E 2017 já começou
Por José Nilton Dalcim
19 de dezembro de 2016 às 00:18

O momento é de pré-temporada, ou seja, o período em que todos os tenistas se preocupam em deixar o físico o mais afiado possível e, num segundo estágio, iniciam o treinamento técnico que na verdade é muito mais tático. Hora de pensar certamente em aprimorar golpes, mudar posturas, trabalhar os erros que foram observados ao longo de 2016, formar um calendário provisório robusto. Muito suor mesmo.

E já temos novidades. Precoce dizer se elas terão impacto, mesmo a médio prazo. Novak Djokovic não renovou com Boris Becker e parece ter desistido substituí-lo. Não sei se um segundo treinador é tão importante assim, embora seja inegável e evidente o dedo de Becker no novo saque, na evolução do jogo de rede e na firmeza vencedora que vimos em Djoko nesses três anos que ficaram juntos. Talvez funcione melhor agora agregar um auxiliar técnico específico a cada meta. Me parece mais sensato Nole deixar a luta pelo número 1 no segundo plano, porque ele também sabe que vitórias e títulos são o meio e o ranking, a consequência.

Rafa Nadal causou certa surpresa ao anunciar Carlos Moyá como terceiro elemento do time técnico. Tenho dúvidas se irá funcionar, embora não discuta a competência do ex-número 1, mostrada aliás no trabalho com Milos Raonic. A questão é o que Moyá poderá indicar de novo para Nadal, já que seu estilo era muito semelhante. Além disso, não me parece um nome tão forte a ponto de se sobrepor aos mandos e desmandos de Toni, e a forte amizade – e acima de tudo admiração – por Rafa pode ser um remédio mal receitado. O que Rafa precisa? Na minha opinião, mudanças mais radicais no plano tático, o que exige polimento técnico. Caso não se torne um tenista mais agressivo, insistindo em apostar no físico e na paciência, duvido que Nadal ganhe novamente um grande título.

Roger Federer é uma dúvida, em todos os sentidos. Mal tenho visto a presença de Ivan Ljubicic. Quem mais fala por Roger tem sido Severin Luthi. Claro que nesta altura da carreira Federer pode dispensar treinadores, como fez por um bom tempo, e se virar com o talento e um bom físico. Mas aí reside o problema. Como estarão a resistência, o ritmo competitivo e especialmente a confiança depois de seis meses de inatividade? Federer voltará agressivo – o que exige muito tempo de bola – ou cauteloso? Terá pernas e regularidade para ficar no fundo de quadra? Estará positivo o bastante para refazer o caminho dos voleios mostrado por Stefan Edberg? O bom senso sugere apostar em um retorno lento e gradual.

Tantas variantes parecem favorecer Andy Murray para o início de temporada. A autoestima está nas nuvens. Acaba de se tornar o único com três troféus de Personalidade Esportiva da BBC do ano, algo bem importante na Ilha, e mais ainda: foi eleito por um painel do Telegraph como o maior atleta britânico de todos os tempos. É mole? A seu favor, está ainda uma equipe coesa, competente e sem modificações, o que permite ao escocês fazer a tradicional preparação em Miami, que simula muito bem as condições de Melbourne. Seu maior problema pode estar na questão emocional: como irá reagir como o número 1 do mundo? Bom, ao menos ele está bem habituado a cobranças.

– Stan Wawrinka mudou. Ao invés de iniciar o ano em Chennai, onde é o atual tetracampeão, vai para Brisbane, onde encara uma chave com o atual campeão Milos Raonic, Kei Nishikori, Dominic Thiem, Rafa Nadal, Lucas Pouille e Grigor Dimitrov. Só saberemos se o suíço fez bom negócio ao final da primeira semana do calendário.
– Embora não possa mudar o ranking, Doha abre a temporada com a previsão de novo duelo entre Murray e Djokovic pelo título. Se acontecer, seria uma tremenda prévia para Melbourne, refletindo na confiança de ambos. Tomas Berdych, David Goffin, Jo-Wilfried Tsonga e Ivo Karlovic dificilmente impedirão uma final entre os líderes do ranking.
– Com Marin Cilic de cabeça 1 em Chennai, o único top 10 que não está inscrito para qualquer torneio antes do AusOpen é Gael Monfils. A mesma situação acontece com Federer, Nick Kyrgios, Richard Gasquet e Alexander Zverev. Eles devem se preparar nas exibições de Perth e Kooyong.
– Thiem, Roberto Bautista e David Ferrer repetem a correria e estão inscritos em todos os torneios de janeiro. Será que o austríaco não acredita em suas chances no AusOpen, a ponto de entrar em Sydney na semana anterior?
– Juan Martin del Potro ainda joga livre até março, podendo somar todos pontos que fizer em Auckland e em Melbourne. Como não conseguirá melhorar o atual 38º posto antes de sair a chave, não será cabeça no Slam australiano. Os favoritos que se cuidem.
– Thiago Monteiro e Rogério Silva entraram diretamente em Chennai e de lá vão para Melbourne. Thomaz Bellucci só jogará na segunda semana de janeiro caso consiga entrar em Sydney. Está uma vaga fora da chave até agora.


Comentários
  1. Oswaldo E Aranha

    Com a aposentadoria da Ana Ivanovich perde o tênis uma de suas musas, talvez a mais bonita. Lamento.
    Aproveito a ocasião para mandar para todos os colegas do blog um abraço e desejo de um ano pleno de sucesso.
    Para o Dalcin um abraço especial e um muito obrigado por nos proporcionar este espaço de satisfação.

    Responder
  2. Safada

    Tadinha da Aninha…

    Sua ansiedade sempre a atrapalhou a desenvolver e a manter boas táticas de jogo contra as melhores.

    Sobrou talento, mas faltou cabeça.

    Há muito tempo não sinto sua falta, mas espero que saiba o que está fazendo ao se aposentar com apenas 29 aninhos.

    Responder
    1. Luiz Fernando

      Fique tranquilo, ele vai recuperar o terreno perdido, já começou a vencer de novo, o ponto mais bonito do ano, o mais estiloso, daí p os GS é uma sequencia natural…

      Responder
      1. João Luiz

        Pois é Luis, 4 anos sem título de GS. Se Federer ao menos estivesse fazendo algo útil, sei lá… postando em um blog textos tentando diminuir a carreira de um tenista considerado o melhor de todos os tempos.

        Mas parabéns, sua contribuição para o tênis é inestimável.

        Responder
  3. Rafael Wüthrich

    E eis que Djokovic pulará fevereiro e não disputará Dubai ou qualquer outro torneio antes de Indian Wells. Caso haja insucesso na Austrália, Murray prolongará o número 1 provavelmente até Wimbledon, quando passa a defender muitos pontos. Muito estranho.

    Responder
  4. Márcio Souza

    Uma ótima semana a todos e que possamos nesse novo ano que se inicia daqui uma semana que todos possamos estar com muita saúde, disposição e com bom humor para vivermos bem a nossa vida junto com os nossos familiares, amigos, colegas do trabalho e também os colegas aqui do Blog, e como disse o Marquinhos sabiamente:

    Não levem tudo a sério galera, as vezes é apenas fanfarronice (achei essa frase ótima!!!).

    Mestre, uma pergunta, algum canal vai transmitir a Copa Hopman?
    O Federer estreia ja na segunda e gostaria de acompanhar esse retorno e se possivel as partidas que ele ira fazer na semana que vem.

    Um abraço a todos e um Feliz 2017!!!

    Responder
      1. Paulo Henrique Almeida Brito

        Dalcim, por favor, você sabe me informar se algum canal vai transmitir o torneio exibição do Mubadala em Abu Dhabi? Obrigado

        Responder
    1. Pieter

      Márcio, a ESPN + transmitirá a Hopman Cup a partir de 2a feira. Informação obtida aqui mesmo no site do tenisbrasil! Aproveito para te indicar assistir ao treino do Federer em Dubai, dia 22 de dezembro: muito divertido e interrssante. Procure no YouTube.

      Responder
  5. Pieter

    Dalcim, sugiro entrevistas com Orlando Luz e o João Menezes neste final de ano. O primeiro por ser dos mais promissores juvenis e que em 2017 jogará para valer o profissionalismo, já que terá mais de 18 anos. O segundo, também muito promissor, para contar como foi o seu retorno às quadras após séria contusão e nada menos que três cirurgias nos joelhos. Não obstante isso, já conquistou títulos em simples e duplas e voltou a evoluir no ranking. São, enfim, junto com outros, o futuro no tênis masculino!

    Responder
  6. Juscelino Júnior

    Feliz Natal Dalcim e frequentadores do melhor blog de tennis das Américas!! Que Deus abençoe a todos e a seus familiares!!
    E que possamos continuar usufruindo deste maravilhoso espaço, nos informando, tirando dúvidas com o Professor, discordando e tirando sarro saudavelmente uns dos outros…
    Abraços a todos.

    Responder
  7. Rafael

    Que este final de ano seja uma oportunidade de refresco para todos, de relaxar um pouco, se possível.

    No ano que se inicia, meus votos continuam os de sempre: saúde e disposição.

    Que Deus nos abençoe.

    Responder
  8. Marquinhos

    Feliz Natal Dalcim, felicidades pra você e sua familia! Feliz Natal também para Brack, Rodrigo Cruz, Pessanha, Sergio Ribeiro, Wutrich, Rafael Djokovista, Jeremias, Mario Cesar, Luiz Fernando, Sonia, Marcio e para todos os demais participantes e seus familiares.

    Nao levem tudo a sério, muitas coisas são apenas fanfarronices.

    Abraços!

    Responder
  9. Sergio Ribeiro

    Desejando desde ja’ um Ótimo Natal, meu Caro Dalcim. Gostaria, se possivel , de sua opiniao sobre a declaração de um Comentarista experiente ao Redação. ” o que mais preocupou em Novak, foi a sua passividade em aceitar as derrotas, sem o famoso olhar característico”. Ao contrario, vi Novak saindo aos prantos da Rio 2016 , sem contar com suas quebras de equipamentos, discussões com os boleiros e camisas rasgadas a vontade. Típico de quem não estava sentindo a bolinha como queria. A meu ver, longe de “passividade”. O que o amigo pensa ? Abs!

    Responder
  10. Oswaldo E Aranha

    aos prós e aos contra, explicando: pró Federer, pró Dkokovich, pró Nadal e contra Nadal, Djokovich e Federer, desejo Feliz Natal e um 2017 com muita disputa e grandes partidas, além de saúde. Aos especiais como Lógico e Marquinhos, um abraço especial; vale também para o Pessanha para ele não ficar com ciúmes.
    Agora um todo especial, recheado de muito obrigado, àquele que nos proporciona esse espaço tão gratificante.

    Responder
  11. Márcio Souza

    Como estamos chegando no final desse ano maluco de 2016 onde fatos históricos e alguns grotescos aconteceram, só nos resta esperar um ano também de 2017 com muitas surpresas.

    O que muita gente acreditava que não iria acontecer acabou acontecendo e também vice versa…só pra citar dois fatos rapidamente: o impeachment de Dilma e a perda de hegemonia de Djokovic.

    Começamos o ano acreditando que apesar de tudo, Dilma não fosse sair da Presidência e que Djokovic iria reinae absoluto também em 2016, mas o segundo semestre surpreendeu muita gente.

    Diversos outros fatos mostraram que 2016 foi um ano realmente diferente e que não nos dá confiabilidade nenhuma em cravar com certeza quem dominará o circuito de tênis mundial, isso pra ficarmos dentro do assunto principal, ja falamos muito sobre as possibilidades de cada um do Big Four e dos demais tenistas em potencial, fica agora a dúvida de como será esse novo ano.

    Torcida pro Federer, Nadal e Delpo voltarem bem e não sentirem mais as lesões porque os 3 em ação com certeza o tênis fica mais agradável de de acompanhar.
    Que Djokovic, Murray, Wawrinka, Nishiikorp e juntamente com Raonic, os primeiros do ranking também se mantenham bem para que tenhamos muita disputa nos jogos e que esse ano seja um ano inesquecível pro tênis.

    Desejo a todos um Feliz Natal e um ano novo maravilhoso para todos os participantes aqui do Blog e em especial para o nosso Mestre Dalcim.

    Nos veremos aqui no ano vem…um abraço a todos!!!

    Responder
  12. jeremias

    Boa sorte a todos os leitores do Dalcim, como para ele também. Saúde e muita inspiração em 2017! Minha mensagem natalina deste ano fica confiada a este famoso soneto de Rainer Maria Rilke, que entre outras coisas condensa muito bem o cerne das reflexões desta época do ano :

    Torso arcaico de Apolo.

    Não sabemos como era a cabeça, que falta,
    De pupilas amadurecidas, porém
    O torso arde ainda como um candelabro e tem,
    Só que meio apagada, a luz do olhar, que salta

    E brilha. Se não fosse assim, a curva rara
    Do peito não deslumbraria, nem achar
    Caminho poderia um sorriso e baixar
    Da anca suave ao centro onde o sexo se alteara.

    Não fosse assim, seria essa estátua uma mera
    Pedra, um desfigurado mármore, e nem já
    Resplandecera mais como pele de fera.

    Seus limites não transporia desmedida
    Como uma estrela; pois ali ponto não há
    Que não te mire (e diga): Força é mudares de vida.

    Força é mudares de vida!

    Responder
  13. Arthur

    Meu caro Dalcim,

    Uno-me aos que me antecederam para desejar para você e para todos os comentaristas aqui do Blog um feliz Natal e um 2017 pleno de realizações.

    E que 2017 traga grandes jogos, a renovação tão esperada do circuito e (ainda que seja muito improvável) o tão sonhado 18º Slam do Federer. :-D

    Um grande abraço.

    Responder
  14. Luiz Fernando

    Neste final de ano, gostaria de desejar ao Dalcim e aos amigos do blog, indistintamente, um feliz natal e um ano de 2017 pleno de paz, saúde e realizações.

    Responder
  15. Luiz Fernando

    Imagino como Federer deve estar de saco cheio desses comentários de para ou não para. Até W2016 ele jogou em um nível muito bom, então creio q deverá jogar a temporada de 2017 completa, salvo algum problema físico. Independentemente de torcer p esse ou aquele, nunca é legal ver um grande campeão parar depois de uma partida na qual mal conseguia jogar, como ocorreu c Agassi, q a cada movimento de sua derradeira partida exibia uma face de dor. Me lembro bem q o Benjamin Becker nos últimos games, notando a agonia do americano, começou a lançar de drops sucessivos, o q levou a fanática torcida de NY as raias do ódio e da loucura. Coisas do jg, mas q não foram legais de se ver. Que o suíço tenha um encerramento de carreira, seja em q momento for, digno de seu passado de vitórias e conquistas.

    Responder
    1. Pieter

      Senti um frio na espinha ao ler a última declaração do Federer dizendo que os três primeiros torneios, após o seu retorno na Hopman Cup, serão decisivos quanto à continuação de sua carreira ou não. Dependendo do seu nível técnico e das condições do seu corpo ele seguirá ou não no circuito. Óbvio que, como torcedor e admirador do tênis e do suíço genial, sei que ele vai se aposentar um dia mas não me recordo de ter lido uma manifestação tão realista dele sobre o seu futuro no tênis. Só nos resta torcer para que tudo corra bem em seu retorno e ele possa seguir brilhando por pelo menos mais uma temporada.

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Pra mim o Federer sinalizou claramente com o fim da carreira.

        Se antes, quando ele dava declarações otimistas sobre o estado do seu corpo, isso não se mostrava condizente com a verdade. Imagine agora que ele já condiciona a sua permanência a meros três meses…

        Responder
      2. Sergio Ribeiro

        Tai, meu Caro Pieter. Ao New York Times o Suíço declarou : ” Continuo faminto e me sinto Rejuvenecido. Não sinto mais quaisquer tipo de dores”. A Espn afirmou ” E’ certo que pós o AOPEN , farei toda a Temporada de quadras duras, quanto a de Saibro, vai depender de varios Fatores ” . Sinceramente não bate com as suas fontes. O Suíço apanhou muito em 2013 ( ja’ aos 32), e livre das dores nas Costas, retornou jogando muito ate’ o meio desta Temporada. Ou seja, so’ nos resta aguardar. Bom Natal e Feliz 2017 para todos !!! Abs!

        Responder
  16. Luiz Fernando

    Gostei do teor das declarações de Moya, pois antes de aceitar o convite do Tio Toni conversou com Rafa sobre o q o cara pretendia, dando a entender q só aceitou juntar-se ao staff do espanhol após certificar-se do comprometimento com trabalho e com a gana por vitórias. Sem dúvida deve ter notado a vontade de dar a volta por cima, de voltar aos bons resultados, o q vinha acontecendo na temporada de saibro, mas foi interrompido. Nadal sempre foi um vencedor, quem mais voltaria de contusão e no primeiro torneio disputado ganharia medalha de ouro olímpica? Não conheço nada semelhante, se alguém souber, por favor me corrija. Dia 29 começaremos a ter uma amostra do q pode ocorrer.

    Responder
      1. Luiz Fernando

        Ele deveria ser mais claro em relação a isso. Poderia, pex, se espelhar naquele cidadão q explicou a causa da contusão do joelho: brincadeira de casinha com as filhas…

        Responder
  17. Felipe

    Grande Dalcim,

    Boas festas para você, família e todos os demais aqui do blog ! Obrigado por nos proporcionar um espaço tão gostoso de se discutir, informar e aprender sobre tenis !

    Tudo de bom e que venha 2017 !!

    Responder
  18. Christiano

    O Thiago e o Rogerinho estão inscritos no quali em Sidney. Enquanto o Bellucci está como 1o alternate para entrar na chave principal (deve entrar, pois não creio que alguém vá conseguir os 2 SE’s da chave e deixar o paulista de fora. Já o Thiago está como 12o alternate e deve jogar quali, já que o mesmo em entrevista disse que iria jogar em Sidney antes de Melbourne. O Rogerinho também está inscrito, mas como 4o. alternate da chave do quali.

    Quanto às meninas, acredito que elas terão muita dificuldade na Àsia/Oceania … a que tem mais chances de se sair bem é a Bia mesmo. A Paula também tem bastante aceleração firmeza nos golpes, mas não é tão regular. A Teliana é regular, mas seu jogo para as hards é bem ineficaz.

    Responder
  19. Rodrigo S. Cruz

    KKkk, por essas e outras que as nadaletes e djokovetes têm tanta bronca do Federer:

    O cara pode estar parado, sumido, porém a mídia arruma sempre um jeito de recolocá-lo no centro das atenções:

    Ser eleito o mais “estiloso” do ano, batendo atores como Jared Lettho, não é pra qualquer um. Convenhamos.

    De fato, concordo que o icônico suíço se veste bem.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      O fato principal, a meu ver, é como Federer extrapola frequentemente o mundo do tênis e mesmo o dos esportes. É realmente impressionante.

      Responder
      1. Nando

        Falando no Rei, ele disse acreditar q 2017 será épico para o tênis, acha o mesmo Dalcim?
        E pra vc qual foi o melhor ano para o tênis, aquele q no final do ano vc pensou: Esse foi o melhor ano do tênis q já vi….?

        Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Puxa, teria de pensar muito. Acho 2016 muito especial, com feitos históricos de Djokovic, Serena, Murray. E 2012 também foi bem interessante. Quanto a 2017, tomara que Federer tenha razão. Tem tudo mesmo para ser uma temporada incrível.

          Responder
          1. Rafael Wüthrich

            2012 foi o único ano que cada um do big 4 ganhou os 4 Slams, Tivemos uma Olimpíada espetacular, a disputa pelo número 1, com alternância entre Federer e Djokovic, nível técnico alto em quase todos os torneios, exceto o US Open. Foi realmente um ano excelente.

        1. Jeremias

          Sônia, eu nunca tive nenhum tipo de interesse real em aspectos e minúcias da vida privada de ninguém. Ninguém mesmo. Desde celebridades, passando por parentes, chegando até mesmo aos amigos mais próximos…Para mim, o Marlon foi o mais fantástico ator hollywoodiano da história, mas confesso que o que sei dele, para além das telonas, não vai muito além de algumas entrevistas esparsas e de leituras despretensiosas de matérias de revistas. Entretanto, pelo pouco que li, muitos dos fatos “polêmicos” associados ao nome Marlon Brando, até mesmo a sua suposta homossexualidade(ou bissexualidade), não passam de rumores, boatos, e especulações bombásticas e maledicentes, diversas vezes negadas pelo ator. Isso poderia explicar inclusive o seu estilo de vida inesperadamente discreto; beirando ao recluso na realidade. Mas de qualquer maneira, se o que você diz é algo comprovado, então tens toda razão.

          Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Com certeza…

        Melhor ponto do ano, não é pra qualquer um.

        Precisa ser habilidoso e precisa ter mão.

        Por isso que o Nadal não ganha nunca (rs).

        Responder
    2. jeremias

      Federer e o Lettho, no quesito “charme”, não sevem nem para amarrar a chuteira do pé ruim de um Jeremy Irons, 35 anos mais velho. Esse sim, um dos últimos a ainda exibir uma autêntica e misteriosa áurea “cool”. Antes tínhamos um Marlon Brando, hoje temos de nos contentar em ter como símbolo do “estilo” masculino um típico cara de vitamina de água, um clássico “não fede nem cheira” que nem o Federer.

      Responder
      1. Rafael

        Por isso que tanto os que elegeram como o eleito não me representam.

        Marlon Brando (o ATOR, não a pessoa, assim como todos os seguintes), Sean Connery, Denzel Washington, Mel Gibson, Russel Crowe, Heath Ledger, etc, todos exemplificaram, para mim, um estilo cool, de homem, coisa rara de ser ver hoje em dia.

        A propósito, é Jared Leto (Rodrigo).

        Responder
    3. Alison Cordeiro

      Sou fã do Djoko e não vejo nada demais no Federer ser citado, ter espaço e continuar sendo referência. O cara é uma lenda, transcendeu o nicho do esporte em que atua e é um atleta reconhecido pelo mundo todo por seu talento. Pode até vencer torneios importantes e aumentar seus recordes, mas se não o fizer também não muda nada. Acho que Djoko e também o Nadal já construiram da mesma forma uma imagem sólida, e sera impossível no futuro falar do Federer sempre deles e vice-versa, Murray também entra nesse time, daqui a dez anos só restará a saudade desses montros do tênis, como hoje temos de Senna, Mansell, Piquet e Prost nos aureos tempo de F1. Gente talentosa prossegue mantendo vivo o esporte, mas o que esses quatro fizeram é assombroso.

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        E desses 4 pilotos citados, nenhum jamais chegou perto da aura de carisma atingida pleo Ayrton Senna.

        Este sim pra mim, foi ídolo, muito maior do que o Federer ou qualquer outro esportista que eu já tenha visto…

        Responder
        1. Sergio Ribeiro

          Concordo , e ao mesmo tempo discordando. Senna sempre esteve para o Brasil, num patamar acima. Para o Mundo, ambos estão no mesmo Patamar. Ao menos estou provando com o Tempo, que o Torneio de 7 jogos ( desculpe Dalcim) , não define o melhor. Messi , a meu ver, com 6 anos de carreira a menos, ja’ esta’ bem acima de meu grande ídolo ( ZICO) , e Dom Diego “Armando” MARADONA. Ninguém pode esquecer, que o CR7, e’ quase 3 anos mais velho rsrsrsAbs!

          Responder
          1. Alison Cordeiro

            Senna morreu no auge, em busca de recordes e vitórias, deixou um buraco gigantesco para nós brasileiros e muitos amantes da F1 mundo afora. Mas Aiain Prost e Nelson Piquet eram tão talentosos quanto, e a divisão de títulos entre eles naqueles anos dourados mostrava como era duro o embate entre esses montros. Mansell era o Murray do grupo, o patinho feio que naufragava nas horas de decisão (embora Murray esteja claramente mudando este quadro), mas ainda sensacional de se assistir na pista. Talvez seja apenas saudosismo, como provavelmente terei do Big 4, mas era bom demais acompanhar aqueles quatro.

            Quanto a Messi, gênio sem dúvida. Zico é meu maior ídolo, vi a fase de ouro do Galinho e lamento até hoje a derrota em 82 (trocaria fácil o tetra em 94 e o penta em 2002 por aquele caneco), mas Messi está um patamar acima. Gosto dele mas nutro aquele estranho prazer em ver a seleção da Argentina fracassar, portanto a falta de conquistas relevantes com a camisa argentina vai sempre pesar nas calorososas discussões de boteco. A não ser que ele reverta isso levantando uns títulos nos anos vindouros. Mas se tivesse que escolher entre ele e Zico para colocar no meu time de pelada, colocava o Zico…rs.

          2. Sergio Ribeiro

            O parceiro Rafael da Setinha, sabe ( que ao contrario do Tennis) , o Futebol e’ um esporte Coletivo. Lionel Messi em 2016, ja’ e’ o maior Artilheiro da Selecao Argentina, aos 29 anos. Maradona , fez cinco Gols na Copa de 1986. E venceu. E para por aí. Zero de Champions Ligue ( jogando também no Barcelona ) , Zero de Liga Espanhola, Zero de Mundial Interclubes. Com Dessete anos de Carreira, deve ter aprendido o que o nosso amigo ( da Setinha ) , aprendeu. A Selecao dos 7 x 1 em cima do Brasil, não assustou os Hermanos. Um detalhe: Romário fez 5 , ZICO fez 5, e Dom Diego idem. E não precisou da mao de DIOS. Abs!

  20. Eric Magalhães

    “Cão que ladra não morde”. É assim que vejo todo início de temporada. Federer, Nadal, Wawrinka, Murray, Djokovic. Todos prometem ganhar os grandes títulos, todos estão em ótima forma, todos vão devorar os seus adversários, e se preparar para o que importa. Quanta ladainha. A coisa boa é que logo no primeiro mês saberemos quem veio pra ficar. Eu, como cético que sou, diria que será mais uma temporada de Djokovic e Federer – ninguém respeitará o novo número 1, assim como ninguém respeita mais Nadal, que como bom espanhol contratou outro treinador espanhol. Piada pronta. Feliz 2017 pra todos nós!

    Responder
  21. Pieter

    Realmente estarrecedora essa notícia do assalto em casa sofrido pela Petra Kvitova! E tudo isso na segura República Tcheca e em uma cidade menor! Caramba, se ainda fosse em uma grande cidade brasileira seria menos inesperado. Infelizmente, ela sofreu danos nos tendões da mão esquerda. Quanto azar! Agora é torcer por uma boa recuperação, sem sequelas que a impeçam de jogar seu exuberante tênis! Força Kvitova!!!

    Responder
      1. Gabi

        Vc acha que foi azar ou o assaltante foi direto na casa dela e a lesionou a mando de alguém ou por ele mesmo querer prejudicar a tenista? Que os fatos sejam apurados.

        Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Moyá jogou bem em todos os pisos, exceto a grama. Ótimo primeiro saque, com ele conseguia ser bem agressivo de fundo de quadra. Forehand excelente, fugia o máximo do backahand para golpear. Jogo de rede fraco. Todo mundo o admirava no circuito, cabeça boa.

      Responder
  22. Halley

    Eu tenho uma teoria em relação a Bia. Eu penso que, guardadas as devidas proporções, ela é um caso parecido com o Del Potro, porque ela é uma sul-americana que parece ter nascido com o jogo para as quadras duras. Eu gostaria que ela arriscasse o máximo possível em torneios de quadra dura esse ano. Caso ela fizer isso e der certo, ela fura o top100 com facilidade – minha torcida aqui – e vai pegar confiança pra enfrentar as tenistas do pelotão de elite. Dessa forma, acho que ela deveria começar o ano jogando o máximo de futures, challenger e ATP’s em quadra dura possível, porque ela tentando apostar no preparo físico e regularidade no saibro não tem dado certo. Percebe-se que ela é eficiente jogando com o saque, pancadas e regularidade na quadra dura. Diante disso, eu fico pensando na ironia de um tenista com aptidões para o piso sintético nascer num lugar onde o saibro é a tradição. Acho que é o caso dela e claramente é o caso do Del Potro, que sequer joga a gira de ATP’s daqui.

    Responder
    1. Christiano

      A Bia já montou o calendário do 1o Bimestre do ano justamente pensando nisso, onde jogará em Shenzen, Quali do AusOpen, ITF’s em Surprise e Rancho Santa Fé, ambos nos EUA e na Hard.

      Responder
  23. Márcio Souza

    Eu também achei bem pensado sobre o Federer e sua equipe terem escolhido jogar a Copa Hopman do que um torneio ATP 250, num torneio caso fosse eliminado na primeira rodada ele teria somente um jogo de preparação para o AO e ja na Copa Hopman ele garante pelo menos 3 jogos de simples e 3 jogos de duplas mistas.

    O que ele precisa nesse momento de preparação final é buscar o ritmo de jogo, tempo de bola como chamamos e perceber na sequência de jogos como o corpo reage, automaticamente a confiança e a tecnica apurada retornam ao ponto de ele ser competitivo novamente.

    Não acredito que ele possa chegar na final do AO devido também as condições que os outros tenistas bem melhor ranqueados que ele estão, porém seria uma grata surpresa ve lo voltar vencendo bem num Grand Slam novamente… e quem sabe ele não surpreenda a todos.

    Pois tanto ele quanto Delpo estão soltos na chave do AO e podem pegar os 4 primeiros cabeças ja nas oitavas e ai em caso de vitoria o caminho para final e um possivel titulo vai ficando mais sólido…mas eu ainda acho muito improvável.

    Mas como o Nadal ja fez isso uma vez no seu retorno em 2013 vamos aguardar…

    Responder
  24. Luiz Fernando

    Incrível, absurdo, lamentável e vários outros adjetivos mais o q ocorreu hj com a Kvitova. Vivemos dias difíceis, em q as pessoas pouco valem. Pelo q li podemos testemunhar outro encerramento precoce de carreira de uma grande tenista, como ocorreu com a Selles. Lamentavel sob todos os aspectos.

    Responder
    1. Sergio Ribeiro

      Evidente que todo tipo de violência e’ covarde. Ainda mais dentro da propria casa da moça. Lamentável em todos os sentidos. Dai a outro encerramento de Carreira PRECOCE, L.F ? Monica Seles somente encerrou a carreira DEZ anos depois. E por gravíssimo problemas nos PÉS . Ate’ o atentado em 1993, tinha enfrentado Steffi 9 Vezes, e perdido 6. Retornou ao Circuito e venceu o AOPEN 1996, eliminando Graffi. A Alemã deu o troco na Semi de Rolanga 2009 e acabou vencendo Martina Hings na Final. Se aposentou logo apos a Final de Wimbledon do mesmo ano derrotada por Davenport. Seles continuou ate’ 2003. Abs!

      Responder
      1. Sergio Ribeiro

        Correção : ” deu o troco na Semi de Rolanga/1999″. Finalmente comprei um Oculos novo. Prometo não falar muito sobre o Esporte no Passado. Começo me reinventando , falando de um Craque novo. O Suíço rsrsrs. Abs!

        Responder
      2. José Eduardo Pessanha

        Em parte o L.F está correto. A facada interrompeu a escalada de Seles rumo à quebra de todos os recordes. Quando sofreu o atentado, Seles tinha ganho 8 finais de GS em nove. Simplesmente estava tratorando Graf….O atentado arruinou a sua carreira. Pra mim, Monica Seles sempre será a melhor tenista de todos os tempos. Abs.

        Responder
  25. Rica

    O Federer está treinando forte aqui em Dubai, em dois períodos diários. A disposição impressiona… Ontem ele fez uma melhor de 5 sets com o Borna Coric. O Ljubicic está sempre presente nos treinos, mas o Luthi nem sempre…

    Responder
      1. Sergio Ribeiro

        Deve ter dado um ” Migue’ ” , meu Caro Dalcim rsrs .Mas Pouille o enfrentou doze vezes. Lutti esta’ presente e afirma que esta’ totalmente recuperado. Devido ao Tempo, a primeira rodada do AOPEN e’ considerada fundamental. Acho que a escolha da Copa Hopman foi de grande sabedoria. O Treinador afirma que a Equipe não espera milagres no primeiro SLAM do ano. Fonte , ESPN.com.Abs!

        Responder
      2. Pieter

        Mas olha só! O tenisbrasil tem uma espiã até em Dubai?!!
        Essa é ryka mesmo!
        Dalcim, mas que pergunta! Claro está que quem ganhou foi o Fedex! Hahahaha

        Responder
      3. Rica

        Não pude ficar até o final, mas quando saí eles já estavam jogando pra valer por quase três horas. E o Coric está testando uma raquete nova ( estava toda preta, sem marca).

        Responder
  26. Rafael

    Dalcim,
    Concordo que, obviamente, todos têm a tendência de transmitir com mais eficiência aquilo que tiveram de melhor em sua carreira , porém você não acredita que um jogador inteligente como Moyá, que conseguiu chegar a número 1 do mundo apesar de algumas limitações técnicas não poderia agregar mesmo em aspectos que ele não foi tão bom?
    Quanto à parte que ele tem uma certa idolatria por Nadal ( já demonstrada diversas vezes em público) ,concordo plenamente que poderá ser um problema.
    Mais uma vez excelente post, sempre muito agradável e fluido para leitura.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acredito sim, Rafael, daí eu ter dito que não podemos menosprezar sua competência. É que eu ainda apostava em algo mais radical. Moyá tinha um belo primeiro saque, talvez seja um ponto que enfatize com Nadal.

      Responder
  27. Sergio Ribeiro

    Animadoras as declaracoes de Roger Federer. E para os desmemoriados: Novak Djokovic se utilizou da Copa Hopman a poucos anos , em 2013. Por ter ido a Final jogou quatro partidas de Simples e quatro de Duplas Mistas ( com Aninha ) . Foi Vice , mas venceu Verdasco na Final. Perdeu nas mistas. Venceu Andy Murray na Final do AOPEN em 5 Sets. Uma eliminação precoce num Torneio poderia não ser a melhor escolha para o Suíço. Abs!

    Responder
  28. Mario Cesar Rodrigues

    Caro Dalcim,olha meu caro o Rafa em 2010 foi mais agressivo o saque dele na época foi muito bom,veja em 2013 Rafa foi extremamente agressivo no USOPEN ele não deu chance para DJOKOVIC agora entre tantas paradas ora por falta de confiança ora por contusão.Penso e reafirmo o que já falei este ano 2017 Rafa vai tentar jogar agressivo e fazer o que der.não irá mudar nada em seu jogo apenas virá com mais vontade e mais força..pode melhorar o saque e mandar porrada na segunda ou quarta bola enfim é um risco mas penso que virá assim em 2017.mesmo pq já falei quando deve terminar a carreira e acredito piamente! Mas ficarei na torcida e outra coisa mesmo se vier no estilo de antes vai ganhar algo importante sim!

    Responder
  29. evaldo moreira

    Boa noite,

    Dalcim, magistral post, rsrsrsrs, pelo que observei, a maioria aqui, tecendo o comentário sobre o Nadal/Moya, e cansei de ver os jogos do espanhol nessa bate estaca, impressionava a capacidade dele no auge, eu no lugar do Moya, trabalharia demais o saque e mostrava ao Nadal a importância de encurtar os pontos, ao meu ver, ficou manjado demais o jogo dele, e ai percebo claramente a ignorância do Toni Nadal em agregar algo ao jogo do pupilo, pois creio, que o Nadal ainda é jovem, mas vem pecando por escolhas erradas , tipo o calendário, e ao meu ver, sei que não deveria FALAR, mas já falando, até hoje procuro entender aquela desistência dele em RG/16, jogando do jeito que vinha, e do nada pá na lata, creio eu, se ele não desiste, “SE”, acho que Novak teria problemas, e talvez não ganhasse RG/16, mas como não sou advinho, então, parabéns ao sérvio pelo título.
    dalcim, desculpe a igonorância, a Copa Hopman, ela é disputada no mesmo piso das quadras do AO?, se sim, dai a razão do Federer ir direto deste torneio , migrando para o AO, sem disputar um torneio preparatório.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sim, piso bem semelhante. Acho que dois motivos: tentar recomeçar num ritmo mais lento e gradual – na Hopman, fará pelo menos três partidas, ao invés de correr o risco de uma eliminação na estreia em torneio normal – e voltar a competir em torneios que ele gosta e não vai há mais de uma década.

      Responder
  30. O LÓGICO

    Pra mostrar que não há nada de pessoal nas minhas análises, que são sempre lógicas, kkkkkkk vou apresentar duas saídas para o robozinho Exu caveira kkkkkkkkkkkkkkkkk, que devem ser adotadas em conjunto kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    1) demitir o Moyar e renovar o contrato com o diábo kkkkkkkk
    2) passar a consumir um AÇAÍ PARFUM kkkkkkkkkkkkkkkk

    CHUPA QUE É DE UVA NADALZETES kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Responder
    1. suely

      Que tal LOGICO.Desejar o mesmo pro Federer, Murray Djokovic etc etc etc……Demitir os treinadores e todos fazerem contratos com DIABO (Sem assento) E todos passarem a consumir ACAI sem PARFUM. Chupa que e de MORANGO. Federetes etc etc etcKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK.Nao e justo vc desejar mal so pra um.

      Responder
    1. suely

      OI Aurelio Passos.Cuidado com que vc deseja. O feitico pode virar contra o feiticeiro.Dominantes no tenis mundial neste seculo, Roger,Nadal Dj tem numeros assombrosos. Principalmente Quando se trata de GS.Somados os 3 tem 154 paticipacoes nessas disputas de grande porte e apenas 10 derrotas em estreias. Nadal tem 2 derrotas e Novak tambem 2.FEDERER E O QUE MAIS PERDEU EM ESTREIAS FORAM 6. Foram 3 na Franca e 3 em Wimblendon. Nenhum dos tres icones do tenis perderam na rodada de abertura do Aberto dos E. Unidos.CUIDADO. SEU DESEJO PODE SER AO COTRARIO>

      Responder
      1. Sergio Ribeiro

        Como Federer e’ CINCO anos mais velho que Rafa Nadal e apenas SEIS mais que Novak, Suely, estes prometem supera-lo em derrotas nas primeiras rodadas de SLAM ao Final das respectivas carreiras. A conferir kkkkkkkkkAbs!

        Responder
  31. O JR7

    Oi Dalcim,
    Estou passando apenas pra lhe desejar um Feliz Natal sabe…
    Sem querer ser bajulador mas já sendo rsrsrs… queria sinceramente registrar a enorme alegria de algumas vezes obter uma resposta sua… acho que todos sentem a mesma alegria… eh quase um Grand Slam pessoal, uma satisfação enorme dialogar em poucas cifras com um especialista, alguém que conhece bastante mas ao mesmo tempo tem a humildade de conversar conosco… Obrigado!
    Não sei qual a sua religião mas sei que somos todos feitos por Deus! Desejo um Feliz Natal na Paz de Jesus, caríssimo!
    Um abraço!

    Responder
      1. Sônia

        O colega acima disse tudo Dalcim, sua docilidade e solicitude para conosco é ADMIRÁVEL. Parabéns pelo seu trabalho. Aproveito para desejar a voce e a todos desse blog um Santo Natal e um ano de 2017 animador. Beijos.

        Responder
  32. Rodrigo S. Cruz

    Dalcim, as nossas meninas estão dando gosto neste fim de temporada, não acha?

    Primeiro a Bia brilhou e agora a Carol Meligeni…

    2017 promete.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sem dúvida, Rodrigo. O tênis feminino tem potencial, embora num nível um pouco inferior ainda, mas o importante é que elas vão à luta e conseguem subir degraus na carreira apesar das dificuldades.

      Responder
    2. Pieter

      Na verdade, acho que todo o futuro do tênis feminino brasileiro, até o momento, encontra-se na Bia Haddad Maia. Ela é realmente promissora. O desafio é permanecer saudável para poder seguir evoluindo. Vencer dois torneios de 50 mil em sequência, na quadra rápida e no exterior, é um feito e tanto! Nem a Teliana no seu auge teria cacife para tanto. Tomara que o melhor ainda esteja por vir!

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Como assim “nem a Teliana” poderia?

        Eu acho a Teliana muito limitada tecnicamente.

        E considero a Bia muuuuuuito melhor do que ela.

        Porém, cada coisa a seu tempo. A Teliana tem bem mais experiência em torneios maiores.

        Responder
        1. evaldo moreira

          Bom dia,
          Ai Rodrigo, concordo com você, a Teliana, teve o tempo dela, mas que que caiu absurdamente o seu nivel, não sei as razões, o tênis é muito complexo, e realmente não é fácil, não acompanhei tão de perto assim, a carreira da Teliana, que é uma guerreira, sem dúvida.
          Agora a Beatriz Haddad, essa sim, sem dúvida um grande talento, e seu eu sou do staff dela, investiria nas quadras duras, me pareceu muito bem, saque, posicionamento tático, agressiva, mas vamos aguardar.
          Dalcim, te desejo um ótimo natal, com muita saúde e realizações pessoais e profissionais, que você nos propicie mais e mais com seus textos brilhantes, objetivos, bem detalhado, e que Deus te inspire sempre em sabedoria, para que você possa nos proporcionar sempre uma ótima cobertura no tênis, desde já agradeço por você me responder sempre que pode, para mim e para muitos aqui, uma honra sem dúvida, quando somos respondido por você, abraços.

          Responder
  33. Rubens Leme

    Dalcim, Federer começa o ano com 970 anos pontos a defender – título em Brisbane e semi na Australia Open. Se não defender esses pontos direitos pode sair até do top 30, pois tem apenas 2.130 e o Carreno Busta, justo o que fecha o 30, tem 1.370 pontos.

    Ou seja, antes de sonhar com algo maior ele terá que lutar muito para ficar entre os 20 primeiros. Na minha opinião, apenas na temporada de saibro pode começar a sonhar com algo maior.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Bem lembrado, Rafael, mas acho que Federer não pode ficar pensando em ranking. A classificação reflete seu desempenho. Portanto, ele tem de escolher bem os torneios para tentar recuperar o ritmo.

      Responder
      1. Pieter

        Infelizmente, o gênio suíço terá uma temporada bastante complicada pela frente em 2017. Parece-me que o seu desempenho ao longo do ano vindouro será decisivo para a sua decisão de aposentar-se ou continuar no circuito. Se não voltar a decidir os grandes títulos, não vejo sentido em continuar jogando…

        Responder
      2. Rubens LemeRubens Leme

        Rafael, não, Dalcim… rs. Mas, podia ter sido pior, podia ter me chamado de corintiano.

        Bom final de ano para vc vamos ver se o BIg 4 ainda existirá em 2017.

        Responder
  34. Renan Nabeshima

    Dalcim, qual é a sua opinião sobre a contratação do Krajicek para a equipe do Raonic? Acredito que o holandês possa colaborar, sobretudo no jogo de rede.
    A experiência com o Wawrinka na temporada de grama não teve bons resultados, algo que eu já esperava. A longa preparação de golpes do suíço dificulta a adaptação ao piso.

    Responder
  35. sandra

    Como não estou vendo propaganda nenhuma de quem vai transmitir que torneios, você saberia informar quem vai transmitir o Australian open??
    grata, Sandra

    Responder
  36. Sérgio Ribeiro

    Um dos primeiros Especialistas no Barro, a atingir 14 Finais em hard ( com direito a Final de AOPEN , de FINALS , Semi de USOPEN ) e vencedor na rapida de Cincinnati , Carlos Moya , a meu ver, foi uma excelente contratação para o Staff de Rafa Nadal . Um dos poucos da Armada a jogar sobre a linha de base, bastante agressivo para suas limitações . Raonic melhorou em sua passagem, não somente na movimentação. Sua agressividade buscando mais a rede e encurtando os pontos , o levaram ao TOP 3. Carlos apenas um mês mais velho que GUGA, atingiu o N 1 primeiro que o Brasileiro. Curiosamente depois de uma Vitoria sobre o mesmo em Marco/1999, na Semi de Indian Wells . Perdeu a Final no quinto Set para o nosso conhecido Mark “Scud” Philipoussis. O Espanhol ate’ hoje recebe a 100 metros da linha de base e o Titio Toni assiste. E ja’ esta’ mais do que na hora de encurtar os pontos e largar os Ralis. Nao vence SLAM desde os 28. E a maioria dos Especialistas insiste em afirmar que a idade não influencia muito , devido as melhorias na qualidade da preparacao e recuperação. O ritmo passou a ser alucinante. E Novak e Andy também sofrerão as consequências . A conferir. Abs!

    Responder
  37. Pieter

    Dalcim, estranhei o Federer jogar apenas a Holman Cup e, depois, ir direto para o Aberto da Austrália. Após tanto tempo parado, não seria melhor disputar um torneio preparatório para pegar mais ritmo de jogo?

    Responder
      1. Fernando Vinicius

        Eu já achei interessante a escolha, principalmente porque garante um numero mínimo de 3 jogos em simples.
        Ele vai enfrentar, em sequência (independente se perder ou não), Daniel Evans, Alexander Zverev e Richard Gasquet, além dos jogos de duplas mistas.
        Se passar, provalvelmente deve ter Jack Sock ou Nick Kyrgious.
        No começo de 2016, em Brisbane, ele enfrentou Tobias Kamke, Dimitrov, Thiem e Raonic.
        Não me parece uma preparação muito diferente, ainda que a Hopman Cup tenha status de competição amistosa.
        Tomara que Evans, Zverev e o Kyrgios venham com uma vontade enorme de vencer Federer (e que ganhem).
        Essa seria a melhor preparação possível pro Federer antes de começar a temporada.

        Responder
        1. Pieter

          Esse é o tipo de comentário que é um prazer de ler por aqui! Inteligente, bem informado e que realmente agrega. Parabéns!
          Nem tinha atentado para esse viés de raciocínio…

          Responder
      2. Felipe Gonçalves

        Em um torneio preparatório como Brisbane ou Doha, o Federer poderia cair na primeira rodada e ter, portanto, apenas um jogo antes do Australian Open. Na Copa Hopman ele garante ao menos três jogos de simples e três de duplas mistas, o que certamente dará mais ritmo de jogo. A meu ver, uma decisão acertada pra sua atual situação.

        Responder
  38. Alexandre Maciel

    Muito ansioso pela chegada de 2017. Ao contrário da chatice de 2014, 2015 e primeiro semestre de 2016, acredito que teremos um ano repleto de boas disputas pela ponta do ranking dentro da quadra. O fato de termos Federer e Delpo soltos nas chaves dos grandes torneios também pode garantir um tempero a mais na temporada.

    A todos um ótimo final de ano…

    Responder
  39. Luiz Fernando

    Time q está ganhando deve ficar como está, assim não vejo pq Murray e Djoko precisem qualquer mudança substancial. Ambos devem dominar o circuito no primeiro trimestre, salvo qualquer grande surpresa. Já Nadal precisava de algo novo, e sob este prisma vejo a adição de Moya como muito relevante, pois espelha q pela primeira vez ele e o Tio Toni afinal enxergaram essa necessidade. O próprio Dalcim comenta no post as limitações q o espanhol terá como técnico do amigo, mas por outro lado não se pode deixar de ver os resultados do trabalho feito junto a Raonic, até então um Karlovic com bastante mais movimentação, o q em boa parte pode ser explicado pelos 12 anos a menos de idade do canadense, cujo nível de jg se elevou muito no segundo semestre, fruto do excepcional trabalho desenvolvido por Moya, razão pela qual Nadal o convidou p seu staff. Vamos aguardar os resultados.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Funcionou bem com o Raonic porque foi explorado o ponto certo: melhor movimentação lateral para fugir do backhand e usar o forehand, como Moyá (e Nadal) também fazem. Além de evidente melhoria no backhand batido, um golpe um tanto frágil de Moyá.

      Responder
    2. Chileno

      O problema, creio eu, é que Raonic e Nadal tem/tinham coisas completamente distintas a resolver. O canadense tem um saque potente e um bom forehand agressivo, mas pecava na movimentação e regularidade. O espanhol nunca teve um saque tão bom assim, e seu forehand habitual é defensivo e burocrático. Ou seja… não é porque Moyá conseguiu ajudar Raonic a evoluir, que ele conseguirá fazer o mesmo com Nadal, especialmente levando em conta que ambos jogam muito diferente e tem falhas distintas em seus jogos. Será que ele conseguirá ajudar Nadal na agressividade, tanto quanto ajudou Raonic na regularidade e movimentação? A conferir…

      Responder
  40. jorge luiz

    O ano promete tb para as meninas, Bia, Paula, e parece q a Carol Meligeni tomou gosto pelas vitorias ,parabens a ela por ficar 3 meses jogando na Tunisia, isso demonstra perseverança, que tenha um ótimo 2017

    Responder
  41. Reginaldo Pereira

    Dalcim, bom dia.
    Não faria muito mais sentido o Bellucci iniciar também em Chennai ao invés de tentar Sidney??? Se Rogerinho e Monteiro entraram direto, o Bellucci não teria problema pra entrar, certo? Se conseguir entrar em Sidney, poderá chegar cansado em Melbourne… se não conseguir entrar direto (ou até mesmo cair no quali), entrará em Melbourne sem ritmo…. Não entendo as escolhas desse cara…
    Abraços e que venha 2017!!!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Pois é, ele teria entrado em Chennai, mas não em Doha nem Brisbane. Optou então por jogar só a segunda semana. Deve entrar sim, em Sydney. Não vejo problema na questão cansaço, porque afinal podem ser no máximo cinco jogos, mas sim na adaptação ao fuso horário de 14 horas. É duro se adaptar em apenas uma semana.

      Responder
  42. Rogério Silva

    Dalcim,seria interessante o Federer contratar o Becker.Acho que daria um up .
    O Nadal com o Moya já não vejo o mesmo.
    Nole sem Becker,incógnita total.Lamentável essa fase zen após problemas familiares.
    Andy continuará se impondo.
    Forte abraço e um especial 2017 .

    Responder
  43. FELIPE EDUARDO DE SOUZA ROSA

    Boa noite Dalcim!

    Acredito que Rafa já tenha encontrado este estilo mais agressivo em 2013, com mto sucesso. Porém vieram novas lesões – principalmente na final da Austrália em 2014 – que minaram a CONFIANÇA do Espanhol. Desde então nunca mais foi o mesmo, ganhou RG 2014 sacando a 160 KMH, sendo agressivo apenas na final, de fundo de quadra para bater Djokovic, pois o serviço continuou péssimo( acredito devido a lesão ainda de Melbourne). Depois disso nunca mais alcançou a mesma agressividade.
    Portanto acredito que se Rafa estiver 100% fisicamente( faz tempo que não esta) ele encontrará o estilo de 2013, pois deu sinais disso este ano na temporada de saibro até se machucar novamente em RG – qdo estava ficando cada vez mais confiante e agressivo – nova ducha de água fria.

    Portanto o que mais preocupa é saber se estará bem fisicamente para a CONFIANÇA voltar e consequentemente os golpes fluirem.
    Nadal sem confiança – como vimos pós RG 2014 – terá poucas chances com seu estilo de início de carreira.

    O interessante disso tudo é ver que cada fator esta interligado, pois em minha opinião RAFA era a maior ABERRAÇÃO MENTAL que o esporte já havia visto. Ganhava de todos com folga no H2H, elevava seu nível nos momentos mais difíceis, tínhamos certeza que ele daria um jeito de sair do buraco nesses momentos. Mesmo após as 7 derrotas para Djoko em 2011 encontrou um jeito e voltou a ganhar do servio, inclusive devolvendo 6 vitorias nos próximos 7 confrontos pós 2011 – principalmente nos GS.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Esse jeito que o Espanhol encontrou ( Federer e’ criticado por jamais ter conseguido ) , parceiro , rendeu a Rafa Nadal pós Beijing 2013, 1 x 11 ( com direito a somente tirar 2 Sets ). Abs!

      Responder
      1. FELIPE EDUARDO DE SOUZA ROSA

        Boa tarde Sergio,

        Vc esta se referindo exatamente ao momento em que eu disse que ele perdeu a confiança e voltou a apostar em seu jogo defensivo, PORTANTO CONCORDAMOS – VC NAO ENTENDEU BEM MEU TEXTO!
        Pois Beijing 2013 ele chegou a final e virou numero 1 do mundo tirando o lugar do Djokovic – Veja que eu disse – até a FINAL DO AUSTRALIAN OPEN DE 2014. DEPOIS DISSO NUNCA MAIS FOI O MESMO!
        Eu sinalizei que após as 7 derrotas seguidas, 2011 e Australian Open de 2012, ele inverteu o placar – basta vc analisar os resultados, parceiro, e verá 6 x 1 para Rafa, com vitória em todas as 4 finas de Grand Slam até RG 2014, a semi de RG 2013 pode se considerar final tb hahah. Depois disso perdeu todas mesmo e nunca mais jogou bem.

        ” Acredito que Rafa já tenha encontrado este estilo mais agressivo em 2013, com mto sucesso. Porém vieram novas lesões – principalmente na final da Austrália em 2014 – que minaram a CONFIANÇA do Espanhol. Desde então nunca mais foi o mesmo”

        Responder
        1. Sergio Ribeiro

          Na boa, Felipe. Retomou o N 1 chegando a Final do Torneio, mas perdeu para Novak e a seguir no FINALS 2013 também. Portanto o 1 x 11, nao foi a partir do AOPEN 2014. Mentalmente Novak não esperou a Temporada seguinte. Isso deve ter abalado em muito a confiança do Espanhol. Ao menos, a meu ver. Abs!

          Responder
    2. Chileno

      Pra mim, muito dessa força mental do Nadal se deve ao estilo de jogo que ele assumiu e que foi tão vitorioso. Ele apostava na regularidade e na defesa. O resultado disso é que corria poucos riscos. Ele nunca arriscava. Batia sempre aquele forehand no meio da quadra, relativamente fundo, alto e com muito spin. E se contentava em bater assim até o oponente errar. As pernas o faziam chegar em qualquer bola, ele se defendia excepcionalmente bem, e contra-atacava com maestria. O resultado era aquele muro difícil de bater.

      Acho que muito mais que integridade física, o problema do Nadal hoje, é que ele já não se defende tão bem quanto antes. A bola que ele chegava sobrando, agora ele chega um pouquinho mais atrasado, e devolve curta. Aí o oponente amassa ele na bola seguinte. Pra mim, o que falta nele é parar de apostar na regularidade. Ele precisa começar a tentar winners com mais frequência. Parar de bater spin alto no meio em todos os forehands, ir mais pras linhas eventualmente, etc. Eu só o vejo indo pro winner mesmo, quando o primeiro saque aberto dele entra. Aí ele vai pro winner no lado oposto. Em praticamente qualquer outra situação, os forehands dele são sempre top spin alto, fundo e no meio da quadra, esperando um ENF do adversário.

      Responder
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Comentário

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>