Frases para fazer pensar
Por José Nilton Dalcim
8 de maio de 2017 às 22:32

‘Eu garanto que (o novo treinador) será alguém que tenha tido experiências similares à minha. Não há muita gente no passado do tênis que tenha jogado nesse nível’
Novak Djokovic, ao chegar em Madri

‘Não tenho espaço na minha agenda tendo dois filhos, de 13 e de 15 anos, então minha resposta para voltar ao circuito como treinador é não. Não conseguiria fazer do jeito que teria de ser’.
Andre Agassi, respondendo à ideia de treinar Nick Kyrgios

‘É difícil viajar com uma mesma pessoa por 10, 12 anos. Por isso hoje em dia o relacionamento entre tenista e treinador dura cada vez menos, porque tem sido muito intenso. É muito tempo fora de casa, longe da família, passando muitas horas juntos’.
Andy Murray sobre Djokovic

‘Tinha uma motivação extra. Antes do jogo, muitas jogadoras me desejaram sorte, algumas eu nem costumo conversar. Venci não só por mim, mas por essas pessoas também’.
Eugénie Bouchard sobre a vitória contra Maria Sharapova

‘Derrotas como esta vão fazer de mim uma jogadora melhor’.
Maria Sharapova

‘Não é nada sério, apesar de ser dolorido. Incomoda o tempo todo e dá até alguma tontura’
Rafael Nadal sobre infecção no ouvido em Madri

‘Madri não é preparativo para Roland Garros. A bola voa muito, difícil jogar bem aqui nas primeiras partidas’
Stan Wawrinka

‘Ele não é britânico’
Daniel Evans, sobre Aljaz Bedene estar apto a tirar seu lugar do time da Copa Davis

‘Fazia tempo em que não me sentia nervoso diante de um grande público’
Bill Gates sobre jogo de duplas ao lado de Roger Federer

Precocidade
Amanda Anisimova, aquela que foi campeã do Juvenil de Porto Alegre em fevereiro, ganhou vaga para Roland Garros nas seletivas norte-americanas e, aos 15 anos e nove meses, será a mais jovem tenista a disputar o Grand Slam francês desde Alizé Cornet, em 2005.


Comentários
  1. Sandra

    Dalcim, vou dar uma viajada aqui, primeiro, o Dojokovic so vai anunciar o novo técnico em Roland Garros, e como se sabe o Guga está sempre presente em Paris- nessa época do ano,até porque acho eu que ele tem compromissos com o torneio, segundo, o Djokovic vai ser patrocinado pela Lacoste, o mesmo patrocinador do Guga, e ambos pelo que sei também são patrocinados pelo peugeot, não é muita coincidência??? E o Larri.

    Responder
  2. Pedro

    Jogo estranho do Nadal hoje. Vi apenas o primeiro set, mas, pelo que eu observei, o Fognini tem um bloqueio psicológico com o Nadal. Acho que ele não se sente confiante para ganhar, porque teve várias vezes o jogo na mão e jogava fora. O Nadal é guerreiro, mas, nem de longe lembra aquele Nadal de antes. A sorte dele é que mesmo assim, não aparece ninguém para ganhar, impressionante.

    Responder
  3. Luis

    Dalcim sera’ que a Bouchard vai? rs,moca simpatica e musa kkkk,teve algumas atitudes ruins mas e’ uma promessa femininaFederer em Halle grande chance titulo Luiz Fernando rs

    Responder
  4. Eduardo Moura Lima

    Dalcim,

    pior jogo do Nadal no ano. Concorda ou não ?
    Parecia o Nadal de 2015, com bolas extremamente curtas, e uma irregularidade irritante. Errou bolas fáceis demais muitas vezes, e de vez em quando acertava umas boas. A semelhança foi notada também no final, onde sacou para fechar e perdeu o saque, exatamente como fez diversas vezes em 2015. A diferença (ou a parte de 2017) foi a força mental para ficar no jogo, ganhar o primeiro set quando parecia tudo perdido, e quebrar para fechar o jogo.

    Será apenas um dia ruim, cansaço, ou falta de adaptação com as condições de Madrid ?
    De qualquer maneira, acho que não ganha amanhã, a não ser que eleve MUITO seu nível de jogo.

    Abraço

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Nem achei tão ruim assim, mas certamente foi bem abaixo do que mostrou em Monte Carlo e Barcelona. A altitude certamente atrapalha.

      Responder
  5. Maurício Fonseca

    Parece filme repetido de Sessão da tarde com esses três alienígenas Federer, Djokovic e Nadal: o oponente vai, vai, vai, vai, e acaba não fondo…. Fognini lutou e lutou, mas o resultado final como quase sempre é “Game, set and match Nadal”.

    Responder
  6. Luiz Fernando

    Rafa venceu um jg complicado, como eu esperava e postei, mas demorou 3 horas p alcançar isso, o q pode ser uma vitoria de Pirro. Esse italiano sempre complica p Nadal e me espanta um cara com toda a humildade e conhecimento como o Sergio Ribeiro menosprezar a opinião daqueles q pensavam isso, enquanto ele postou q seria barbada, em resposta a um comentário do Rodrigo Cruz. Q isso sirva de lição, todos podem errar meu caro, procure ser um pouco mais humilde (ele não seria humilde kkkkkk?????). Amanha Rafa enfrenta um adversário teoricamente bem mais duro, bem mais jovem e bem menos desgastado, pois jogou 1 horinha hj. Grande chance de problemas, no mínimo mais um jogo desgastante, mas ai veremos a real perspectiva do espanhol p esse torneio.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Na boa Cara, se liga. Ou aprenda a ler. Não disse nada que seria ” barbada ” . O Adolescente deveria ter lido que escrevi claramente : ” Fognini, sem chances”. O Italiano não vinha apresentando NADA na gira do Saibro. Ao contrário do Rei do Saibro em Mônaco e Barcelona. Não “assisto ” jogos pelo Live Score. E nem me prendo ao ridículo h2h dos Comentaristas de Resultados. Mesmo com Back de uma mão , o piso rápido fez com que Almagro pudesse exigir o Mental do N 2. E como cravei também, sem precisar dar gritinhos e chiliques, bem ao gosto de Guris, Novak venceu na categoria e na manha, sem nunca deixar de acreditar. Abs!

      Responder
  7. Rodrigo S. Cruz

    Tá Loko!

    O Fognini surrou o Nadal hoje mais do que em bêbado em briga.

    Teve um caminhão de break-points, o dobro de bolas vencedoras, um número parelho de erros nao-forçados, e mesmo assim perdeu a partida.

    Definitivamente, esse ANTI-TÊNIS que o Nadal pratica no saibro é muito, muito chato!

    Responder
  8. Sônia

    Fogninni, por favor, libera o “esperto”. Deixa um pouquinho pros “próximos”. Mudando de assunto, Narck na área argh argh argh. Mute acionado. Beijos.

    Responder
  9. Gabi

    Dalcim, vc sabe se houve alguma punição contra o árbitro Cedric Mourier em razão daquele erro no jogo do Nadal x Goffin?
    Muito obrigada.

    Responder
  10. Márcio Souza

    E o Djokovic hoje hein…quase que dança logo na estréia kkkkkk

    Nem de longe ele apresenta o tênis que pode jogar…se pegar um tenista que não oscile tanto dentro do jogo pode pegar a viola e enfiar no saco e vir embora, isso explica as derrotas recentes que tem tido.

    O Djokovic de hoje me lembra a situação com que o Federer se encontrava em 2013, o tenista estava lá mas o monstro não e apesar de mostrar muitos lampejos de habilidade as derrotas para tenistas limitados era frequentes também.

    Eu acho que não é um só problema que o Cotonete tem, como por exemplo alguns dizem ser problema fisico ou outra coisa somente, eu acho que é um conjunto de fatores que tem feito ele sair da concentração e do nivel de jogo que ele tinha, vai ser preciso muito mais do que um novo técnico, de mais treino e e de um tempo para foralecer o seu jogo novamente, quem sabe agora sendo pai de novo e acertando a vida conjugal em casa, ele não consiga retomar de novo os caminhos das vitórias e titulos.

    Enquanto isso não acontece vamos continuar zuando e tirando sarro quando as derrotas vierem e eu acho que ele nao chega na final jogando assim, mas vamos aguardar.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      O Djokovic acabou em 2017…

      Com esse tênis aí, ele não tem a menor chance de defender os 2000 pontos em Roland Garros.

      O Almagro só perdeu hoje, porque é um perdedor nato mesmo.

      Seu lema é:

      ” Lutamos como nunca, perdemos como sempre”.

      Responder
    2. Sérgio Ribeiro

      Não dá para comparar com o Federer de 2013, parceiro. O Suíço teve uma lesão séria nas Costas ( a lá Pete Sampras ) , que mal podia se mexer em quadra. Nem mesmo na Grama. Dai , a meu ver, não se parece com o momento atual do Servio. Abs!

      Responder
  11. Sandra

    Dalcim, gostaria da sua opinião, Federer, Nadal, Djokovic e Murry sempre chegaram nas semi finais em quase todos os torneio, então você a de convir que foram muito mais exigidos que os outros, Essa nova geração está começando a correr agora, não seria normal os quatro acima já terem um desgaste físico muito maior? Por isso eles começam a cair de produção…

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sim, seria normal. Mas Federer e Djoko têm feito calendários bem inteligentes, se poupando ao máximo. Rafa exagera, mas tem um físico privilegiado. Acho que a experiência faz diferença nas rodadas mais decisivas e daí a nova geração tem tido muitos problemas.

      Responder
        1. Alice

          Mas tem mesmo, Sônia. Quem tem músculos iguais a do Rafa? Ou melhor quem que deve fazer musculação e treinar que nem um “doido” que nem ele? Só consigo me lembrar de Coric e Murray, e você sabe o quanto Murray tem físico também, isso que eles têm, se conquista! ;)

          Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não. Segundo um comunicado da WTA, como campeã de Grand Slam e do Finals, a russa pode receber ilimitado número de convites. “As both a former Grand Slam champion and WTA Finals winner, Sharapova may request and receive an unlimited number of wildcard nominations”, diz a WTA.

      Responder
  12. Sônia

    Djoko sacando e a torcidinha gritando durante o saque, lamentável. Torcida grosseira, acham que é futebol. Espanhóis nojentos. Aguenta firme aí Djoko. Na torcida aqui por voce. Beijos.

    Responder
      1. Sônia

        Moyá descaradamente passando informações… repugnante. O narrador, torcendo demais para o espanhol… repugnante. Por isso sempre digo… jamais serão! Beijos.

        Responder
  13. Nando

    Mestre, te parabenizo pela iniciativa de disponibilizar o link pra assistir os jogos (q vem desde o ATP de Barcelona), pois é f…pra quem não tem tv a cabo assistir ( no caso dos M1000 e dos Slams, os únicos transmitidos por lá).

    Responder
  14. Rafael Medeiros

    A forma como funciona o mental para cada tenista é curiosa.

    Nadal: tem sempre que se sentir o “não favorito”. Para tanto, hiperboliza suas sensações físicas, ao ponto (quase ridículo) de relatar um quadro de otite. Jamais se coloca como favorito, mesmo quando evidentemente o é. Construção interessante: desta forma, nunca “perde”. Se perdeu é porque não estava 100% fisicamente ou porque não era o favorito para o torneio, se ganhou (mesmo sendo o favorito de fato), foi pura superação, um guerreiro. Vende-se aí a imagem do sujeito que sempre se supera, e isso é um produto legal pra quem acredita. Como se todos os outros não tivessem lesões e problemas a todo tempo…Os outros simplesmente preferem a mínima discrição a relatar e aumentar toda santa dor quer aparece, corriqueira ao esporte de alto rendimento.

    Federer: ao contrário do primeiro, tem que se sentir o todo poderoso. Se não for a atenção e o destaque, não tem graça – fica abatido, errático, apático. Não à toa é um elemento interessante que explica parte do vergonhoso H2H perante Nadal: é o oposto, cai como um patinho no jogo mental do espanhol. Seu estilo revigorado de 2017 mostra um desprendimento dessa condição, o que o faz jogar mais relaxado e, por conseguinte, obter melhores resultados.

    Djoko: o bom humor na vida parece ser essencial para estar bem em quadra. Parece sentir fortemente os abalos privados dentro das linhas, as perturbações íntimas migram ferozmente para o seu jogo. Se o circuito não for uma grande festa não haveria sentido em tudo isso. Com Boris parecia se divertir muito, o que refletiu num glorioso período. Djoker não é um apelido em vão. Atualmente mais taciturno, amarga resultados medíocres.

    Murray: não saberia dizer ao certo o que funciona para o escocês. Peço ajuda dos colegas. Para mim, o “Bisping” (lembrando o mediano campeão do UFC) do tênis: todos sabem que ele não deveria estar lá, que existem tantos outros em melhores condições.

    Responder
    1. AKC

      Já tinha reparado isso no Nadal, mas não creio que seja para dar desculpas em caso de derrotas. É psicologia, joga sempre o favoritismo no adversário. Num esporte mental como o tênis, isso funciona. Já reparou que sempre que tem Brasil e Argentina, os hermanos dizem em entrevista que somos os favoritos?

      Responder
    2. Sérgio Ribeiro

      Quais são estes Outros tantos que possuem um BiOlimpico ( Nenhum) e um Bi de Wimbledon ? O Britânico chegou ao Topo vencendo Novak ate’ no FINAIS. Titulo que Rafa Nadal não possui. ABS!

      Responder
      1. Rafael Medeiros

        Entendo que Murray surfou no marasmo.

        Djoko desinteressado, Federer e Nadal de fora. E ninguém mais incomodando seriamente.

        Murray não é nada. Mas aproveitou seu momento e conseguiu ser n. 01. Legal isso, fortaleceu a teoria do Big 4.

        Mas não é nada. Não assusta ninguém. Todos sabem que podem vence-lo. Isso não é normal de ver diante de um n. 01.

        Responder
    3. Maurício Fonseca

      Esse plano e marketing do Nadal (guerreiro Conan, mestre das superações impossíveis, ser humano que ultrapassou os limites da física quântica) foi cuidadosamente construído.

      Responder
  15. Augusto Montenegro

    Djokovic fazendo raiva à sua torcida mais uma vez. Quando ele mandar tnc aquele guru ele vai retomar as rédeas da sua vida… Kkkkkkkkkk

    Poxa. Fico muito triste ele ter demitido Marián Vadja, fisioterapeuta e preparador físico. Até que se prove o contrário para mim esse ” guru espiritual ” ( que vergonha ) tem participação nisso.

    O que ele precisa para retomar a confiança é de uma vitória convincente sobre Nadal, Kyrgios, Federer. Alguém assim.

    E sobre sua recente declaração ? Senti uma certa arrogância. Gostaria que Agassi fosse seu novo técnico para aprimorar mais ainda sua devolução.

    Falei de mais. Aguardemos os próximos capítulos.

    Como Rodrigo S. Cruz tem tirado onda ” AJuDE Djokovic “! Kkkkkkk

    Obs.: preferia o Djokovic católico beijando um crucifixo do que esotérico e dependente de um bosta chamado ” guru espiritual “.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Então, Augusto.

      Incompreensível que o Djokovic acolha o guru, e DESCARTE o Vadja e o Becker…

      Assim, ele não se “AdJUDA”.

      (rs).

      Responder
  16. Alice Traumatizada.

    Agora que me toquei da DIFICULDADE da chave do Rafa…
    Enfrenta Fognini daqui a pouco, logo o italiano que tem DUAS vitórias no saibro sobre o Nadal, se passar…
    Enfrentará Kyrgios, logo esse que tem jogo pra ganhar de qualquer um, se passar…
    Enfrentaria Raonic ou Goffin que está jogando muito bem no ano, se passar…
    Poderá enfrentar Djokovic, que está sendo uma enorme pedra no sapato do espanhol né…
    Se o milagre acontecer e chegar na final…
    Pode enfrentar Wawrinka, Thiem ou ainda só o número #1 do mundo, que não está lá essas coisas. Acho que a final, com quem quer que foste seria + fácil do que qualquer outro jogo!

    Lógico deve tá comemorando a beça…. rsrs

    Responder
    1. Alice

      Se eu fosse o Rafa, cancelava a participação em Madri e partia pra Roma, porque se ele estivesse descansado, “tombaria” todo mundo, mas como ele vem de duas semanas de títulos, aí fica complicado…

      Responder
    2. Mário Fagundes

      Pois é… Possíveis bons adversários, quadra mais rápida, doentinho… Mas o espanhol é um touro. Quem sabe não atinge a “superação” mais uma vez? rsrs

      Responder
    3. Rafael Medeiros

      Essa linha de argumentação é bem típica de Nadal – e de sua torcida.

      Nunca é favorito. Sempre há um porém.

      Se passa de uma rodada (mesmo sendo francamente favorito), noooooossa, que guerreiro.

      Ganhar Madrid (onde é amplamente favorito)? Nooooossa, que superação.

      Isso vende. Há quem compre.

      Mais do mesmo.

      Responder
  17. Paulo F.

    E veremos daqui a pouco se Djokovic usará a telepatia para antever a jogada do adversário e a telecinese para chegar antecipadamente nas bolas, aprendidas com aquele que restou do seu staff….
    rsrsrsrs

    Responder
  18. Márcio Souza

    E amanhã será que o Almagro apronta pra cima do Cotonete?
    A torcida toda é para que sim…é muito bom ver aquela cara dele de cachorro quando cai da mudança ao perder um jogo kkkkk

    Ja o Nadal começou com as desculpinhas de sempre quando percebe que o caldo esta engrossando e que a chave não esta fácil…a reposta pra derrota ele ja deu.
    Se ele ganhar o titulo seremos obrigados a ouvir que foi na base superação e de muita garra que ele conseguiu mais esse feito, agora se a derrota vier é porque as dores o impediram de jogar o seu melhor…fazer o que ne, uma vez Nadal sempre Nadal nas desculpas.

    Só pra refrescar a memória de alguns, aqui nas Olimpíadas foi assim, dizia se que não estava totalmente recuperado e que sentia muitas dores, mas inexplicavelmente tinha feito inscrição pra jogar simples, duplas e mistas, de última hora abdicou das mistas e após ganhar o Ouro nas duplas, falou muito sobre superação e nas simples poderia também brigar pelo Ouro, mas após a derrota nas semifinais e na disputa pelo bronze veio falar que as dores estavam insuportáveis e que tinha dado o seu máximo…sabendo que sera derrotado ele ja lança uma desculpa antes que é pra não ficar feio na foto.

    Mas não tem como não admirar esse monstro do tênis e verdadeiro Rei do Saibro…só espero que ele e o GOAT se enfrentem mais umas 10 vezes ainda antes de um deles se aposentarem para que o Federer aniquile esse H2H e devolva algumas duras derrotas pra ele (a final do AO de 2009 ja esta paga, pagou esse ano kkkkk)

    Responder
  19. Márcio Souza

    Hahahahahahahahahaha

    De tudo o que eu li por aqui a melhor coisa foi a resposta do Mestre Dalcim pro Adriano Souza kkkkkkkkkkkkkk

    Essa resposta foi ótima…pegou bem na canela do Adriano kkkkkk

    Quem ainda não viu…deem uma olhada lá depois.

    Não teve como não rir alto kkkkk

    E pra finalizar galera…o GOAT É O GOAT e ponto final.

    Valeu Mestre Dalcim!!!!

    Responder
  20. Augusto

    Entendi seu ponto de vista Dalcim….
    Quanto a Sharapova, sou fã e torço por ela, mas isso não me impede de ter uma visão parcial das coisas!
    A Sharapova já cumpriu o período de suspensão, e ponto bola para frente!, tomou um medicamento que se tornou proibido e foi notificada!, seria um pouco ingênuo achar que nenhum atleta tome alguma vitamina ou medicamento que seja permitido para o seu dia a dia, porém não adianta em nada essas situações se o atleta não tiver alma, mente de campeão, para ganhar títulos , isso mesmo os que não gostam da Sharapova tem que reconhecer que ela tem!
    Quanto a Bouchard, como já foi dito aqui não sei se é raiva ou inveja, porém essas declarações raivosas da Bouchard, foi uma vitória após várias derrotas, agora fazendo disso como se fosse um título ou coisa parecida é tamanho exagero! Ela ainda não se firmou e nem consegui algum feito grandioso!
    Acho que ainda lhe falta maturidade, um pouco de arrogância, bem faz a russa de não lhe responder os insultos!
    Go Maria!
    Quem sabe após a Bouchard conquista al

    Responder
  21. Bruno Macedo

    Não assisto a muito jogos femininos. É q apesar de gostar muito de esportes, não consigo achar muita graça quando é feminino. Não é que não seja legal, mas é q é mais lento, menos eletrizante de modo geral. Acho q por causa da força, o jogo masculino fica muito mais intenso e interessante. (pro meu gosto)

    Ontem vendo o jogo da Bouchard e da Sharapova e achando bem chato, fiquei pensando: pq essas meninas não vão mais pra rede?? pq na rede não precisa tanto de força, certo? pq na rede exige mais reflexo e agilidade. Acho q o jogo feminino, no caso do tenis, poderia focar mais nisso. Ficaria beeem mais legal de ver e mais apropriado às características fisicas das mulheres. sei lá…jogar mais dentro das linhas…
    ps.: nao tenho noção da quantidade de asneiras q possivelmente tenha acabado de falar…rsrs

    Dalcim, existem no momento jogadoras habilidosas e que vao a rede com mais frequencia?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Konta e Mladenovic se viram muito bem na rede e vão mais do que a maioria, mas nem de longe são jogadoras de rede. O fato é que os golpes de base estão muito velozes e pesados. Se é difícil para os homens, imagine então para as meninas que não conseguem chegar tão rápido à rede para cobrir os ângulos de passada.

      Responder
    2. Nando

      “””É q apesar de gostar muito de esportes, não consigo achar muita graça quando é feminino. Não é que não seja legal, mas é q é mais lento, menos eletrizante de modo geral. Acho q por causa da força, o jogo masculino fica muito mais intenso e interessante. (pro meu gosto)””

      Bruno, eu tbm penso assim sobre o tênis feminino kkkkkkk, assisto só o q estão as tenistas gatas kkkk, nada contra as outras.

      Responder
  22. Marcelo Bragatto

    Mestre…

    A Bia Haddad Maia tem boas chances de entrar direto na chave principal de RG? Vi o ultimo jogo dela em Praga. Ta batendo pesado e profundo, parece uma jogadora do leste europeu. Quem sabe nao surpreende e avance algumas rodadas em RG (se tiver uma chave acessivel é claro).

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não, porque a lista já fechou. Terá de jogar quali. Para entrar direto em Wimbledon, ela precisa se aproximar mais do top 100 até o ranking de 22 de maio.

      Responder
      1. Pieter

        Tarefa nada fácil mas não impossível (refiro-me a ela entrar direto em Wimbledon).
        Qualifying de Grand Slam é meio que loteria, infelizmente ela pode não dar sorte na chave e cair fora…tomara que não!

        Responder
  23. Leandro Passos

    Boa noite Dalcim.

    Este mês será comemorado os 20 anos do primeiro RG do Guga. O Tenisbrasil vai fazer algum especial sobre isto? E você sabe se está previsto alguma comemoração sobre isto pela Federação Francesa de Tênis?

    Obrigado.

    Responder
  24. Carlos Emerson

    Creio sinceramente que Almagro voltou a jogar bem,e Djokovic corre sério risco de perder vou dar meu palplite 7×5 6×4 Almagro ganha!Rafa Nadal com Otite vai nessa gente realmente Otite dói incomoda mesmo mas nada que um Oto-Betnovate,Lidosporin,e algodão não resolva.se tivesse infecção trataria com Antibióticos.e parece não ser o caso!

    Responder
  25. Sérgio Ribeiro

    A Armada ir desmoronando na Saibro rápido não é novidade. Rafa Nadal ser Tetra em Madrid, só demonstra porque é o Rei do Saibro. Almagro deve ser o Cara a pagar o pato. Como ninguém convenceu nos dois primeiros dias ( o N 1 continua com o Serviço muito abaixo ) , Novak pode começar sua arrancada. Nadal parece preocupado com o Sérvio. Abs!

    Responder
  26. Oswaldo E Aranha

    Vi na internet, página da UOL, o lançamento de um disco da dupla Marcos & Belutti. Pensei então que o tenista está procurando novos caminhos, mudando um pouco o nome, já que no tênis não está dando certo. O Dalcim, defensor ferrenho do Belucci, me desculpe por essa incursão no campo da gozação.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Eu o defendo apenas no quesito que nunca poderei concordar: que ele é preguiçoso, que não treina, que não é dedicado à carreira. Isso não é correto.

      Responder
    2. Marcos Marinho

      Rapaz, eu queria estar dando errado igual ao Bellucci, com quase cinco milhões de dólares acumulados aos 29 anos. Nada mal, hein?

      Responder
      1. André Borges

        Eu também rsrsrs. E como eu queria ser o 54 melhor do mundo em qualquer coisa rsrsrs. Não sou bom em esporte nenhum e o cara que é 54 melhor do mundo no tênis é que está dando errado kkkkk.

        Responder
      1. Mário Fagundes

        É por isso que, às vezes, esses caras (deuses do tênis) dormem e esquecem de dar uma força pra quem representa de fato a modalidade. Quando o mortal a ser ajudado é alguém travestido de tenista, aí não dá! É trabalho árduo! É pedir demais! rsrsrs. Não recorra aos deuses, que se encontram em pleno descanso, com pedidos insanos. Eles estão de férias desde a final de Miami. rsrsrs. Abs.

        Responder
  27. Chetnik

    Quando o Djokovic passar a utilizar técnicas inovadoras de telecinese e telepatia realmente vai ser revolucionário. O primeiro de uma era…

    ACORDA PRA VIDA, NOVAK!

    Responder
  28. Fabio F

    Um tema “off topic” para os que curtem estatísticas:
    O Brasil tem hoje 3 tenistas no Top 100. Pode parecer pouco, mas curiosamente só uma elite reduzida de países nos superam nesse quesito.

    França: 10
    Espanha / USA: 9
    Argentina: 7
    Alemanha: 6
    Rússia: 5
    Sérvia / Alemanha / Austrália / Japão: 4

    O Brasil, representado por Belucci, Rogerinho e Thiago, tem tantos top 100 quanto Itália, Croácia e República Tcheca. E tem mais do que Suíça, Bélgica, Portugal, Canadá, …

    O que quero dizer com isso? Que o Brasil está muito bem, obrigado? Que podemos comparar qualitativamente nossos jogadores com os da elite dos dos demais países citados? Claro que não, seria tolo e nada crível. Mas acho que temos uma representação na elite do tênis superior à expectativa, considerando nossas mazelas (falta de apoio, estrutura muito deficiente, pouca divulgação, …).

    Proponho apenas mais respeito e carinho com nossos atletas, eles fazem muito com muito pouco.

    Responder
    1. Miguel BsB

      O que continua a me impressionar é a Argentina ter 7! E atuais campeões da copa davis! Um país com menos recursos, realidade social muito parecida com a nossa e 1/4 da população brasileira. Os hermanos realmente apreciam muito esse esporte e são, sem dúvida, uma de suas maiores potências!

      Responder
      1. Pieter

        Discordo quando você diz que os argentinos têm uma realidade social muito parecida com a nossa. Nada mais distante da verdade, penso eu. Eles, no início do século passado, foram um dos países mais ricos do mundo, com uma altíssima renda per capita e educação de primeira. Hoje estão mais pobres e decadentes mas ainda têm um nível cultural e educacional a anos-luz da triste realidade brasileira. E sempre tiveram excelentes tenistas, no masculino e no feminino, ou seja, têm muita tradição no esporte. Não duvidaria também que mesmo com uma população bem inferior numericamente que a nossa, eles tenham mais praticantes de tênis e atletas.

        Responder
        1. Fabio F

          É verdade, Pieter. Eu acrescentaria que a influência europeia no caso deles é bem mais acentuada (eles praticam esportes “elitistas” como rugby e hóquei sobre a grama), o que favoreceu um maior intercâmbio e uma maior influência cultural e esportiva, sem mencionar um clima mais parecido com o europeu e uma massiva migração de argentinos para o exterior, que foi consequência justamente das crises intermináveis que eles enfrentam desde os anos 1990.

          Responder
      2. Fabio F

        Verdade, Miguel. Eu residi a trabalho por dois anos na Argentina na década de 1990. Pude constatar “in loco” que eles adoram o tênis, tem uma ótima estrutura física para a prática do esporte e curtem acompanhar seus jogadores no circuito, mesmo em torneios menores. Nada é por acaso.

        Responder
    2. Pieter

      Brilhante sua intervenção Fábio F.! Parabéns pelas informações e pela sua opinião.
      Também penso que qualquer tenista profissional brasileiro, seja homem ou mulher, mesmo que com um ranking de 999º merece respeito e apoio, pois é um dos esportes em que é mais difícil de ser bem sucedido.

      Responder
      1. Fabio F

        Zero, André… o jogador sueco mais bem ranqueado no momento é Elias Ymer, no posto 233. O segundo sueco (Christian Lindell) está na posição 380. Isso com todos os recursos de que o país dispõe, o que demonstra que há mais aspectos envolvidos além de estrutura, incentivo e tradição.

        Responder
  29. Alice

    Pouille e Carreno-Busta já se foram em Madri, enquanto Andy Murray finalmente ganhou (haha)! Amanhã será um grande dia, com as estreias de Djokovic, Wawrinka e Nadal…

    Ninguém comentou, mas vale ressaltar que o jovem alemão Alexander Zverev (#19) passou o australiano Nick Kyrgios (#20) no ranking da ATP, logo esse que será um “futuro número 1 do mundo”… (¬¬)

    Só lembrando que Carreno-Busta, Pouille, Goffin e Thiem, TAMBÉM estão a frente dele no ranking. Eu já disse e vou repetir, no momento o máximo que eu acredito no australiano é #5 do mundo, coisa que nem o “superestimado” (o que discordo) do Thiem ainda não conseguiu alcançar… ;)

    Responder
    1. José R.

      O cara perdeu avô e desistiu de dois torneios…
      Coisa que faz muita diferença p o ranking entre 10-30 do mundo…
      Na minha opinião o ranking, nesses casos, importa menos que o jogo apresentado e nesse ponto de vista o kyrgios é muito bom!!

      Responder
    2. Gilvan

      Kyrgios não consegue nem jogar dois torneios em sequência, que o diga brigar pelo número 1 do mundo. É problema no estômago, é avó que morreu, é contusão brincando de basquete, é o papagaio que ficou doente… Enquanto isso o top-10 lá longe.

      Responder
    3. Chetnik

      Ele bateu duas vezes seguidas no Djoko recentemente- não vi os jogos. Eu tirava sarro dele, mas por ora, tenho que ficar quieto rs.

      Responder
      1. Alice

        Pois é, ele pode não ser Top10, mas causa tanto ‘medo’ quanto. Ele tem muito jogo, porém não tem uma boa fortaleza mental, apesar de estar amadurecendo nas atitudes dentro de quadra. Esperando, pra viver se Kyrgios vs Rafa vai acontecer…rsrs

        Responder
    4. Rodrigo S. Cruz

      Graças a Deus, né…

      Ninguém merece assistir um tenista burocrático, insosso e sem-graça como Pablo Carreno-BESTA, chegando longe nos torneios.

      PS: Pronto. Troquei a vogal, pra você não chiar. (rs)

      Responder
    5. Pedro

      Olá Alice. O Thiem está em 4º lugar na race, e em 9º em entradas (12 meses), o que mostra que ele veio para ficar. É importante também verificar que dos 3 (Thiem, Zeverev e Kyrgios), o alemão é o que está subindo mais de posição, tendo saído do lugar 80 em 2015, passando para 48 em 2016 e agora 19 em 2017 (mês de maio). O Thiem também evoluiu, indo do 44 em 2015 para 15 em 2016 e agora 9 em 2017, sendo que o Kyrgios neste momento praticamente ficou estagnado, pois estava em 30 em 2015, foi para 20 em 2016 e agora 20 em 2017. Acho os 3 muito bons, mas acredito que o Thiem chegará antes no top 5.

      Responder
    6. Ricardo B. de Carvalho

      No jogo entre os franceses , o POullie me pareceu puido. o outro é um grande duplista, que se ajoelha para sacar. De que jeito que sobe a rede não sei. Não acredito que o “russo” chegue ao topo.

      Responder
  30. Marcos RJ

    Quem sobrou entao nessa pequena lista de possiveis tecnicos para Djokovic?
    1. Sampras: tem a personalidade de um poste e nunca se envolveu com tenis depois de aposentado. Pouco provavel
    2. Bjorn Borg tem uma historia semelhante de dominancia total seguido de esgotamento prematuro. Mas tem seu proprio negocio e nao deve ter mais energia para ficar viajando pelo mundo. Quem sabe nao da um bom guru., mas como tecnico, acho pouco provavel.
    3. Jimmy Connors: o maior mau carater do tennis de todos os tempos , teve uma historia de relativo sucesso como tecnico ao levar o puplio Roddick a final historica de Wimbledon2009 (so nao levou pq do outro lado estava Federer). Teve uma experiencia desastrada com Sharapova que durou exatamente 1 jogo. Chance media.
    4. Lendl: ja trabalha com Murray
    5. Agassi: acabou de declarar que ja esta muito ocupado, mas bem que seria um grande candidato. Pouco provavel.
    6. John Mc Enroe: ja tentou um miche de tecnico em meio expediente do Raonic que ate agora nao disse ao que veio (vulgo picole de xuxu). Tem um bom relacionamento com Djoker e foi um bom relacoes publicas na epoca da crise durante o US Open quando saiu uma briga com o Andy Roddick. Seria uma grande parceria, mas acho dificil aceitar o trabalho em tempo integral. Chance Media.
    7. Becker: aguas passadas.
    8. Willander: teve seu apice em 88 qdo ganhou quase tudo. Tem pouca experiencia coaching, mas por que nao. Pequena chance.
    9. Stefan Edberg: outro monstro do esporte, deixou uma boa impressao como tecnico de Federer e so faltou titulo de GS, com derrotas nas finais para .o proprio Djokovic. Acho muito pouco provavel.
    10. Jim Courrier: seria uma boa opcao, mas atualmente trabalha o tecnico do time ameriano da Davis. Pouco provavel
    Parece parece que as unicas opcoes nesse universo rarefeito seriam Big Mac ou Jimmy Connors (vulgo Darth Vader).

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sempre achei que o Wilander daria um bom treinador. Ele dirigiu apenas o time sueco da Davis, mas me parece ter muitas qualidades.

      Responder
      1. Rubens Leme

        Pra mim, o problema é esse guru. Ninguém sério vai suportar um mortadela deste (ex-tenista, pelo que vi) querendo se meter onde não tem experiência e interferindo no dia-a-dia dos treinos. Não se pode misturar pessoal com profissional, ainda mais em um nível tão alto.

        Eu acho que uma voz feminina talvez o ajudasse mais. Uma mulher experiente, ponderada, firme e que tivesse uma visão clara do que ele precisa. E, neste quesito, há uma com muitos mais recordes do que ele e que imagino ser perfeita pro circuito: Martina Navratilova.

        Que acha do nome, Dalcim?

        Responder
      2. Chetnik

        Com a quantidade de besteiras que o Wilander fala, eu tenho minhas dúvidas se ele tem cérebro para ser técnico de alguém rs.

        Responder
    2. Luiz Fabriciano

      Me explique ai por favor, como é a personalidade de um poste?
      Fiquei curioso, principalmente em se tratando de Pete Sampras – um grande tenista.

      Responder
  31. Daniel

    A Bouchard é uma garota extremamente arrogante. É aquele tipo de mulher que se sente tão bonita e bem-sucedida (no sentido de ser desejada pelos homens e já ter um bom patrimônio), que o ego infla e a arrogância aparece. É uma pena, mas sinto que ela não faz questão de ter muito sucesso nas quadras. O que a satisfaz é a perseguição da mídia e a forma como a beleza dela é idolatrada. Pra mim, seria uma mulher para curtição, e não compromisso sério.

    Então eu também acho que esse comportamento dela após o jogo contra a Sharapova foi inveja, de uma tenista que além de bonita, tb obteve resultados em quadra, e que antes dela se achar uma “justiceira”, ela poderia mostrar mais resultados em quadra ou simplesmente desistir do tênis e assumir a carreira de modelo / garota propaganda.

    Responder
    1. Fernando Pimentel

      Nem acho que é pra tanto, Daniel. A Bouchard teve sim bons argumentos pra dar a opinião dela sobre a maneira que se daria o retorno da Sharapova. A liberdade de expressåo existe pra qualquer ser humano, e, com certeza, se eu estivesse no lugar da canadense, faria a mesma coisa se eu fosse perguntado sobre o caso. Você pode chamá-la de arrogante, grosseira, egoísta etc. porém, não se esqueça que ela mata um leão por dia pra se manter viva no circuito. E além disso, a beleza da pessoa não a impede de ter uma personalidade forte e sincera. Se ela é uma tenista que só joga por “curtição” e nåo se esforça como deveria, como foi que ela conseguiu chegar em uma final de Wimbledon com 20 anos e chegar ao top 5? Isso é pouco? Não deixe a emoção substituir a razão dessa forma, cara..

      Responder
      1. Rafael Medeiros

        “É aquele tipo de mulher que se sente tão bonita e bem-sucedida (no sentido de ser desejada pelos homens e já ter um bom patrimônio), que o ego infla e a arrogância aparece. ”

        Imagino que quando é o homem que se infla e se faz de bem-sucedido seria o contrário: a mulher teria total desejo em acompanhar esse homem num compromisso sério, suponho.

        Comentário infeliz.

        Responder
      1. Chetnik

        Boa notícia. Não dá para aceitar receber menos de patrocínio do que o tenista com menos carisma do CIRCUITO, só porque este é japonês,e a marca também.

        Responder
  32. Pedro

    Dalcim, concordo com você sobre a situação do Djokovic tentar uma estrela do passado como treinador não ser a solução. Eu acho que a melhor situação para ele era se retirar desta temporada e colocar a cabeça no lugar, e aí depois, voltar ganhando, porque tênis ele não pode ter desprendido a jogar, e sinceramente ficar perdendo de todo mundo só vai piorar a sua confiança. Ele ainda é novo, então seis meses ou um ano não fariam grande diferença. Qual seria a sua sugestão? Em relação às frases, é impressionante que sempre o Nadal tenta tirar a responsabilidade das costas, e isso não é de hoje. Acho isso muito chato e não condiz com uma postura de campeão, coisa que a sua carreira mostra que ele é. Outra coisa além dessa que é muito ruim para todo mundo são os inúmeros tiques que ele tem. Mostra que ele é humano (muita gente tem tiques), mas ao mesmo tempo mostra para todo mundo que isso deve ter algum tipo de tratamento e ele deveria procurar. É só esquecer por um instante que ele é a superestrela do tênis e colocar uma pessoa normal, na rua, fazendo isso. O que todo mundo iria pensar? Os tiques são tão longos que já não é de hoje que ele é advertido por ter passado do tempo. E em relação à Sharapova, ela está com um tênis ótimo, mas está sentindo o ódio das adversárias (muitas por inveja), além de um preparo físico não muito bom.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Puxa, é uma situação complicada. Concordo que uma parada talvez fosse o melhor caminho, mas algo curto, de dois meses no máximo, para tentar uma reciclagem. O problema é saber quando fazer isso. Agora no saibro não seria a hora, nem antes do sintético americano. Talvez ele pudesse fazer isso após Roland Garros (se não for bem) e saltar já as quatro semanas de grama e duas ou três de sintético, pensando só no Canadá.

      Responder
  33. Marcos Castillo

    Anunciados os novos técnicos de Djokovic: a tenista japonesa Misaki Doi e o jovem tenista americano Tommy Paul. O sérvio andava reclamando que seu saque estava de doer e com isso ele só estava tomando pau kkkkkkkk

    Responder
  34. Rodrigo S. Cruz

    Yes!

    Gostei de ver o talentoso Benoit Paire dar uma AULA de tênis no insosso Pablo Carreno “Bosta”.

    Agora, Paire vai encarar o Stanimal, num jogo que promete ser eletrizante…

    Responder
  35. Luis

    Dalcim a Sharavopa e’ mais bonita,mas a Bouchard e’ uma bela loira disse uma pessoa no blog que tenista que mulher to nem ai se e’ chata kkkkkkkkk,Nadal com dor ouvido Logico e Alice rs,Federer poderia estar em Madri com chances de titulo no saibro rs,mas preferiu pular quase a temporada saibro que a alguns anos e’ bom pro Suico nao se desgastar em uma quadra dificil a Laje kkkkkk,tomara surpreenda em Paris 19 acredito rs

    Responder
    1. Alice

      Cê num tá bem né? Pra tá sonhando com esse #19 do Federer em Roland Garros… rsrs

      Não se preocupe, o décimo triplex virá em RG! :P

      #VamosRafa

      Responder
  36. Rodrigo S. Cruz

    A Eugenie Bouchard se mostrou bem infantiloide, pois não?

    “Tinha uma motivação extra. Venci não só por mim, mas por essas pessoas também”.

    Bahh. Mas que conversinha sem futuro, hein garota…

    Como se a Sharapova tivesse cometido um crime de pena perpétua.

    Ou como se a canadense pudesse garantir que sempre vencerá a russa daqui pra frente… Pfff.

    Não é a toa que a Eugenie goste do Justin Bieber… (rs).

    Responder
    1. Marcos RJ

      Exato! A Bouchard é completamente infantiloide. Tambem me lembro daquela entrevista infeliz dela reverenciando J.Bieber dentro de quadra.
      Ela prefere ser a princesinha da midia social do que trabalhar duro nos fundamentos. Os patrocinadores estavam doida para achar uma sucessora mais nova para a Sharapova, mas essa guria nao tem nada na cabeca.

      Responder
  37. Rubens Leme

    Enquanto o tal guru continuar – e ainda está lá – pode esquecer ter alguém mais sério ao lado dele.

    E esse parâmetro dele mostra o quanto está perdido.

    Mudando de assunto: como é bom ver aquela espanholada chata tomar nabo no saibro veloz. Carreno, Ramos e Bautista deram adeus hoje.

    É muito legal ver o velhinho Karlovic fazendo saque e voleio. Erra muito, claro, mas tira aquela mesmice dos empurradores de bola.

    Responder
  38. Victor Martins

    É impressionante, só por que está do mesmo lado da chave com o Djoko. Se o Nadal chegar nas quartas, e o Djoko for avançando, podem anotar, ele abandona com dor no ouvido.
    Se eu não me engano, Roland Garros ano passado eles ficaram do mesmo lado da chave, e o Nadal abandonou na terceira rodada.
    O Djoko realmente entrou na cabeça do espanhol, da mesma forma que o Nadal entrava na cabeça do Federer antigamente. Só tem uma diferença, o Federer não arregava.

    Responder
  39. Miguel BsB

    Na boa, só da pra assistir os jogos da Chatapova no mute…os gritos dela ultrapassam qualquer limite e são insuportáveis, beirando o desrespeito com as adversárias…
    A Bouchard é outra arrogante antipática, não consigo ter nenhuma simpatia por ela…e o pior, nunca ganhou nada no tênis pra ter td essa marra.
    Também não consigo ver nenhum atrativo no JOGO delas, chato, instável, nenhuma jogada de rede, só jogo de fundo. A Russa errou tds deixadinhas que tentou, e, na única vez em 3 sets que subiu à rede, por obrigação, não conseguiu matar no voleio.
    Beleza, claro, ambas tem, mas pra ver mulheres bonitas não preciso ficar aturando jogo sem graca e, principalmente, os berros da Chatapova.

    Responder
  40. Sônia

    Dalcim, adorei a vitória do Karlovic. Vergonhoso a equipe do espanhol passando instruções descaradamente (eles acham normal, argh argh). Feio demais, desnecessário. Êta torcidinha grosseira, argh argh argh. Beijos.

    Responder
  41. Mellany Mellydonium

    Ô MULHER RUIM! Sem alma, nem coração…

    A vitória da Bouchard, hoje, pode ser atribuída à exigência de teste contra dopagem feito antes, durante e após a partida contra a Mariá Sharápava. A canadense é muito exigente…

    Responder
  42. izaac

    Eu acho Djokovic está pensando que o Federer se aposentou! pois O mestre é único com nível acima do dele!
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk!

    Responder
  43. Chileno

    Acho ridículo o comportamento da Bouchard. Não tem sentido ficar invocando com a adversária porque recebeu convites e o escambau a quatro. Ela foi punida, pagou pelo erro e bola pra frente. Acho mesmo que é inveja ou algo assim, já que a russa além de bonita é muito mais bem sucedida no esporte.

    Pra constar… nem sou tão fã assim da Sharapova. Talvez torcesse por ela se ela não gritasse tanto. Gosto do jogo dela, mas a gritaria me dá nos nervos.

    Responder
    1. O JR7

      Chileno,

      Outro dia vi um comentário seu a respeito do espanhol e agora em relação à russa. Acredito que pensemos iguais. Acho de uma deselegância sem precedentes os gritos. Fica claro como não se precisa daquilo. Tudo bem que quando fazemos esforço podemos gemer, ok, faz parte. Mas berrar, gritar, urrar entre outros (pra mim) tem a finalidade de desconcentrar o oponente – já que o tênis requer bastante silêncio – pra mim isso é uma forma de se beneficiar.
      Não tenho simpatia por nenhum tenista que tem essa prática.

      Responder
  44. Alison Cordeiro

    O comentário de Djoko mostra disposição em permanecer no topo, o que é importante. Me parece que além da parte técnica, ele procura alguém que também entenda a questão mental da pressão em ser um dos melhores do mundo. Quem sabe também o ajude a reencontrar o foco. Ainda acho que no curto prazo ele continuará irregular, o que é perigoso nesta fase que defende muitos pontos. Se for mal nos próximos torneios e em Roland Garros, o que poderia acontecer de pior com o ranking dele, Dalcim?

    Responder
  45. Mário Fagundes

    “Não é nada sério, apesar de ser dolorido. Incomoda o tempo todo e dá até alguma tontura” (Rafael Nadal). Está justificada uma possível derrota em Madri.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não, foi um jogo bem parelho, com chances perdidas dos dois lados e decidido em mínimos detalhes. Então acho que Bellucci jogou bem e deixou escapar uma boa chance.

      Responder
  46. Carlos Alberto Alves

    Sobre a Bouchard só pode ser ódio e inveja mesmo, o incrível é que ela não vinha jogando nada há muito tempo e incrivelmente conseguiu vencer a Sharapova, eu penso que um rostinho tão lindo quanto o dela não deveria ter tanto ódio no coração assim. Em tempos, ler os textos do lógico é sempre também muito divertido, sempre tirando um sarro do baloeiro ….rsrsrs

    Responder
      1. Lucas

        Dalcin ,pegando gancho nessa questão e já me desculpando pois essa é uma pergunta a feita a você exaustivamente qual a sua lista dos 5 de todos os tempos?O Djoko ja entrou nela?Obrigado

        Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Não tenho feito listas ultimamente, mas Laver, Federer, Sampras e Borg estarão sempre no top 5. Lembro que eu não costuma pensar unicamente em números e resultados, mas na importância histórica do tenista. O quinto lugar pode ser de Rafa ou Lendl. Então eu ainda não colocaria Djokovic no top 5.

          Responder
          1. FRANCISCO

            Observem a lista de um EXPERT E ESPECIALISTA em tênis, e não de comentarista de sofá.

            Concordo contigo, Mestre.

          2. Jeremias

            Bom, temos de respeitar, mas um jogador com 8 Grand Slam–Lendl–e que nunca venceu o mais famoso dentre eles jamais terá méritos de ficar à frente de um que tem 12– 4 a mais– e é um grande campeão do mais famoso dos Slams. Sem falar que Djokovic venceu os quatro em sequência…

          3. José Nilton Dalcim

            Pois é, de novo você está falando apenas em números. Se for assim, não é preciso fazer ranking, basta olhar que ganhou mais Slam e pronto. Meu critério é um pouco mais amplo. Eu vejo sempre a importância histórica do tenista. E Lendl foi extremamente importante.

          4. jeremias

            ….Ainda mais quando a resposta em favor de Federer, com a qual eu concordo, baseou-se na superioridade NUMÉRICA do suiço….Djoko pode até não ser um top5 com unanimidade ainda(muito embora acho que já seria numa votação envolvendo jornalistas e ex-jogadores), mas que ele já deixou todos os que não atingiram os dois dígitos de GS para trás, isso me parece patente…

      2. Marcos Castillo

        Boa,Dalcim… esse comentário do Adriano parece com o que eu fiz para o meu pai quando ele me levou para assistir o Mundial de Sêniores quando eu tinha 9 anos de idade (1987):
        – Esse Pelé não joga nada, craque mesmo é o Zico…
        Talvez Zico e Djoko estejam no mesmo patamar de “craqueza”, mas Federer é Pelé…

        Responder
      3. evaldo moreira

        Boa noite,
        kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk, essa não podia passar, pediu, e levou recibo senhorf Adriano, aceita que dói menos:
        Como disse um nobre colega do blog:
        #segue o lider#;
        #18 slam
        #302 semanas no topo
        #da próxima vez, caro colega Adriano, lembre-se desses dados
        kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk, esse Dalcim é fera mano, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

        Responder
      4. FRANCISCO

        BUFU…. PRA BOM ENTENDEDOR……

        ACEITEM QUE DÓI MENOS.

        E também concordo que Rafa está a frente de Novak, o espanhol brigando com Lendl pelo quinto lugar na história.

        ONDE ASSINO MESTRE?

        #18

        #302 SEMANAS #1

        #237 SEMANAS SEGUIDAS #1

        #6 FINALS

        #SEGUE O LÍDER

        Responder
        1. AKC

          Sempre fui fã do Lendl… mas acho que essa vai acabar ficando com o Rafa, pela sua hegemonia no saibro e pelo seu histórico em Slams.

          Responder
      5. Nando

        Pensamos da mesma forma hein mestre kkkkkkk, fora os outros quesitos q estão “além dos números” ….carisma, popularidade, técnica…

        Responder
  47. Antonio Nunes

    Dalcim, você não acha que frases como essa de Evans mostra que foi mais do que certa a decisão de Leon Smith de não convocar Bendene pra a final da Davis de 2015?
    Uma país que não ganhava a décadas, de repente um estrangeiro se naturaliza e caso botassem ele pra jogar na final ficaria meio que um time artificial.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Bedene não poderia jogar a final porque ainda estava no período de impedimento. Mas os britânicos já fizeram isso com o Greg Rusedski, que até 1995 jogou como canadense e depois virou britânico e um grande destaque do país.

      Responder
  48. Adriano

    Acredito se instalarem um decibelimetro nos jogos da Testedpositova vão verificar que não existe a menor condição de se jogar tênis naquela gritaria!! Foi um absurdo o que aconteceu hj!! Minha filha de 05 anos veio me perguntar o que estava acontecendo porque a mulher parece uma louca…! Tem que ter um limite pra isso porque acredito que o objetivo daquela gritaria seja claramente desconcentrar o adversário…

    Responder
    1. Alice

      Olha sobre a gritaria, pra muitos isso é algo natural do tenista ao bater na bola, permite maior foco e potência, porém sempre há exageros né? E no caso da Sharapova, desconfio que em alguns momentos é pra desconcentrar mesmo!

      Responder
      1. Mário Fagundes

        Enfim, encontrei algo pra concordar com você. rsrsrs. A russa é bonita e coisa e tal. Mas é só isso! O tênis dela é só pancadaria e esses “gritinhos” são muito chatos.

        Responder
    2. Miguel BsB

      Concordo plenamente! Dalcim, não existe algum tipo de impedimento e ou punição pra esse tênis histérico da russa? Me parece que ela sobe muitas vezes o tom pra intimidar/atrapalhar a adversária. Lembro-me uma vez que uma tenista, se não me engano portuguesa, levou uma advertência por excesso de gritaria…lembra desse caso?

      Responder
      1. José Nilton Dalcim

        Sim, a insuportável Michelle de Brito. Já houve tentativa de estabelecer um padrão de decibéis, mas nunca deu em nada. Acho que as adversárias nem se importam tanto.

        Responder
          1. AKC

            Putz, e ainda contra a Sharapova, kkkkkk…. Pelo vídeo dá pra perceber que as duas praticamente empatam neste quesito.

  49. Augusto

    Dal cim…
    Vide o jogo de hoje da Sharapova…
    Ela esta falhando nos momentos importantes de
    Break Point!, ela teve vários e não aproveitou, além de deixar o primeiro set escapar!
    Em minha opinião seu jogo de fundo de quadra continua o mesmo, do mesmo nível apos um ano e meio!
    Qual a sua opinião, não será ainda insegurança após tanto tempo parada?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Pode ser, mas ela já fez quatro jogos na semana passada, alguns deles bem duros. Acho que havia uma tensão extra nessa partida e, acima de tudo, Bouchard jogou direitinho.

      Responder
      1. Nando

        Babar o ovo do espanhol igual vc faz pode né? Kkkkkkkkkk
        Lamentar a ausência do melhor tenista de tds os tempos não pode?

        18 Slams ( 7-5-5-1)
        302 semanas na liderança do ranking
        6 Finals
        Esses são os números.

        Responder
    1. Marcos RJ

      O Rei nao esta nem ai para outra chance de vencer Nadal, ate porque ja fez isso 4 vezes seguidas, incluindo AO, IW e Miami este ano Ele esta apenas focado em ficar sauavel e aumentar as chances de ter sucesso na grama sagrada de Wimbledon

      Responder
  50. Alice

    O colírio português João Souza ficou sem par pra competir na duplas. Não acredito nisso, como alguém pode abandonar essa criatura maravilhosa! #Revolts u.u’

    Responder
  51. Eduardo Nery

    Vi essa menina, a Anisimova jogando e ganhando com facilidade a final no Juvenil (Porto Alegre) neste ano. Acho que tem futuro… Me chamou a atenção neste torneio, a quantidade de russos (ou pessoal do leste europeu) competindo com cidadania norte-americana. Havia outra menina e um garoto, que inclusive em um jogo que assisti, o pai dele estava próximo a mim e gritava em russo (era o que parecia, pelo menos, kkk) para ele…

    Dalcim, é uma nova estratégia norte-americana importar jovens talentos, já que faz tempo que não colocam algum jogador entre os melhores?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      A Anisimova nasceu nos EUA, Eduardo. Não acho que haja uma ‘importação’. Os EUA são um país de muitas nacionalidades e culturas. Veja o Michael Chang, o Andre Agassi, o Pete Sampras… nada americanos.

      Responder
      1. Pieter

        Falou e disse tudo, Dalcim!
        Os EUA são, cada vez mais, multiculturais e multirraciais; só o tresloucado do Trump ainda não percebeu isso – por puro cinismo…

        Responder
  52. Alice

    Lógico tá secando tanto o Rafa, que fez até o touro ficar um pouco doente, li que ele acordou às 3 da manhã (lá vem as piadas, kkk) com dores no ouvido…

    Mas não se preocupem antis, o Nadal é forte que nem…vocês já sabem! Eu disse ali em cima u.u

    #VamosRafa :P

    Responder
  53. Josenir Silva

    Dalcim, nada contra a Sharapova e seu talento, mas especulando um pouco, foi ela mesma quem afirmou que sabia dos efeitos positivos do tal Meldonium, e que inclusive, aumentava a dose em jogos importantes… então não seria mesmo uma forma de trapacear? Ou é comum o uso substâncias químicas – legais – para ajudar na performance?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Bom, enquanto o produto era permitido, não se pode falar em trapaça. Se estava disponível, qualquer um poderia usar e igualar as condições. A proibição pela Wada aconteceu justamente porque estudos mostraram que o produto PODERIA também ser usado como recurso indevido e foram comprovados dezenas de casos justamente entre atletas russos. Daí…

      Responder
    2. Anti anti-jogo

      Isso é muito usual: os cabras descobrem um remédio que é pra uma coisa, mas trás resultado colateral procurado em outra.

      Foi assim com a EPO (e com o próprio Viagra, que era um aparada pro coração e virou pra ereção).

      Responder
  54. AKC

    Engraçado como rivalidade entre mulheres é outra coisa… A expressão, o olhar da Bouchard cumprimentando a Sharapova diz mais que um milhão de palavras…não é apenas esportivo, há um tipo de ódio muito sutil.

    Responder
    1. Alice

      Não tenho dúvidas, eu já presenciei isso. Em alguns casos, há muita provocação. É como se realmente quiséssemos ser vistas como melhor do que a outra no que dispúnhamos a fazer… :/ – mas é claro, que isso depende do nível de competitividade de cada uma né…

      Responder
    2. João ando

      Akc. Isso em todos os casos entre mulheres no trabalho em qualquer profissão e fogo…entrou uma mulher bonita em um trabalho qualquer que seja ha uma ciumeira generalizada. ..e muito estranho o jogo entre elas…se é que eu me fiz entender

      Responder
  55. Rafael Wüthrich

    Sobre Nadal, meu bom Dalcim, a pergunta que deixo é a seguinte: quando será o dia em que o espanhol estará 100% saudável? Sempre tem alguma coisa.

    Responder
  56. Rafael Wüthrich

    A vitória de Genie Bouchard é um alívio pra muita gente que odeia a russa desde antes do caso do remédio. Sharapova tem uma história duríssima de vida, o que a fez duvidar de tudo e de todos dentro do circuito, não cultivando nenhuma amizade, apenas inimigas (curioso que ela tenha mantido a amizade com Dimitrov, acho que o único tenista entre homens e mulheres que tem boa relação com ela). Isso retrata a enorme arrogância em alguns momentos da carreira e a absoluta falta simpatia que cativa dentro do circuito.

    No entanto, não creio que a própria Bouchard tenha feito muito diferente não faz muito tempo, o que, claro, não isenta Sharapova de críticas. Mas, pessoalmente, ainda acho que tudo não passa de muita inveja.

    Responder
    1. Chetnik

      Ela era amiga do Djokovic – ou peguete, sei lá, kkkk. Faz tempo que não vejo os dois juntos, mas costumavam estar juntos – normal, Russos e Sérvios se adoram.

      Responder
  57. Alice

    Eu acho que o Djokovic poderia contratar o Guru Espiritual da Kerber né? Porque é inacreditável…

    Karolina Pliskova perdeu e a Halep defende o titulo, com a ausência da Serena, Kerber vai de novo sambar no topo do ranking com folga…Essa garota tem sorte óh, só acumulando semanas como número #1, sem contar que pode terminar o segundo ano como a melhor do planeta…

    A regularidade é tudo, enquanto as outras sobe e desce, você vai só mantendo, uma hora sua vez de brilhar, simplesmente chegar né…kkkk

    Responder
  58. Bruno Macedo

    A Sharapova ainda vai fazer todas essas recalcadas engolirem suas mágoas. Para mim, td isso é inveja. Acho recalque um negócio muito chato…

    Ps.: A Sharapova exagera demais nos gritos. Da uma agonia…

    Responder
  59. O LÓGICO

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    ‘Não é nada sério, apesar de ser dolorido. Incomoda o tempo todo e dá até alguma tontura’ RAFAEL NADAL SOBRE INFECÇÃO NO OUVIDO EM MADRI
    Aí tá o álibi do robozinho cagão kkkkkkkkk É só ele pegar uma chave realmente forte que anuncia algum problema. E ele tá cada dia mais criativo kkkkkkkkkkkkkk
    Preparem o caixão do robozinho Darth Vader nadalzetes, robozetes e titia NADALice que a cobra vai fumar em Madri kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Responder
    1. Alice

      Titia concorda, Lógico. A cobra vai fumar em Madri, como já aconteceu com o Evans, agora resta saber com quem mais né? :P

      AH e não esqueça de tomar o seu Inderal, pra coisas não ficarem infernal mesmo! ;)

      Responder
    2. Maurício Fonseca

      Interessante ter usado o termo “INFECÇÃO”. Infecção é sério, tem que tomar antibiótico e usualmente repouso. É bem provável que seja uma INFLAMAÇÃO, mas o “drama queen” espanhol pode ter aumentado um pouco a proporção das coisas…

      Responder
    3. Gilvan

      Será que teremos o Tio Tony botando um “remedinho” no ouvido do Nadal durante a partida?
      Deve ter entrado muita água do mar no ouvido do Siri.

      Responder
  60. Rafael Wüthrich

    “Não há muita gente no passado do tênis que tenha jogado nesse nível’”. Sério mesmo que Djokovic acha isso? Não sei se a frase retrata uma certa arrogância ou completa dissociação da realidade. O certo é que o sérvio está completamente alienado. Pior foi o que ele disse antes: “‘Eu garanto que (o novo treinador) será alguém que tenha tido experiências similares à minha.” Pepe Imaz por acaso tem esse perfil? Não sei o que você acha, meu bom Dalcim, mas desde Agassi na época da Brooke Shields não vejo um tenista tão perdido fora de quadra.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que ele quis dizer que quer contratar alguém que tenha jogado no seu nível, daí a especulação sobre Agassi ter crescido, embora se fale até mesmo em Sampras. Não vi um tom arrogante, apenas um parâmetro que ele está procurando. Sinceramente, não acho que seja esse o melhor caminho para ele – o que Agassi acrescentaria? -, mas ao menos ele tem um objetivo claro.

      Responder
      1. Zacarias Novais

        “O que o Lubcic pode acrescentar ao jogo do Roger Federer? Não vejo nada!” Foi assim que Dalcin comentou ano passado quando Federer anunciou o Lubcic. No final o croata acrescentou muito! Vamos parar de fazer pré-julgamentos Dalcin!

        Responder
          1. André Borges

            E como tem… é pra isso que venho aqui. Continue fazendo. Ninguém é obrigado a acertar sempre.

          2. José Nilton Dalcim

            Claro que reconheço que o Ljubicic surpreendeu, mas algo me incomoda muito: o fato de Federer jamais ter dado esse crédito ao croata. Em todas as suas respostas sobre a melhoria no backhand – que, como vimos, não teve qualquer alteração técnica -, ele sempre ressalta o tempo que teve para se adaptar perfeitamente à nova raquete. E só.

    2. Alice

      Quando você não gosta de alguém, acaba dando nisso. Tudo vira motivo pra criticar, ou desprezar a pessoa. Na hora cheguei a descordar da declaração, mas logo me toquei que ele quis se referir a um parâmetro, como o Dalcim falou. Até porque não são muitos jogadores que tiveram que lidar com o “peso” de ter ganhado muitos GS, títulos importantes e ter sido de maneira tão consistente um número #1 do mundo, como ele foi.

      Responder
      1. Rafael Wüthrich

        Quem disse que eu não gosto de Djokovic? Procure no blog algum comentário meu denegrindo o sérvio. Tem desde 2007, então fique à vontade.

        Sobre a questão em si, interpretei a frase diversamente do Dalcim, o que não significa que eu esteja certo ou ele errado. Trata-se apenas de interpretação permeada com uma opinião, mas um tanto difícil para algumas pessoas entenderem. Discordar faz parte, mas presumir uma opinião ausente no que está no texto soa como preguiça de tentar simplesmente entender o que está escrito. Não é difícil.

        Quanto à questão da experiência, igualmente discordo. A história do tênis é centenária, e tivemos várias dezenas de tenistas que sofreram pressão ao longo do tempo. Evidente que são poucos os que conquistaram o que ele conquistou, mas a pressão é algo que todos que estiveram no topo desse esporte vivenciaram em algum momento. Me soou arrogante da parte dele afirmar inexistirem muitos outros tenistas que jogaram no nível dele, até porque a frase está solta e genérica, embora, lendo a opinião do Dalcim, de fato ele possa ter se referido ao nível tenístico semelhante. Mas mesmo assim me pareceu um tanto quanto soberbo.

        De toda sorte, fica o registro de que o fato de sua opinião ser diversa da minha não significa que desgosto ou gosto de alguma coisa. Basta se ater ao que escrevi para notar isso.

        Responder
        1. Alice

          Então tá né, Rafael. Só não havia necessidade de toda essa explicação, mas eu entendi. Concordo com a questão da pressão, mas não foi por esse lado que o Djokovic falou aquilo, e sim pareceu generalizar mesmo, daí as interpretações erradas… :)

          Responder
      2. O LÓGICO

        kkkkk Eu também sou fanzão do Djokiller, tia Alice, kkkkkk, principalmente por ele ter praticado zoofilia com o tourinho miúra durante todo o ano de 2011 – sete entubadas seguidas em sete finais kkkkkkkkkkkkk

        Responder
    3. Fernando Filho

      O único que TALVEZ tenha jogado no mesmo nível do Djokovic no passado é o Federer. De resto, não tem para Sampras, Agassi, Borg, Laver…

      Responder
      1. Nando

        Tem razão, esses q tu citaste foram fraquinhos ou ganharam seus títulos e Slams “na sorte”, o sérvio é Pelé perto desses caras né? É cada coisa hein…meu Deus!

        Responder
      2. Fabio F

        Ai, ai, ai… sério mesmo que você pensa assim? Que idade tens? Uns 25?
        É uma pena que os grandes do passado não tenham podido dispor da internet como aliada para a divulgação de seus feitos. E isso nem os arquivos do Youtube resolvem.

        Responder
    4. Chetnik

      Ué, e quantas pessoas na história do tênis jogaram – ganharam – o mesmo que ele? Só falou o óbvio.

      PS: O que não quer dizer que um tenista de menos sucesso não possa ser um bom técnico pra ele.

      Responder
  61. Alice

    Hoje, Sharapova gritou uma barbaridade em alguns pontos, não sei como a Bouchard não se desconcentrou. Com os gritos da Maria, eu ia pensar que toda bola tinha ido fora. Ela grita tanto que quando fica nervosa, não sabe se bate ou grita, aí se atrapalha toda. Foi embora com a derrota, um tapa na cara (nunca tinha perdido da canadense) e sem voz né… rsrs

    Responder
    1. Alexandre Maciel

      Não assisto aos jogos da Maria por este motivo, esses gritos irritantes. Pensa que vai assustar os adversários e ganhar as partidas literalmente no grito. Além de ser extremamente arrogante e jogar de forma ridícula.

      Responder
    2. Mr marco

      Concordo. Ela é totalmente ridícula c berros. Nao sei se sou só eu, mas odeio jogar c quem faz barulhos. Berros entao seria o fim

      Responder
  62. Alice

    “Acho que nem ele se sente britânico, sinceramente. Não tenho nada contra ele, mas ele jogou por outro país, por isso não consigo entender como pode ser considerado britânico. Nem sequer consigo sentir pena de não o terem deixado jogar na Taça Davis”. – Daniel Evans

    Comentário hipócrita, mas é normal existirem pessoa imaturas. Vai ter que se contentar com o número #4 britânico, pois o número #3 britânico no momento é de Aljaz Bedene…

    Responder
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Comentário

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>