na liderança e o Djokovic na pior crise de sua carreira… Em Roland Garros aquele abraço!! kkkk

        Responder
    2. Gilvan

      “Thiem jogou muito agressivo, pegando forte. A quadra aqui é talvez menor e isso ajuda a quem bate forte e saca bem”, disse Nadal

      Parece que o Siri vai entrar com um requerimento na ATP para aumentar a metragem das quadras. Coitado, vai receber saque a meros 5 metros da quadra e la esta o juiz de linha para atrapalhar. Daqui a pouco vai pedir para aumentar a rede para uns 2 metros, para se sagrar de vez o Rei do Balao.

      Responder
  56. Wilson Polycarpo

    Poderemos ter uma final entre Thiem X Zverev.Final esta que ctz veremos mais vezes muito em breve.Os dois estão mostrando que serão Top 5 rapidamente e que num futuro bem próximo brigarão pelo 1º lugar no ranking.Este torneio de Roma mostra tbm um Djoko voltando jogar um excelente tênis.Se ele vencer este Master 1000 voltará ser o Djoko dos anos 2014/2015.

    Responder
  57. Fabio

    Acho que tem o lado bom dessa derrota, descansa um pouco o touro. O Federer disse que a derrota para o Donskoy em Dubai fez bem para ele e acho que isso pode ser bom para o Nadal também. Vamos torcer por um segundo semestre disputado.

    Responder
    1. Mário Fagundes

      Sim, Fábio, ia comentar exatamente isso. Por mais “físico privilegiado” que tenha Nadal, ali há um ser humano. Se pensarmos em RG, esta derrota pode ter vindo em boa hora para o espanhol.

      Responder
  58. Rodrigo S. Cruz

    Pois é.

    Como eu também havia dito, as bolas profundas e com efeito, como as que o Thiem disparou hoje, machucam qualquer adversário.

    Até mesmo o Rei do Saibro.

    Responder
  59. Nando

    Dalcim, acha q Thiem pode ter uma vantagem física caso o jogo q define seu adversário se prolongue um pouco? Mas pra isso acontecer, Delpo tem q ganhar o 2° set.

    Responder
  60. Marcão

    “Cada dia é um dia no tênis.” Cautela é sempre bom e ninguém vence ou perde antes da última bola. Em RG, ganhar três sets de Nadal não será fácil, mas vejo uns quatro ou cinco com chances. Thiem é um deles. Esse rapaz joga pra cima, tem cabeça boa e duas bazucas nas mãos. Num bom dia, ganha de qualquer um.

    Responder
    1. Rafael Wuthrich

      Meu cronista favorito, 4 ou 5 acho exagerado, mas a frase de que cada dia é um dia no tênis virou mantra pra mim desde aquela vitória da Vinci contra a Serena. Não que não concordasse antes, mas foi a prova cabal do que é nosso amado esporte.

      Responder
  61. Abelha

    Gosto muito da postura pessoal e profissional do Nadal. Grande jogador dentro e fora das quadras. Isso é indiscutível, lógico. Mas não tem jeito. A emoção de vê-lo perder é imensa. Muito prazeroso mesmo…rs

    Responder
    1. Alice

      Não sei porquê…Mas, não consigo sentir esse sentimento de “prazer” com as derrotas alheias ou de alguém em específico, nem as do Federer. Aliás, quando o suíço perde, eu fico em estado de choque, pasmem… até quando o jogo é contra Rafa, eu tenho vontade de “comemorar”, mas depois que termina…normal…rsrs

      Responder
        1. Alice

          Bruno, acredite no que você quiser, eu não tenho que te provar nada. Não é porque você, e mais alguns que nem a Sônia que teem um orgasmo com a derrota de alguém, que eu tenho ou sou obrigada a ter…kk

          Responder
      1. Sônia

        ” quando o suíço perde, eu fico em estado de choque”… puxa vida, sensibilizei, incrível, que lindinha, clap clap clap clap… Eu, pelo contrário, quando o espanhol perde e da forma como foi hoje, surrado, sinto um prazer inefável, diria um “orgasmo tenístico”. Vai entender isso. Beijos.

        Responder
      2. O LÓGICO

        ah não, tia Alice, kkkkk, sério mesmo? kkkkk Eu acredito na tia Alice, eu acredito em HARVEY DENT kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

        Responder
        1. Alice

          É verdade, Lógico. Sim, eu tenho esse sentimento, mas não acontece com o Federer, eu até tento, mas não… definitivamente não sinto orgulho, alegria, euforia e muito menos orgasmo algum com a derrota do suíço…
          ;)

          Responder
          1. Mário Fagundes

            Alice, parece que você não está conseguindo convencer. rsrsrs. Confesse que está chateada com a derrota de seu ídolo, nós vamos entender. rsrsrs.

    1. José Alves

      Nadal já fez 6 finais esse ano,4 seguidas,não esqueça disso. Os balões nessa partida são normais e atestam seu cansaço. Nadal humilde que é não vai admitir isso, assim como não admitiu na final com o Federer no AO. Em Paris, Thiem não terá nenhuma chance… kkk

      Responder
      1. André Luiz

        Não vi cansaço algum. Nadal estava tinindo física e mentalmente. Perdeu porque o outro jogou melhor, fez uns acertos táticos e estava num dia muito inspirado.

        Responder
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Comentário

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>