Chocolate suíço
Por José Nilton Dalcim
24 de janeiro de 2017 às 12:14

Contra toda a expectativa possível no início deste Australian Open, a primeira semifinal masculina será totalmente suíça. Se Stan Wawrinka manteve seu favoritismo, Roger Federer jogou mais do que o previsto e ainda viu a chave se abrir com a queda de Andy Murray. Está mesmo dando tudo certo para ele, porque talvez poucos jogadores tops respeitem tanto Federer como Wawrinka.

Este será o 22º duelo em que a contagem é incrivelmente favorável a Roger. Suas únicas três derrotas foram sobre o saibro. Em seis confrontos de nível Grand Slam, ganhou cinco. É a terceira vez que chegam juntos à semi de Slam. A primeira foi na Austrália de 2014, em que Wawrinka foi campeão e Federer parou na semi para Rafa Nadal, e a outra no US Open de 2015, mas aí foi um jogo direto e Federer estava voando.

Wawrinka faz um grande torneio até aqui. Começou como sempre mais lento e levou sufoco de Martin Klizan na estreia, mas daí em diante se adaptou muito bem ao piso mais veloz que geralmente lhe traz problemas com o backhand e a devolução bloqueada. Eu não esperava uma vitória em sets diretos em cima de Jo-Wilfried Tsonga, que a rigor só teve chance no segundo set, quando obteve uma quebra e não segurou a vantagem.

Mesmo com as condições tão favoráveis ao francês – jogaram em pleno sol da tarde e ainda com um pouco de vento -, foi duro romper a solidez de Wawrinka nos golpes de base a ponto de Tsonga ter evidente dificuldade para controlar muitos dos voleios que tentou. Esperto, o suíço começou os pontos de devolução bem atrás da linha e explorou o backhand inconstante do adversário com ótima transição para a rede.

Federer por sua vez justificou seu amplo favoritismo diante do canhoto Mischa Zverev e, embora tenha perdido um game de serviço e ficado atrás 1/3 no segundo set, jamais correu qualquer risco. Zverev entrou um tanto assustado, sem potência no saque e duro de pernas nos voleios, e só foi se soltar no segundo set, quando mudou tudo e passou a sacar no corpo do suíço, o que facilitou a chegada à rede.

Obviamente que todo o empenho e habilidade de Zverev eram pouco para Federer, que mostrou grande capacidade de colocar as devoluções baixas e enorme destreza nas passadas por todos os cantos imagináveis, incluindo dois lobs num único ponto. Vindo de cinco sets exigentes contra Kei Nishikori, uma vitória de 1h32 e mínimo desgaste não poderia ser mais perfeita para Roger.

Semi americana
Enquanto o mundo do tênis já projeta um possível ‘revival’ numa decisão entre Federer e Nadal, a chance de as irmãs Williams voltarem a decidir um Grand Slam também cresce. A última vez que as duas irmãs foram a uma final desse porte foi em 2009, só que em Wimbledon.

Venus é mais uma que se beneficia claramente das novas condições do Australian Open, já que adora um jogo veloz. Nem fez uma grande exibição, mas contou com um dia de extrema irregularidade da russa Anastasia Pavlyuchenkova, que liderou os dois sets por duas vezes e não conseguiu segurar os nervos. Assim, aos 36 anos, Venus volta a disputar a semi na Austrália depois de 14 edições. Sua única final foi em 2003.

Para isso, terá de passar pela embaladíssima CoCo Vandeweghe, autêntico duelo de gerações. Onze anos mais jovem e com 1,85m, a menina de Nova York tem um saque genuinamente masculino em toda sua movimentação e essa é uma arma que explora com competência. Ganhou 88% desses pontos diante de Garbiñe Muguruza. Foi o segundo massacre em cima de uma tenista de ponta, já que cedeu apenas cinco games à líder Angelique Kerber.

Será portanto um duelo a ser decidido entre quem sacar ou devolver melhor. As duas só duelaram uma vez, mas se conhecem muito bem. Na entrevista em quadra, CoCo lembrou que Venus foi uma inspiração da adolescência e contou que tem até um autógrafo.

Fechando as semifinais
– Raonic venceu Nadal em dois de seus três duelos oficiais mais recentes. Duas de suas três vitórias sobre adversários top 10 em eventos de Grand Slam vieram na Austrália.
– Se Nadal vencer, o AusOpen verá três jogadores com mais de 30 na semi. Isso não acontece desde o primeiro Slam da Era Profissional, ou seja, Roland Garros de 1968.
– Tiebreaks são especialidade de Raonic, mas Nadal tem números expressivos: ganhou 200 de 332, enquanto o canadense venceu 165 de 268.
– Dimitrov vem de 9 vitórias seguidas desde o título em Brisbane e nunca perdeu para Goffin em quatro duelos (dois futures, um challenger e o US Open de 2014).
– Os dois também fazem luta direta por vaga no top 10. Goffin está em vantagem, já que Dimitrov precisa chegar à final para saltar até lá.
– Serena nunca enfrentou Konta, que tenta chegar pelo segundo ano seguido na semi da Austrália. Em 46 vezes em que atingir as quartas de um Slam, Serena só perdeu 13 vezes.
– Lucic também só tem uma semi de Slam, obtida em Wimbledon de 1999. Ela não enfrenta Pliskova desde 2015, mas o placar geral é apertado: 3 a 2 para a tcheca.
– Pliskova pode tirar o segundo lugar do ranking de Serena, caso seja campeã. A americana busca recuperar o número 1, mas precisa do título.


Comentários
  1. Sergio Ribeiro

    O próprio Espanhol na entrevista não escondeu os ajustes feitos em seu jogo. Inclusive a necessidade de ser mais agressivo e devolver mais próximo a base. Com isso diminuiu os ângulos do Sacador ( cansamos de Postar esse quesito) e fez o Canadense ter que jogar muito mais. O mesmo se surpreendeu e se enrolou todo. E tinha gente que duvidou ( a maioria) sobre a importancia da contratação de Carlos Moya. Cansamos de afirmar que Dimitrov possuía os golpes e os escolia sempre de maneira equivocada. Goffin se disse surpreso com a excelente movimentação do Búlgaro. Importante para quem vai receber 1000 bolinhas em seu Backhand. Vai precisar atacar antes o do favoritissimo Espanhol. Federer se não partir para duelos de Back com WAWRINKA ( isso lhe custou 3 derrotas sofridas no Saibro), ainda tem repertório para enrolar seu parceiro. E’ obvio que somente teremos o prazer de admirar TRES Back Simples em Semi de SLAM, graças a eliminação precoce do N 1 e N 2. Vale a pena ficar acordado pois acredito que não veremos novamente. Abs!

    Responder
    1. Sergio Ribeiro

      correção : ESCOLHIA…E tome de Trintonas tambem nas Semis femininas. Se sobrarem as Willians , teremos mais de Setenta anos jogando uma FINAL! Abs!

      Responder
  2. Leonardo Cabral

    O jogo Federer vs pai do Djokovic é o meu preferido.Qualquer um que vencer está bom.Federer merece demais esse 18 GS,agora é inegavel que o pai do Djokovic tambem merece vencer mais Grand Slams pela qualidade do seu jogo.

    Responder
  3. Alexandre

    Dalcim o Dimitrov está há dez jogos invicto neste início de temporada ganhando inclusive em Brisbane. Você acha que ele tem chances contra o Nadal? O que ele pode fazer para tentar desestabilizar o jogo do Espanhol? Acho que terá que ter um alto aproveitamento de primeiro serviço para poder equilibrar as ações. Abraços e muito obrigado pela grande cobertura do AO.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Com certeza o saque será ponto essencial. Terá de atacar o máximo que puder e achar um jeito de neutralizar o ataque constante de Rafa a seu backhand.

      Responder
  4. Alexandre

    Amigos bom dia esse Raonic não existe mentalmente,como consegue entregar o segundo set desse jeito? Contra Nadal não se pode cometer erros assim. Torço pelo Federer mas admito que o Touro é o grande favorito para levar este AO.

    Responder
  5. Renato

    Serena jogou muito bem contra Konta ( apesar de algumas osciladas). Dalcim, eu nunca vi Martina jogar. Quem jogou mais ?Serena ou Martina Navratilova? Ou é equilibrado o nível das duas ?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Estilos e épocas completamente diferentes, Renato. Martina jogava o mais puro saque-voleio, num tempo em que ela considerada muito forte. Hoje pareceria brincadeira perto da força de Serena. Acho que o grande feito de ambas foi levar o nível do tênis feminino a outro patamar.

      Responder
  6. Pieter

    Dalcim, por favor, qual será o horário (de Brasília) das transmissões das finais (masculina e feminina) do AusOpen?
    Estou contando que a ESPN vá transmiti-las, né?
    Obrigado!

    Responder
  7. Pieter

    Sei que vão discordar vigorosamente de mim, mas penso que pintou um favorito para vencer este AusOpen: o touro miúra!
    A não ser que o Dimitrov faça o trabalho “sujo” para os suíços (não me atrevo a fazer um prognóstico para este jogo, embora torça pelo Federer, óbvio!) na semifinal, se o Nadal chegar mesmo à final estará com a confiança altíssima e ele tem uma vantagem mental decisiva sobre qualquer um dos suíços. Como é competitivo este espanhol, caramba!

    Responder
    1. Sergio Ribeiro

      Essa enorme forca Mental, lhe rendeu 5 SLAM fora do Barro em ONZE Finais. Curiosamente 3 perdidas para os Suíços e 3 para Novak. O Rei do Saibro jogou NOVE no Barro e levou Todas. Menos parceiro…Abs!

      Responder
  8. Rafael Wuthrich

    Não.vi.Raonic x Nadal, mas lendo os comentários no UOL se nota que Nadal jogou bem, mas contou com 3 entregadas de Raonic, instável e nem sombra do que andou jogando. Pra completar, dores na perna.

    Sinceramente, chance ZERO de Federer ser campeão. Pode até passar de Wawrinka, mas Nadal é mais jovem, tem o estilo de jogo e está com confiança gigantesca. Mais uma decepção pro suíço.

    Responder
  9. Camilla

    Uhuuuuu… 3 x 0 em cima do número três!

    Rafa jogou demais! Primeiro set impecável, no final do segundo oscilou um pouco (só que na hora da pressão, seu mental se sobrepõe) e terceiro set incrível.

    Estou acreditando muito no #FEDAL na final!

    Responder
  10. Marcos Marinho

    Impressionante como esses caras tipo Raonic e Nishikori são pangarés. Tiebreak inicialmente errático de Nadal, canadense teve saque pra marcar 6-3 no tiebreak, depois no 7-6, pra matar ser point no saque, mas ai perde com dupla falta! Depois no 7-7 isolou uma direita e ai coisa desandou. O jogo acabou e o próprio Raonic sabe disso.

    Sou torcedor do Federer, mas Nadal já é campeão, a menos que Wawrinka vença o suíço. Roger não vence o Nadal em hipótese alguma. E se o Nadal ganhar é certo que ganhará em Paris tbm.

    Responder
        1. Rafael Wüthrich

          Até achava que Nadal venceria, mas o jogo foi muito abaixo – acreditava em 5 sets. Tanto pela regularidade do espanhol quanto pela falta de qualidade de Raonic. Ainda vai enfrentar Dimitrov que, convenhamos, tem menos chance ainda de derrotar o espanhol que o canadense. O desempenho de Raonic foi ridículo, sobretudo no 2º set, quando teve tudo nas mãos.

          Depois das finais perdidas para Djokovic em 2015, quando estava voando, contra quem sempre equilibrava os jogos, impossível Federer ganhar esse Slam frente a um cara que sempre ganhou dele e tudo lhe favorece no confronto direto: estilo de jogo, histórico, finais, ser canhoto, mental. Só se Federer receber um espírito e desatar a jogar sem errar nada, no que não acredito – o suíço está bem mas longe de ser perfeito nesse torneio ou jogando bem como em outros Slams.

          Responder
    1. Vial

      Rsrsrsrs.. Olha o desespero.. Os caras já estão pressentido que o que era para ser motivo de festa (Recuperação do bom tênis do Federer)..Pode se tornar agonia e sofrimento caso ele venha a jogar contra Nadal em uma final.. Eles já estão quase curados dessa dor.. Não querem passar por isso mais vez.. Coitado rapaz.. É trauma de verdade rsrsrrs.. Esse Nadal é um monstro, quando Federer cresce ele vem atrás só para acabar com os planos do Fefe.. Força nadal..

      Responder
    2. Fernando Brack

      Marcos, também acho que o jogo foi embora pro Raonic naquela dupla falta. Que hora, hein?
      E o grandalhão se mexe muito mal. Quanto ao vencedor do torneio, melhor esperar a final.

      Responder
    3. Pieter

      Eu não estaria tão certo assim, mas reconheço que o Nadal larga na frente dos outros três no aspecto mental, sem contar que ele é um campeão nato, jogador de chegada mesmo!

      Responder
      1. Sergio Ribeiro

        Será que quem possui 17 SLAM , 5 FINALS , Copa Davis, Ouro OLIMPICO e mais de TREZENTAS vitorias em SLAM tambem não o e’ ? Lembro ao parceiro que RAFA possuiu apenas 5 SLAM fora do Barro. E ZERO FINALS. Abs!

        Responder
  11. Paulo Lourenço

    E o Nadal vai passar por cima do pipoqueiro do Raonic….

    Também vencerá esse AO e RG/17. Alcançará o Federer em majors em RG/18.

    Quero ver o que dirão os fanáticos pelo suíço: Nadal com 17 majors, ouro olímpico, maior número de masters e h2h amplamente favorável…

    Vamos aguardar…,

    Detalhe: sou torcedor do Djokovic!

    Responder
    1. bruno

      E qual o problema se suas previsões (vidente?) se confirmarem?
      Isso diminuiria o Federer?
      Há 3 anos atrás ja existia está ladainha.
      Não precisava nem escrever que é torcedor do Djokovic.

      Responder
    2. Rodrigo S. Cruz

      Ou seja, pouco importa que o Djokovic vença majors.

      O mais importante mesmo é que o Federer perca,

      Entendi…

      Mas vamos combinar uma coisa:

      Se o contrário acontecer, vc promete tirar um selfie teu e mandar pra gente?

      Seria maravilhoso ver a sua cara.

      Responder
  12. Marcos Marinho

    Neste momento Raonic saca em 3-5. Do jeito que ele devolve mal saque (o cara foge do backhand pra jogar a bola no meio do T), vai tomar um passeio do Nadal. Espanhol botando ele pra correr. Caso se confirme, estas terão sido as piores quartas de final de um slam em muito tempo.

    Responder
    1. Robson

      Gostos são gostos né amigão, Nadal tá firme representando as duas mãos, e os outros três semifinalistas são FREGUESES do espanhol.
      Vida LONGA as esquerdas com as duas mãos… Tacada de golfe mais linda…

      Responder
  13. Luis

    Dalcim não consegui ver o link com os recordes se vc conseguir manda mais uma vez rs,uma pergunta sobre essa volta do Federer so’ me lembro que voltou e conseguiu um grande resultado em Slam conquistando US open alguém do passado conseguiu ? Parece que Sampras conseguiu mas foi pela idade parecida com essa do Federer mais de 30 anos rs,abraco

    Responder
      1. evaldo moreira

        Ahhh, ok, obrigado mestre, estava na dúvida, porque vi os melhores momentos desta final de Basel, não foi um grande jogo, mas, Federer ganhou no detalhe, e por falar em ganhar, Dalcim, acabei de ver o jogo do Dimitrov x Goffin, como você mesmo observou antes, deu o búlgaro, e o cara tá focado mesmo, me surpreende esta campanha dele, e com certeza, se der Nadal, o espanhol vai ter trabalho, ser Raonic, é bom o canadense abrir o olho, pois Dimitrov vai colocar a bola para andar, como evidente em alguns pontos no jogo de hoje.

        Responder
  14. Luis

    Dalcim quem e’ o recordista de semi e final de Grand slam no masculino? Acho que e’ Federer,sobre o Federer em algum lugar ele disse que gosta de comer chocolate e sorvete combina com titulo do texto rs,abraco e Go Roger

    Responder
      1. Rapha Tekila

        Esta parte do site é muito show para quem gosta de dados, estatísticas. A cada GS que termina sempre dou uma olhada para ver se já há novas atualizações.

        Responder
  15. Felipe

    Boa noite Dalcim,

    O chocolate suiço aplicado pelo federer hoje dá um banho de água fria nos entusiastas do BIG GAME? Eu, um dos fãs do saque/voleio, logo depois dessa surra pensei que se trata de tática suicida hoje em dia… infelizmente!!

    Se me permite mais um comentário, vale um elogio ao site/aplicativo do torneio. Na minha opinião, o melhor dos 4…!!

    Abs!!!!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que o saque-voleio só funciona hoje se você for um tremendo sacador, do porte de Raonic, Karlovic ou Brown, e estiver num piso realmente veloz. Foi-se o tempo em que Edberg sacava e voleava e quase embolsou o título de Roland Garros.

      Responder
  16. Daniel Pereira

    Se depender da ESPN não tem nem semi final! Já estão vendendo a final Federer x Nadal lembrando que o Nadal nem jogou as quartas ainda!
    Tomara que o Wawrinka plante outro sorrisinho amarelado no serviço de relações públicas do dito big 4 que se intitula de imprensa especializada!

    Responder
    1. Marco Dias

      No “Pelas Quadras” de ontem foi um exagero realmente. Mas também levaram um “convidado” que torce pro Federer, só podia dar nisso. Sem contar a empolgação que contagiou a todos pela campanha de Roger. Normal. Ele é o maior ícone do esporte! Mas não achei que faltaram com respeito, não cravaram que ele passa pelo Stan, ao contrário, acham que a será um parada dura.

      Responder
  17. André

    Federer vai atropelar o Stan…. 3/0 ou qdo muito 3/1… menos de 2 horas de jogo… e se for campeão em cima do Dimi, Goffin ou Milos vai voltar o papo da entre safra

    Responder
  18. Franco

    Sempre considerei Federe o maior e considero que ganhar este GS será um prêmio (mais um) para uma carreira impar.
    Mas contra Nadal até mesmo o mental joga contra Federer.
    Torcendo muito. Ele merece.
    Que volta…, mesmo que ajudado pelas conjunturas. Mas qual jogador não foi um dia ??

    Responder
    1. evaldo moreira

      Olha Franco, nos 02 últimos confrontos entre os dois, no ATP de Basel e nas semifinais de 2014, acho que US Open, deu Federer, ou seja, começou a mudar um pouco, de lá para cá, Nadal caiu de rendimento, não teve uma fase boa, no segundo semestre de 2015 para cá, Rafa, melhorou muito, e neste ano, está fazendo uma campanha muito boa, mas o Federer vem bem também, então creio que o craque suíço, manter o seu serviço e o backhand continuar nesta forma, acho que vai ser um jogo parelho, nos detalhe, eu como torcedor do Federer, gostaria muito que ele fosse para final, vamos aguardar, se der fedal, vai ser uma grande honra acompanhar esse clássico do tênis.

      Responder
  19. Robson Borges

    Olá Dalcim!

    Muito bom esse Ausopen, grandes jogos e surpresas. Quanto ao Federer, além das grandes atuações, tenho observado que ele mantém o jogo dentro da quadra, pegando a bola na subida, a frente da linha de base… Sem dúvida, é muito difícil jogar assim, pelo tempo de bola, velocidade, reflexos etc… Porém, é sua característica muito forte. No quarto set com o Nishi, com mais de 10 minutos do terceiro game, o samurai disparando pra todo lado, ele se impunha desta forma.

    O arsenal de golpes e estética dos movimentos, naturalmente, chama mais a atenção do público. Mas vejo este ponto como algo mais complexo do jogo do Suíço.

    Você joga desta forma? Alguma dica para buscar este nível?

    Abraço!!!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Isso mesmo, Borges, jogar sobre a linha é uma das características fundamentais do jogo de Federer, mas também de muitos tenistas que gostam de atuar sobre a quadra dura. Exige realmente muito treino para pegar a bola o tempo todo na subida, sem recuar, e fazer isso com o backhand de uma mão é ainda mais complexo, porque exige uma preparação muito rápida do golpe. Para conseguir fazer isso, só treinando muito, Róbson. Abs!

      Responder
      1. Emerson

        Excelente ponto realmente! E Dalcim, você foi muito preciso, como sempre.
        Eu também acho uma das coisas mais incríveis do jogo do Federer ter essa capacidade de reflexo, improvisação e precisão colado à linha de base.
        Uma coisa que sempre falei pras pessoas quando criticavam o backhand do Federer, principalmente contra o Nadal, é que eu queria ver alguém devolver aquele forehand com mega spin grudado na linha de base com uma mão… rsrsrs Claro que existem muito backhands melhores, mas ele sempre teve que pensar, ou fico aqui e mantenho meu plano e tento avançar e pressionar, ou vou pra trás e fico correndo atrás da bola como uma lebre…

        Responder
  20. Luis

    Dalcim Federer conseguiu vencer rápido o alemão como era expectativa o que e’ bom em um slam não se desgastar para os jogos finais,sobre a semifinal acho que Federer tem 55 % de vencer Wawrinka rs,jogo imprevisivel se Federer jogar como ta nesse Aberto Austrália vence,se Wawrinka conseguir estar inspirado o jogo pode ficar longo,Go Roger rs,parece uma grande chance de final pro Federer e ate titulo depois de estar meses sem jogar,o que acha Federer parece com boas chances de final Dalcim? Sobre Raonic x Nadal acho o canadense favorito

    Responder
  21. Chetnik

    Foram das piores quartas de final de GS que eu já vi. O Tsonga é ridículo, desisto dele. E pensar que uns anos atrás eu achava o jogo de rede dele melhor do que o do Federer. Hoje em dia não é melhor nem do que o do…sei lá, difícil comparar, ele quase não sobe mais. Zverev fez o que dava para ele fazer, não tinha chance. Espero que as de hoje sejam melhores.

    Ruim dessas zebras, mesmo para quem não é torcedor, é que gera umas situações aberrantes: Istomin não tinha sequer condição física para fazer umas oitavas – enquanto tava inteiro, deu uma surra no Dimitrov. Zverev fazendo umas quartas então…mas faz parte.

    Espero que o Wawrinka não amoleça para o Federer. Se jogar o que jogou nos GS em que foi campeão, ele varre o Federer da quadra.

    Torcer para o Touro passar. Se o Wawrinka não fizer o jogo sujo, pelo menos teremos uma final espetacular – e inesperada.

    Responder
    1. Chetnik

      Acrescentando: o Monfils faz menos falta do que o Berdych…tá louco, tem gente que gosta dele, mas por mim desapareceria do circuito amanhã mesmo.

      Nadal tá bem, tem uns bons ataques e contra-ataques, mas ainda acho que, na média, a sua bola tá curta…e tem que devolver mais perto da linha.

      Responder
      1. Gildokson

        Concordo contigo, o Gael não ta nem ai pra nada, sem competitividade, parece que se contenta com o pouco que tem… ou seja… ganhar seu dinheiro jogando tênis e mais nada, título pra que?
        Fico pasmo como gostam dele.

        Responder
  22. Rafael Wüthrich

    Diferente de outros tempos, continuo achando que Federer não será o favorito. No máximo, divide o favoritismo. Stan tem jogado direitinho e sem sustos, e tanto Raonic quanto principalmente Nadal dispensam comentários. Não acredito muito não, embora torça pelo título.

    Responder
  23. Rodrigo S. Cruz

    Ah.

    Como é bom poder apreciar um Grand Slam, sem a presença do Novak Chatovic e do Andy Boring.

    O ar fica até mais puro… rs.

    A proposito.

    Alguém aí tá sentindo qualquer falta desses dois? rs.

    Responder
    1. Willian Lopes

      Do Murray sim, gosto do jogo dele, embora eu penso que se tivesse vencido o Zverev, cairia nas quartas de final para o Federer, muito pelo que o craque vem jogando até agora.

      Responder
  24. Marcelo Calmon

    Sou fã do Federer, mas temos que ser realistas, a chave dele ajudou bastante. Lógico que ele não tem nada com os tropeços dos “favoritos”.
    Melzer, Rubin, Berdych, Nishikori e Zverev nunca criaram grandes dificuldades aos ex-TOP 4. Nishikori ainda faz bons jogos, mas quase nunca vence. Berdych é outro que ladra mas não morde.
    Não vi a derrota do Murray, mas vendo os 2 primeiros sets hoje, fico imagimando que ele fez a pior partida da carreira. O Zverev nem plano “B” tinha, ficava subindo e tomando passadas por todos os lados. Só se ele sacou muito melhor contra o Murray.
    Realmente, tirando a partida contra o Nishikori, ele sobrou nos jogos e não será nada surpreendente que ele se torne campeão.

    Fiquei impressionado com a apatia da Muguruza, tudo bem que a Coco sacou muito, agrediu, etc, mas a postura da espanhola me lembrou um tenista brasileiro !!

    Quanto à mudança da velocidade da quadra para beneficiar os australianos, seria bem melhor mudar o local dos jogos para uma casa noturna, aí sim eles seriam imbatíveis. Aliás não entendo a exaltação do Tomic, assim como a da Radwanska (não esqueço dela kkk) e outros do circuito. Não passam de bons jogadores !!

    abs

    Responder
    1. Alice

      Queria eu ser que nem a Radwanska, Marcelo. Magra, estatura mediana para o tênis, sem grandes golpes ou potência, mas sendo número #3 do mundo, com um jogo variável, que me permita ter plano B,C e D, uma das favoritas dos fãs, comumente chamada de professora…Pro físico e pela sua potência e golpes, ao meu ver o que ela faz em quadra é extraordinário ….Rsrs ..
      Mas é só minha opinião ;)

      Responder
      1. Marco Dias

        Pode ser extraordinário ser nº 03 do mundo com esse jogo, mas também não me empolgo em nada com o jogo dela também. Não tirando seus méritos.

        Responder
  25. Márcio Souza

    E parafraseando um colega aqui do blog:
    “FALTAM 2!!!”

    Faltam apenas mais 2 partidas para o 18° GS.

    É claro que a partida contra o Wawrinka é duríssima e a final seja la com quem for também será, mas chegou a hora do GOAT erguer uma taça de respeito novamente.

    Dou muita risada com alguns comentários aqui, defendo os outros tenistas ja eliminados e que sempre torcem contra falando que o mestre suiço vai perder na próxima rodada, é sempre assim, cravaram que o mestre cairia pro Berdych, depois cravaram que cairia pro japa, teve lunático que cravou que ele cairia até pro Zverev hoje, agora estão quase que gritando aqui no blog falando que do Wawrinka ele nao ganha, só pra depois virem aqui e falar: EU AVISEI, EU SABIA!!!

    Que patético, a mediocridade, a baixa estima é algo mesmo deplorável, mas faz parte da vida de quem só sabe menosprezar os feitos de qurm ja fez muito pelo esporte e transcende o tênis hoje no mundo.

    Caso chegue até a final, eu prefiro que seja contra o Nadal, mesmo com o H2H e todos os fantasmas do passado, é a final que precisa ser jogada entre os dois maiores vencedores da atualidade.

    E se perder, perdeu, faz parte do jogo, assim como de ganhar também, mas só saberemos isso se de fato o duelo acontecer, ficar aqui falando isso ou aquilo não leva a nada a não ser suposições e presunções vazias, se o jogo de fato acontecer, que vença o melhor.

    Se bem que desde o começo do AO um dia antes da primeira rodada dei meu palpite de que a final seria entre Raonic x Federer e por enquanto as coisas estão caminhando para isso.

    Vamos aguardar e que venha o 18° GS.

    Faltam 2!!!!!!!!

    Responder
    1. Marco Dias

      Não faz isso, Márcio! Depois que começaram com essa historinha de “faltam 5, faltam 3, etc…” acho que o Djoko não ganhou mais nada…. hehehehe… vai que dá azar!

      Responder
    2. Rodrigo S. Cruz

      Putz.

      Não veste esta roupa colorida não, Márcio.

      Esta parada de faltam 5, faltam 2, etc, é a fala mais PALHAÇAL que eu já vi, desde o advento da internet…

      Responder
  26. Marcelo-Jacacity

    Pessoal,
    Estava pensando aqui…já imaginaram o repeteco do ocorrido no USOpen-14? Todos esperando ansiosos uma final entre Djokovic x Federer e o que tivemos?
    Nishikori x Cilic.

    A final pode ser Wawrinka x Goffin…

    Responder
      1. Cássio

        Hahahahaha essa foi demais Jônatas

        O Marcelo e o menino do sítio estão secando alucinadamente o GOAT, perderam o controle. Imagina se vier o título sonhado por 9 de cada 10 apreciadores deste fantástico esporte. E, convenhamos, tido até ontem como impossível. Por ora melhor nem pensar. Enfim, a simples e irrefutável verdade lógica: ELE pratica o tênis-arte, a mágica, o lance genial, o que as multidões idolatram, isso mesmo. Daí que, ELE só precisa entrar na quadra, pronto. O show está garantido!! Nesse cenário, mesmo diante de uma derrota, invariavelmente e salvo raras exceções, é ele quem se sobressai, porque é o Artista. Quanto melhor nas vitórias, é claro. Nenhum torcedor vai ficar contente com derrota. Mas essa, a meu ver, a diferença essencial do Gênio para os demais tops: o que sobra nas derrotas de cada um deles? Admiro e respeito tanto o Nadal quanto o Djoko, são monstros; mas sem a vitória, o que resta do jogo ou deles mesmos??

        Fica a pergunta para os ilustres companheiros de blog.

        PS: Dalcim, não costumo comentar, mas leio seus textos religiosamente. Seguem excelentes e, se é que isso é possível, cada vez melhores com o tempo. Acompanhando o Fedex, como um bom scotch. Parabéns!!!

        Responder
          1. Rodrigo S. Cruz

            Robson,

            vc é a última pessoa do MUNDO a poder reclamar de melação sobre alguém.

            Esta sua melação de cueca pro Djokovic é algo a ser estudado.

  27. Andre C

    Dalcim,

    Acho que ninguém comentou aqui. Queria saber se tem alguma influência no confronto de hoje o efeito “Carlos Moyá”? Se não me recordo, o Moya foi técnico do Raonic e o ajudou na melhora do jogo de base.

    Até que ponto isso pode ser decisivo?

    Abraço

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sim, já respondi isso neste post, André. Acho claro que pode ajudar um pouquinho, mas não acredito que exista algo do Raonic que o Rafa não saiba.

      Responder
  28. Henderson

    Dalcim,

    CoCo Vandeweghe está jogando muito, a potência dos golpes e saques dela é muito forte. Se a CoCO conseguir mantém esse nível por muito, em breve ela será campeã de alguns Grand Slam. Se ela mantiver esse nível de jogo, ela vai por passar por cima da Venus como uma tratora, pois a intensidade e a mão pesada dela faz muita diferença.

    Serena que cuida também, pois a Konta vem jogando muito.

    Responder
  29. Alice

    Ah e se acontecer um #milagre (hehe) de o Rafa vencer Raonic, ainda podemos ter o búlgaro Dimitrov que sempre deu trabalho ao Nadal na quadra rápida, sem contar que venceu a última! E ainda acho que nunca eventual final contra Roger, o suíço é favorito…Pois tá jogando bem mais do que o Nadal, pois tá bem nítido que com esse jogo uma semifinal para o Rafa está de bom tamanho! :)

    Responder
  30. Logan

    Mestre Dalcim.

    Um questionamento. Todos estão falando da velocidade da quadra e da bola nesse AO.Pergunto ao Sr. Os Organizadores do AO precisam informar a ATP ou mesmo solicitar autorização para fazer qualquer alteração no piso ou na bola????e se precisam, isso tem um período prévio???

    Esclareço a pergunta pois fico pensando que se cabe aos organizadores decidir sobre esse assunto e caso positivo não precisem tb informar com antecedência, será que o fato de sairmos da mesmice de sempre onde sempre os mesmos ganham, e irmos mais pro lado da imprevisibilidade não poderia incentivar novas mudanças em outras quadras no circuito????

    Agradeço se puder responder…

    Abraços mestre…

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Como já expliquei antes, Logan, os organizadores precisam indicar o tipo de superfície e a marca e modelo da bola. Não precisam indicar a velocidade do piso, nem da bola. Cabe aos tenistas chegarem com antecedência e se preparar. Com isso, sim, os outros promotores também podem fazer modificações.

      Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Sim, é um dos caminhos, Bruno. Os tenistas dizem que a base do piso ficou dura demais, o que faz a bola quicar mais alto do que antes. Isso também pode ser alterado.

          Responder
  31. Alice

    Eu não estou entendendo esse povo…Agora o Nadal é super favoritos diante de Raonic, mas quem venceu os dois dos três últimos encontros oficiais? Inclusive um à dias atrás? Quem está jogando mais sólido e perdendo menos sets em quadra? Eu ainda acho que Raonic é favorito, sim é em 5 sets, mas o Raonic não venceu um monte de gente em 3sets até agora? Então…

    Ah e outra, o Nadal não estava acabando gente? Como ele pode chegar a final e vencer o Federer?
    Eu sou torcedora do Rafa, mas além de ser bem realista sou muito pessimista hahaha!

    Responder
  32. Alice

    Como postou o Igão as estatísticas deixam bem claro que Federer está jogando bem melhor do que Wawrinka e todos sabem que o atual número 1 suíço, nunca venceu Federer em quadra rápida, ou seja, muito improvável que vença agora… Mas estou avaliando pelo retrospecto, porém o que cada um vem jogando nesse AO 2017, não me desmente em nada…Federer está com mais uma final bolso!

    Responder
  33. Alice

    Sobre a jovem americana Coco, ela está jogando demais e acho que é a que melhor vem jogando, logo à favorita pra levar o título! Serena precisa jogar mais, está devolvendo quase nada…

    Responder
  34. César valeixo

    Dalcim…falam muito dos dois últimos jogos oficiais, mas no torneio mubadala que nadal ganhou de raonic o que você achou da partida? Rafa se jogar daquela forma não tem ligeira vantagem? Abs

    Responder
  35. Eduardo

    Belo post, Dalcin!
    A Australia parece sonhar mais com um título do Federer do que com a final entre ele e Nadal (seria um bônus).
    Mesmo com o Nadal longe do seu auge (quando ganhou várias vezes do suíço, inclusive numa final do AO), acho que ele é pior adversário para o Federer dos que ainda restam, por uma questão de jogo e histórico. Concorda?
    E mais uma coisa: ontem escutei um comentário na TV em que o Ferando Roeze aventava a possibilidade de que as quadras do AO tenham sido deixadas mais rápidas de propósito, para ajudar o Federer no talvez seu último ou penúltimo AO. O que você acha?

    Responder
    1. victor martins

      Tambem concordo, que as quadras ficaram rapidas pra ajudarem os tenistas autralianos.
      Mas o choro é livre pros nadalzetes e djokozetes. kkkkkkkkkkkkkkkkk… sempre arrumando desculpa pra campanha fantástica do Federer.

      Responder
    2. Jônatas

      Nem o Federer sabe quando ele mesmo pára.

      O que acho que passa na cabeça dele é o até onde ele pode ir, até onde vai a motivação, até onde a família o apóia e gosta de vê-lo numa performance competitiva.

      De resto eu duvido que alguém saiba de alguma coisa.

      Se fosse verdade RG ia ser na grama esse ano!!!!

      Responder
  36. Nelson Freire

    Dalcim
    Incrivel como o Murray tentou passar Misha direto na devolução muitas vezes, sem resultado. Federer sempre procurou passar na 2a bola, depois de abaixar as devolucoes, com muito mais sucesso. Murray me pareceu afoito e surpreendido. Federer pode preparar uma tatica. O que voce acha Dalcim?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Achei que o Murray buscou sim a passada em dois tempos, mas Zverev voleou bem melhor do que hoje. A falha do Murray foi na segunda passada, talvez sem perceber o quanto Mischa gruda na rede para o segundo voleio.

      Responder
  37. Cassiano Vinícius Moreira

    Estou torcendo muito pra reeditarmos as finais de Wimbledon 2008, com Fedal e Irmãs Williams… Lembro que foi um final de semana com muito tênis de qualidade.

    Responder
      1. Jônatas

        A questão é o quanto a bola do Nadalito está andando. Se estiver pesada, funda, os outros terão sérios problemas, principalmente o velhinho helvético, de resto não.

        Responder
    1. Renato Vieira

      Dos jogos que eu vi, sem dúvida nenhuma o Federer.

      Acho que Nadal está melhor do que no ano passado, mas ainda não vi um backhand razoavelmente agressivo. Ele não está se movimentando como nos tempos aureos. Não mesmo. Mas ainda assim é capaz de segurar a bola da maioria dos adversários.

      Dito isso, se ele fosse enfrentar Wawrinka na semifinal, não teria chance. Acho que é quem tem maiores chances de ir a final no seu quadrante.

      Aliás, eu acho que Raonic só irá vencer um GS se não enfrentar nenhum FAB4 na final. Não sei por que, mas tenho essa intuição.

      Responder
  38. Rafael Medeiros

    Dalcim, algum indício de mudança estrutural tática/técnica de Federer, algum dedo diferenciador do seu staff?

    Como entender essa incrível volta (já é incrível, mesmo que pare na próxima rodada) após tanto tempo de inatividade por lesão? Creditar à experiência?

    É como se ele nunca tivesse parado um único dia de competir.

    Abraço!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Tem toda a razão, Medeiros. O único ponto que realmente me chamou a atenção até agora é a consistência do backhand. Firme nas trocas, nas passadas, nas devoluções. Muitos winners e pouca irritação com o golpe.

      Responder
      1. André Barcellos

        Tenho uma tese.
        Ele nunca havia parado antes por tanto tempo, na carreira.
        Foi um bom tempo para descansar o aspecto emocional e mental.
        Adquiriu fome de bola e conseguiu tempo para treinar algo específico do jogo.
        Juntando esses elementos com a experiência de um multicampeão deu nisso.

        Nem acho que ele esteja tão bem fisicamente assim. Ainda não foi realmente test

        Responder
        1. André Barcellos

          Continuando…
          ainda não foi realmente testado.
          Ainda é um Federer bem mais lento que no seu auge e mais lento que em 2015.
          Mas acho que está muito confiante e com vontade.

          Responder
          1. Jônatas

            Lento? Rapaz, eu estou vendo outra coisa, a velocidade dele está muito boa. Se for comparar com o circuito está perfeitamente de acordo. Se estivesse lento ele teria tomado surra e não passava do 3 round. Tenista lento hoje em dia não sobrevive num nível tão alto.

          2. Nelson Freire

            Discordo de nao ser testado. 5 sets contra Nixhikori jogando os 2 em alto nivel. Thomas Berdych na 3a rodada sem a menor chance. Acho que poucos na chave enfrentaram desafios assim até agora.

        2. Jônatas

          Olha, guardada as devidas e IMENSAS proporções, eu, um reles domingueiro, voltei bem melhor depois de 20 dias sem pegar na raquete, só relaxando. Imagina um tempo desse mais extenso e com intensa preparação e motivação para um profissional?

          Responder
      2. Rafael Wüthrich

        Comentávamos ano passado que não tínhamos notado nada de Ljubicic em seu jogo por causa das lesões, mas que naturalmente seria ou o saque ou o backhand. A mim, parece claro que ele focou o treinamento em recuperar o revés.

        Responder
  39. Igão

    Dalcim, acredito que todos que estão acompanhando os jogos deste AUSOPEN estão vendo, enxergando e percebendo que Federer está voando baixo, jogando muita bola mesmo. É aula atrás de aula, show atrás de show.
    No entanto, como o olhar é subjetivo a cada um – e muitos aqui tendem a buscar detalhes desabonadores para não reconhecerem a genialidade “do cara” -, tratei de buscar no banco de dados do site do torneio as estatísticas (ou seja, fatos) apuradas nos 5 jogos, comparando-as com as produzidas pelo Stan, já que é o único jogador, até o momento, que também fez os mesmos 5 jogos.
    Os seguintes dados merecem destaque:

    Federer/Stan
    *games jogados: 175/190
    *winners: 282/243
    *ENF: 154/179
    *quebra ao adversário: 27/21
    *% de 1º serviço: 64/59
    *aces: 77/69
    *duplas-faltas: 12/18
    *% de pontos vencidos com 1º serviço: 81/77

    Na minha interpretação, estes números mostram que Federer está AGRESSIVO (winners e quebras), PRECISO (erros), TÉCNICO (1º serviço e aces) e AFIADO (DF e pontos vencidos com 1º saque), fazendo tudo isso de forma rápida (games), ao verdadeiro estilo “Sniper Americano” (excelente filme, a propósito).

    Enfim, que os deuses do Olimpo protejam e deem saúde a esse cara.

    Responder
    1. Fabio F

      Ótimo comentário, Igão, repleto de dados relevantes e significativos.
      Estatísticas devem ser bem usadas para terem real relevância argumentativa.
      Um abraço!

      Responder
    2. Pieter

      Parabéns, Igão! Belo trabalho de pesquisa e muito útil para todos nós, amantes do bom tênis. Concordo com você na análise mas penso que os números, a despeito da superioridade evidenciada do Federer, também denotam um certo equilíbrio, não são números tão díspares. Tomara que o Mestre continue voando baixo e dê um show (mais um!!!) na semifinal também. Ele merece!

      Responder
  40. Roberto Rocha

    O jogo de hoje foi tão rápido (ainda mais no primeiro set!), que não dá pra escapar da piada da transa dos coelhos…”Vai ser bom…não foi?” Para Federer, o único problema é o próximo adversário. Stan pode aparecer naquele dia em que sua esquerda magnífica esteja super-calibrada…aí, tudo pode acontecer. Mas se passar por Stan, Federer já pode colocar o chop pra gelar. Ninguém tem condições de vencê-lo. Especialmente esse Nadal atual. Em caso de confronto direto na final, Nadal pode se preparar porque Federer vai bater na bola 2 ou 3 vezes e definir. Isso se Nadal conseguir devolver algum saque, ainda mais plantado na quadra vizinha. Contagem regressiva para a final…e esperando ainda bons jogos pela frente!

    Responder
    1. Aurélio Passos

      Concordo com tudo…. mas espero que o carranca de Mallorca não chegue na final. Na verdade, eu queria que ele perdesse na primeira rodada de todos os torneios que ele disputa (mas com saúde), mas quase nunca acontece… tenho que aceitar que dói menos! rsrsrsrrs!!

      Responder
    2. Fernando Pimentel

      Rapaz.. acho melhor nunca subestimar o Nadal quando joga contra o Federer, independente da fase. Acho que ele e o Raonic são os jogadores que possuem reais condições de vencer o suíço. O Nadal pelo seu jogo de fundo de quadra mais defensivo, sempre machucando o adversário por seu estilo de jogo exigir mais trocas de bola, além de saber neutralizar o jogo do Federer com seus spins altos, e que muito provavelmente, irá voltar a buscar ganhar o ponto sem esperar o erro do rival. Já o Raonic é um exímio sacador, e se o Federer não estiver devolvendo corretamente, terá problemas por enfrentar um cara que não vai dar ritmo nenhum pra ele.

      Responder
      1. Renato Vieira

        Concordo com você cara, mas nessa situação (que estamos ainda projetando) eu nem digo pelo fato de enfrentar o grande Roger, e sim por voltar a uma final de GS. Goste do Nadal ou não, sua trajetória inclui 14 GS e mais um monte de finais. Caso esse FEDAL aconteça (e eu torço muito pra acontecer) eu acho que dá Roger. E torço pra isso também. Justamente por que seu saque está muito afiado, sua esquerda um pouco melhor e a quadra um pouco mais rápida. Jogando com mais paciência, eu acredito que vence. Não é um adversário em que ele pode subir a rede a qualquer hora. Toma passada que nem ve a bola.

        Acredito que Rafa ganhe de Raonic em sets apertados. Normalmente quem obtiver a primeira quebra, vai levando. Acho que Nadal vai aproveitar a canhotisse e sacar aberto na esquerda do canadense no lado da vantagem. E sacar mais rápido e no corpo no lado do deuce. Nas devoluções, acho que vai fazer como contra o Isner em 2013, esperar 2 metros atras da linha de base.

        Responder
      2. André Barcellos

        Sim, não subestimemos o touro…
        Nem superestimemos o mestre se encontrar o carranca. Ele não consegue jogar o que sabe contra o Nadal, geralmente.
        Muito por mérito do Nadal, que tem o número do Federer, e muito por causa do Federer, que já apanhou demais do touro.
        Em tempo: torço pelo Federer, mas deixar de reconhecer isso seria ilusão.

        Mas…quadra rápida. Confiante…tudo pode acontecer, como já aconteceu certas vezes.
        Mas ambos tem que vencer seus jogos, ainda.

        Interessante mesmo como esse possível embate monopolizou as atenções. Ninguém sentindo falta de mais um Murray vs Djoko numa final…

        Responder
  41. Filipe

    Muito feliz e surpreso com a performance do Federer no AO até agora, afinal ele é meu jogador favorito. Ao mesmo tempo em torço para que a jornada vitoriosa continue, vislumbrando até mesmo um título, reconheço que o Wawrinka está jogando um tênis incrível, uma vez que cresceu muito durante a competição, fazendo valer sua fama de jogador de chegada e decisões. Enfim, o páreo será duríssimo, mas penso que a temporada ficaria interessantíssima se Federer desse as caras na final ou mesmo coroasse seu retorno triunfal com o titulo. Qual seu palpite mestre?

    Responder
  42. Evaldo Moreira

    Bom dia,
    Impressionante a escalada de Federer neste torneio, além da preparação durante a Hopman Cup, deu pra ver exatamente o jogo do suiço, além de saque afiado, algumas descalibradas, normal para quem estava fora do circuito á 06 meses, mas a evolução veio jogo a jogo, e como frisou o Dalcim, o backhand do Federer estava mais consistente, fruto do treinador Ivan L., e vendo os jogos dele, tive a felicidade de acompanhar todos, vi um Federer jogando suave, comno joga esse suiço, tá doido, rsrsrsrs, saque afiado, ora com mudança de direção, ora meio slice, e o mais legal Dalcim, tirando o peso da bola, pode me explicar como funciona isso Dalcim, desculpa nesta parte sou leigo(sobre tirar o peso da bola), enfim, o que dizer do Wawrinka, o cara , durante os jogos, vi só 2, mas deu pra ver, a consistência, vai ter o backhand bonito assim na china, o forehand, andando bem, e o saque então.
    Minha torcida?, por Roger claro, mas ser duro esse páreo, não tenho dúvidas, agora, gostaria muito, mas muito, com todo o respeito aos outros tenistas, mas queria muito ver o Dimitrov nesta final, o cara merece, pelo o que tem feito desde de Brisbane, até o presente momento.

    Responder
  43. Jônatas

    Rapaz!! O velhinho helvético não pÁra (destesto a nova regra gramatical) de surpreender. Vi um pouco do 3º set e realmente a eficiência das passadas foram imensamente superiores às tentativas frustradas do bretão no jogo passado contra o mesmo Mischa.

    Eu hein!

    Agora quero ver contra o arsenal do Stan. Se o Wawrinka não respeitar tanto vai ser um tremendo jogo.

    Hj temos Grigor, Nadalito, Raonic e e Goffin.

    Meu “feeling” diz Milos (3×1) e Grigor (3×1) na SF.

    Até o dia 10!! Faltam 4.

    Sempre ansioso e já meio cabisbaixo pq o AO vai terminando :(

    Responder
  44. Ricardo

    Dalcim, vi highlights do Zverev x Federer, e é impossível não comparar com o Zverev x Murray. Federer tanto devolvendo quanto passando muito melhor que o Murray – duas especialidades do britânico, e até mesmo com o backhand.
    Você vê influência da sessão diurna / noturna na velocidade da quadra com algo a ver com isso? Ou foi uma jornada pouco feliz do Murray mesmo?
    Abraços!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sim, teve um pouco da velocidade. O saque do Zverev definitivamente estava andando mais. No entanto, acho que Murray realmente não foi bem nas passadas e deveria ter atacado mais o backhand do Zverev.

      Responder
  45. jeremias

    Em meio a essa possibilidade de mais uma final de Major entre Federer e Nadal, resolvi escrever um e-mail para meu o amigo Padre Quevedo a fim de lhe perguntar sobre as chances de Federer vencer a finalíssima do GS contra o espanhol. Sabem o que ele respondeu?

    ISSO NON ECSISTE, ICSO NON ECSISTE!!! KKKKKKKKKKKKKKKKK

    Essa semana eu tô zueiro….haha.

    Responder
  46. Ulisses Gutierrez

    Dalcim,

    Vc acredita que se o jogo de hoje entre o Nadal e o Raonic se alongar demais o espanhol ficara em desvantagem, tendo em vista que teve batalha de mais de 4 horas com Zverev e quase três horas com o Monfils?
    Sobre a final acho que está pintando um Raonic/Federer. O que acha mestre?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que depende do andamento da partida. Contra o Raonic, há uma tendência de pontos bem mais curtos e menos desgastantes. Acho que está muito aberto ainda, Ulisses. Mas se eu fosse apostar, também iria de Federer x Raonic.

      Responder
  47. Groff

    Comentei com um colega que o Federer tinha o confronto mais fácil das quartas, mas depois fiquei um pouco preocupado com a baixa porcentagem de primeiros serviços em quadra. Não sei se isso é fruto das tentativas de variação que ele tentou aplicar no alemão, mas, se ele jogar muito com o segundo serviço, vai facilitar bem a vida do Stan. De qualquer maneira, desse lado da chave, o maestro é favorito na teoria, pois ele tem as variações a seu lado para tentar anular as melhores armas do Wawrinka (e acho legal deixar registrada minha torcida para qualquer um dos dois suíços levar a taça). Do outro lado, Dimitrov parece ter o favoritismo. Se ele seguir, acho todavia que já terá ido longe demais, pois vejo o Raonic mais forte nesse momento e entendo que o búlgaro não passaria pela força mental do Nadal numa semi como essa. Aos poucos, pois, o Fedal que parecia um sonho tempos atrás parece se materializar. Por isso, deixo aqui minha opinião desde já: confirmado o favoritismo na semifinal helvética, pressupondo que a cabeça esteja no lugar e mantido o jogo praticado até aqui, Federer teria mais dificuldade contra o canadense do que contra o touro numa eventual final. Raonic fez final de slam o ano passado e deve estar num “drive” positivo, além de ter vencido a semi de WB em cima do próprio Federer.

    Responder
    1. Jônatas

      O que achei impressionante foi a relação winners/ENF. Foi um saldo absurdo, 65/13!!!!!!! Isso dá 83,33% de aproveitamento positivo! É muita coisa.

      Responder
  48. Gustavo M.

    Dalcim, o último “fedal” que decidiu slam não foi em 2011, em roland garros? Vênus fez final na austrália em 2003, não? Olha eu enchendo o mestre! A propósito, tentei te adicionar no facebook hehe. Abraço!

    Responder
  49. Andre V

    Boa tarde Dalcim!
    Acompanho teu blog diariamente a anos, mas nunca me dignei em escrever…
    Queria te parabenizar por todas as anlises e opinioes certeiras que voce posta, enriquecendo nosso entendimento sobre o nosso amado esporte.
    Considerando os jogos recentes do Wawrinka e do Federer qual voce acha que é a chance do Roger chegar na final? Eu acho que 60% Federer e 40% Wawrinka.

    Assim como muitos deste blog, eu torço pelo Fedal na final!
    Um abraco

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Obrigado por escrever, André. Olha, eu acho que está muito perto do 50-50 mesmo. Daria um pouco mais para o Federer caso ele saque tão bem como vem fazendo.

      Responder
  50. Leo Gavio

    Seria uma final interessante, Nadal vs Chorofederer

    Mesmo jogando no nivel absurdo que vem jogando o Cryfederer é capaz de tomar de 3 a 0 do Nadal nessa quadra rapida e sem vento.

    É inacreditavel a subimissão do llorónfederer diante do Puxador de cuecas.

    No mais, espero que o suiço chorão jogue como macho pq Nadal jogara sempre como um homem que honra as calças.

    Responder
    1. Jacques

      Chorar não é tanto o problema. Se um dia o Federer começar a rasgar a camisa ou jogar raquete é bola na torcida deveria ser o fim da carreira. Não acredito que tenha alguém que torça para um tenista assim.

      Responder
  51. Luigi

    É até engraçado ver como estou ficando ansioso com a perspectiva de mais um fedal. Até algums dias essa expectativa nem existia, agora faltam só 3 jogos para virar realidade. Se acontecer o mundo do tenis vai parar. De um lado o Nadal pode virar o primeiro homem da era profissional a ter 2 titulos de cada slam (se não estou enganado), passar o Sampras em número de titulos e virar o segundo maior vencedor de slams da história. Do Outro Federer pode abrir uma distância teoricamente inalcançável de slans e ser campeao aos 35 anos de idade. O agassi também conseguiu isso? Como podem ver não entendo tanto de tenis mas estou empolgado.
    Sei que ainda esta cedo para torcer, que os próximos jogos sao muito difíceis, mas sonhar não custa :-)

    Responder
    1. Jônatas

      Seria o 3º a ter ao menos 2 títulos em cada slam.

      Temos o Roy Emerson e o Rod Laver.

      Se for contar apenas era aberta aí sim seria o Nadal o primeiro.

      Responder
      1. Cleuton

        Vence nada meu amigo Dalcin! hehehehe…. Nadal só perde esse AO se enfrentar o Stan na final….. se for outro adversário conquista o Décimo Quinto caneco!!!!

        Mas seu palpite é bom! Espero que esteja errado dessa vez! hahahaha

        Responder
  52. Nando

    Dalcim, caso a final seja entre o Federer ( espero q ele esteja lá) e o espanhol, será a 1° final com 2 jogadores fora do top 8 depois de quanto tempo?

    Responder
    1. Renato Vieira

      Ótima pergunta. Algo me diz que deve ter sido em algum Roland Garros nos anos 90.

      É até engraçado falar em uma final entre Rafa X Roger fora do Top 8. Parece mentira.

      Responder
  53. Marco Dias

    Dalcim, dias atrás vc disse que Federer não seria favorito na semi e ia jogar sem pressão. Agora vc já o vê como favorito? Sei que tem a questão do respeito como vc mencionou, mas Roger não teria agora também uma certa pressão? Uma vez que o 18º Slam tão almejado parece próximo, ainda mais depois da eliminação dos dois principais favoritos? Não sei, acho que cravaria 50/50 pro jogo entre os suíços. Embora Stan costume respeitar demais o Federer, ele parece bem adaptado às condições mais rápidas deste AO (estaria até mais rápido que o USOpen15 onde Federer venceu sem dificuldades?!?!) e bem confiante. Enfim… difícil qualquer prognóstico.

    Responder
  54. Bernardo

    Dalcim, quem voce considera favorito na semi-final entre os suiços? E você acha que se o Nadal derrotar o Raonic hoje será bem dificil parar o espanhol?
    Abraços

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Vejo absoluto equilíbrio entre os suíços. Alguns fatores podem ajudar Federer, como a quadra um pouco mais veloz. Porém vai depender de ele administrar muito bem os games de serviço.

      Responder
  55. Chileno

    Passaram os favoritos na chave masculina. Só não esperava essa facilidade pro Stan. Imaginei que o Tsonga dificultaria bem mais. A tendência é de um duelo equilibrado dos suíços. Acho que o Stan pode complicar muito pro Federer, pois alia solidez no jogo de base, com fortes pancadas tanto no forehand quanto no backhand. Acho que o Federer tem que tentar evitar os rallys. Provavelmente será um bom jogo.

    Do outro lado, seguem as apostas. Creio que Raonic endurece, mas sucumbe para Nadal. Dimitrov provavelmente passa por Goffin. Se eu estiver certo, acho extremamente improvável que Nadal não chegue na final, já que tanto o búlgaro quanto o belga não parecem poder barrá-lo. A maior barreira para o espanhol deve ser o canadense.

    Responder
  56. Rubens Leme

    Na verdade, o aproveitamento de Raonic é superior ao de Nadal em tie-breaks: Nadal venceu 60,2% contra 61,6% do canadense. Talvez este número seja mais interessante do que vitórias absolutas, pela diferença de idade e anos no circuito.

    Responder
  57. Rapha Tekila

    Dalcim, leio todos os post do site. Quase nunca comento.

    Mas, tens uma paciência de budista. hehehe.

    A Venus perdeu a final do AUSO em 2003, não?

    abraços e parabéns pelo excelente blog.

    Responder
  58. Paulo Henrique

    Wawrinka está para Federer como Ferrer está para Nadal. Houve um tempo até que chamavam o operário de capacho. Claro que o mesmo não se aplicava ao suíço, afinal, ele é suíço, e tudo que diz respeito àquela terrinha deve ser respeitado.

    Agora, nesta fase de semifinais, me vem pelo menos duas coisas à mente, vejam bem: 1) a primeira dama do tênis chamou, pasmem, em pleno jogo, o segundo suíço de “bebê chorão”. 2) Na terrinha dos coalas (que fofinho), nem me lembro mais por qual motivo, o primeiro suíço chorou igual àquele bebê do viral da formiguinha “ai que dó…”

    … não seria perfeitamente LÓGICO chamar este tal de Fedrinka de duelo dos chorões?

    Uma coisa é certa no final, ou na final… o choro é livre!

    Responder
    1. Renato Vieira

      Já temos o vencedor do comentário mais ignorante do ano. Nem precisa esperar o resto da temporada.

      Provavelmente inspirado pelo fato de que seu jogador favorito já deve estar eliminado, resolveu não acrescentar nada a ninguém.

      Responder
  59. Sônia

    Não assisti nenhum jogo nesses últimos dois dias, difícil esse horário de madrugada, ainda bem que podemos acessar as reprises. Dalcim, o pessoal hoje lá na academia disse que as bolas foram mudadas para bolas mais lentas, verdade isso? Se sim, ABSURDO! Podem já dar o troféu para o espanhol, VERGONHOSO. Tiraram as chances dos “normais”, LAMENTÁVEL, êta esporte OBSCURO, TENEBROSO. Se não, esquece o que eu disse acima. Mudando de assunto, acabei de assistir as reprises dos jogos femininos, depois do “tratamento terapêutico experimental com aprovação dos + +”, Vênus Willians correndo como uma lebre. Serei Coco desde criancinha, serei Konta desde criancinha. No masculino, realmente surpresa com todos esses últimos resultados, principalmente com a derrota do Andy Murray. Derrota estranha demais, estranha demais. Desisto, o lado escuro da força venceu. Beijos.

    Responder
      1. Lucas Rodrigues

        Foi devido à tradução meia boca feita pelo narrador. Ele ficava conversando sobre o jogo com o comentarista durante a entrevista e pegava trechos soltos e traduzia, sem o menor compromisso com o contexto. Isso sempre me incomoda nas entrevistas pós jogo. Eles deveriam traduzir simultaneamente, como faz o Dácio por exemplo, ou ficarem calados durante toda a entrevista e fazer comentários ao final.

        Responder
      2. bruno

        Quem disse isso foi o Pozzi narrador,no qual eu acho péssimo.
        Chato e sem conhecimento e também estava falando junto com o Roese na hora da entrevista com certeza não entendeu direito.

        Responder
      3. Julio Calleja

        O Pozzi se enrolou na tradução. Ao ser questionado pelo Courier sobre o tipo de jogo do Misha, o Federer falou da diferença de velocidade de jogo de antigamente com o tenis atual, que sentia falta de não ter mais esse estilo de jogo no circuito. Mas o Pozzi deu a entender que o Roger falava desse Australian Open especificamente, que nao foi o caso.

        Responder
    1. Rafael Medeiros

      Qual a estranheza com a derrota de Andy?

      Ele jogou mal e perdeu pra um jogador que deixou ele sem reação com um estilo ímpar. Uma incapacidade de se adaptar ao diferente – esse número 01 aí não dura, não é a dele.

      Qual a estranheza?

      Não entendi a insinuação.

      Responder
  60. Ronildo

    Não entendi o porque Federer disse na entrevista após o jogo que está jogando diferente, plantado mais na linha de base devido à mudança da bolinha e da raquete. A quadra não tá mais rápida? Se ele adotasse a postura do US Open 2015, não seria garantia de melhor performance? Porque tudo que ele fez até agora pode não dar certo se Stan estiver num bom dia. Alguém se habilita com mais informações?

    Responder
    1. Lucas Rodrigues

      Ele disse que o jogo veio ficando mais lento ao longo dos últimos anos, devido às inúmeras mudanças de piso e bola, que visavam isso mesmo. Ele não disse que houveram mudanças ao longo desse torneio.

      Responder
  61. Fabio F

    O dia foi tranquilo para os favoritos, o que é surpreendente no estágio que reúne os 8 melhores do torneio. “Mérito” dos cabeças 1 e 2, que fizeram involuntariamente um favor à competição deixando espaço para novos nomes mostrarem seu jogo.
    Vejo um favorito claro, que é Rafa Nadal. Está jogando de forma agressiva, com ângulos e variações de ritmo que não se viam há anos em seu jogo. parece mentalmente tão forte quanto em seus melhores dias, embora caia de produção com maior frequência durante as partidas, em grande parte devido ao peso do desgaste de muitos anos no circuito com seu estilo predominantemente físico.
    Num patamar ligeiramente abaixo colocaria o fenomenal Roger e o discreto canadense Raonic, que de forma alguma pode ser desprezado. Federer, assim como Nadal, cai de produção durante suas partidas, notadamente depois de vencer um set de forma tranquila, como ocorreu hoje. Isso pode ser fatal contra reis da regularidade como Nadal ou Milos. Mas é notável como seu backhand está consistente, e ele parece tranquilo em quadra, sem demonstrar ansiedade (a despeito do episódio na partida contra Nishikori, que classifico como irrelevante considerando a carreira do suíço). Não terá possivelmente chance mehor de levantar o 18o. Slam. Ele sabe disso, e por isso vejo que seu desempenho nesse torneio deixará claro o tamanho final de seu legado (já monstruoso).
    Raonic, em franca ascensão técnica e mais habituado aos grandes jogos, pode sim surpreender o espanhol. Mas terá que ser consistente até o fim, e sacar como nunca, com variações e voleios que poderiam quebrar o ritmo de Rafa.
    Correndo por fora está Dimitrov, que finalmente resolveu mostrar-se adulto e maduro o suficiente para incomodar os grandes do esporte.
    Seria fantástica uma final Dimitrov x Wawrinka, por exemplo. Mas certamente a maioria absoluta espera pelo “Fedal”. Minha aposta é Stan x Nadal.
    E você, caro José Nilton, onde colocaria suas fichas, agora que avançamos e as coisas ficaram mais claras?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que as chances de Federer e Wawrinka são muito semelhantes. Pensando que o piso pode estar um pouco mais lento à noite, Stan pode levar se for bem consistente. Do outro lado, quem passar de Raonic e Nadal deve ir à final.

      Responder
  62. Paulo F.

    AO bastante interessante, pois muitas variáveis apareceram após a eliminação de Djokovic e Murray (que, eram sim, os favoritaços).
    A semifinal suíça será demais:
    – Federer terá físico para aguentar as pesadas bolas de Stan, jogador que cresce barbaramente nas fases finais de GS?

    Responder
  63. Paulo Henrique

    Federer x Wawrinka

    Saque: Federer
    Backhand: Wawrinka
    Forehand: Federer
    Voleio: Federer
    Outros predicados: Federer
    H2H: Federer… humm… mas, esse nunca tem importância né?… ou agora tem?… ah! deixa pra lá!

    Responder
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Comentário

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>